• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Avaliação: Ford Ka 1.5 AT FreeStyle, o aventureiro que surpreendeu pela qualidade do motor


O Ka tornou-se o mais representativo veículo da marca Ford no Brasil. Em seus primeiros anos com uma proposta exclusivamente urbana, bem compacta, mas através das evoluções que a marca foi realizando ao longo dos anos ele foi ganhando corpo e crescendo, por dentro e por fora, e hoje é um dos três hatch compactos mais vendidos no Brasil, e brigando de muito perto com o HB20 da Hyundai, distante apenas do absoluto Onix da Chevrolet, que lidera o segmento a mais de três anos.

Mas o Ka tem atualmente importantes argumentos para chamar a atenção nesta disputa, que além dos modelos já citados, tem ainda, por exemplo, o Fiat Argo, também ele como uma interessante proposta.

De entre as versões que a Ford disponibiliza para o Brasil do Ka, a inicial S vem equipada com motor 1.0 e câmbio manual, mas outras, como a Freestyle, avaliada por nós neste teste, são equipadas com o motor 1.5 de três cilindros e câmbio automático.

Como versão aventureira, os plásticos são destaque neste formato de proposta, emoldurando toda a parte inferior do veículo e passando naturalmente pela caixa de rodas. Os para-choques dianteiro e traseiro são na cor do veículo, com a capa dos retrovisores externo na cor cinza, espelhos que incorporam ainda sinalizadores de mudança de direção. Em destaque na dianteira a grade do tipo colmeia pintada em preto, que harmoniza com os plásticos já comentados e as molduras de aplique preto nas colunas das janelas.

Referência para os faróis com acabamento utilizando o cromado e mascara escura, em grupo ótico que tem ainda faróis de neblina, aerofólio traseiro na cor da carroceria, maçanetas externas na cor do modelo e ainda as inevitáveis barras de teto longitudinais na cor prata, cor idêntica às peças de estilo off-road colocadas na parte inferir de ambos os para-choques.

Finalizamos nossa observação externa falando das esportivas e bonitas rodas de liga leve aro 15 “, onde são instalados pneus de medida 185/60 R15, e compondo o pacote estético do Ford Ka FreeStyle, que nesta versão gentilmente fornecida pela marca para o nosso teste, veio com uma cor muito adequada à proposta deixando o veículo muito atraente.

Como referimos, o Ka cresceu, e na atual versão são 3954 (mm) de comprimento, 1911 de largura (com os espelhos), 1564 de altura e 2490 de distância entre-eixos, dimensões que nos dão a exata medida de onde se situa atualmente o modelo, disputando um lugar ao sol entre os hatch compactos mais desejados do Brasil.


Já no interior somos recebidos por um visual em dois tons bem moderno, com bancos de acabamento em tecido, mas de boa textura, interessante espaço disponibilizado para o habitáculo e muito particularmente nas posições da frente, com encostos de cabeça nos cinco lugares, assim como cintos de três pontos, disponibilizados igualmente para todos os cinco ocupantes. Já que falamos em cintos, o Ka vem com sistema ISOFIX para fixação de cadeira infantil, reforçando um pacote de segurança que tem ainda quatro air bags, frontais e laterais, e ainda, barras de proteção laterais.

Olhando o habitáculo, referencia para os vidros elétricos com a função de um toque em todas as portas, as molduras cromadas nas saídas de ar para harmonizar com as maçanetas da portas e o ótimo posicionamento de todos os principais comandos, tanto do ar condicionado, como logo acima, os que auxiliam nas opções exibidas na tela LCD multifuncional touchscreen de 7”, de ótima visibilidade para o condutor, colocada em posição central e elevada, muito prática e de layout bem moderno.

O sistema de áudio é distribuído no interior através de quatro autofalantes, e com qualidade interessante para o segmento. Na central multimídia são ainda disponibilizadas as imagens da câmera de ré.

O volante é de envergadura correta e boa textura, incluindo os principais comandos de áudio e telefone. Olhando para o painel de instrumentos, ele é de layout clássico, mas com as principais informações disponíveis de forma clara. Terminamos a descrição ao interior com o volume disponibilizado no espaço do porta-malas, que é de 257 L, um item onde ele perde para os concorrentes, principalmente para os modelos Argo da Fiat e Hyundai HB20, referências com 300 L de volume.

Mas onde o Ford impressionou, e esta foi realmente a sensação sentida pela nossa equipe, foi no conjunto mecânico. Hora então de conhecer o comportamento dinâmico da hatch fabricado no Brasil.

Ainda antes uma lista de itens que expõem o bom pacote tecnológico da versão FreeStyle, são eles, o controle eletrônico de estabilidade e tração, os freios ABS com EBD, assistente de partida em rampas, assistente em frenagem de emergência, sistema de proteção anticapotamento com sensor de deriva, alerta de manutenção programada por tempo e/ou quilometragem e ainda o acendimento automático das luzes de emergência após frenagem brusca.

Além disso, o condutor conta com itens que ajudam no seu dia a dia ao volante do Ford Ka. Destacamos os faróis com temporizador (Follow me Home), além da já citada câmera de ré, o sensor de estacionamento traseiro, e ainda o limpador do para-brisa com temporizador e velocidade variável.

Com um carro muito agradável em mãos, hora de dar partida ao motor Flex 1.5 de 136 cv de potência, quando abastecido com etanol, ou 128 cv quando a opção for por encher o tanque de 51L com gasolina. Este motor dianteiro é capaz de gerar um torque de 158 (Nm) no etanol e um pouco menos, 153 (Nm) se a escolha for a gasolina. O motor, trabalhando em conjunto com o bom câmbio automático de seis marchas, formam um conjunto muito interessante, que consegue entregar suaves trocas de marcha a baixas rotações, e privilegiando o consumo, que é o foco fundamental neste perfil de produto. No entanto este motor se mostrou também ágil, sendo capaz de entregar reações rápidas quando necessário, num comportamento que surpreendeu nossa equipe pela capacidade, e que acabou por ser, para nós, o grande destaque desta proposta.

Mas também na configuração da suspensão a engenharia da Ford foi feliz, com a opção Independente tipo Macpherson na frente e eixo autoestabilizante tipo Twist Beam na traseira, o Ka entrega assim um ótimo compromisso entre a absorção das irregularidades na pista, e o equilíbrio e estabilidade em curva, em nossa opinião um dos melhores conjuntos mecânicos do segmento, sem dúvida. Ajudaram ainda nesta opinião da nossa equipe, a precisa direção, assistida eletricamente, e os freios de disco na frente e tambor atrás, também ela uma opção técnica padrão no universo dos hatch compactos, mas eficaz o suficiente para frear os 1135 kg de peso em ordem de marcha do nosso Ford Ka.

E se algum público ainda é renitente em relação aos motores de apenas três cilindros, solução tecnológica cada vez mais utilizada para reduzir peso, preço e também melhorar a eficiência energética dos veículos, ao dirigir o Ford Ka FreeStyle, muito deste distanciamento cairá por terra, já que além de uma sonoridade muito interessante, bem distante do característico “bater” dos três cilindros dos motores menores 1.0, o pequeno Ford tem também um bom trabalho de isolamento acústico no habitáculo, que consegue deter grande parte dos ruídos externos, numa sensação de integridade ajudada pela solidez do interior, seja através do bom encaixe das peças, como o correto acabamento das mesmas.

Ao final de algumas centenas de quilômetros, e concluindo nosso circuito misto em que interpretamos o comportamento do veículo no trânsito da cidade de São Paulo e algumas estradas, o Ford Ka entregou um resultado final de 8,4 km/l com o tanque abastecido com etanol. Um resultado bem equilibrado ao qual podemos adicionar dados complementares dos testes oficiais do INMETRO, em que a versão apresentou médias de 7,5 e 9,4 km/l com etanol (urbano/estrada) e 10,7 e 13,5 km/l quando abastecido com gasolina.

Restam algumas palavras finais para o bom desempenho do Ford Ka nas concessionárias. Se os números de 50 647 unidades emplacadas em 2019 (até final do mês de Junho) o deixam naturalmente distante do absoluto Chevrolet Onix, que viu serem comercializadas nada menos que 116 906 unidades em idêntico período, seu desempenho fica, no entanto, muito perto das 52 995 unidades do Hyundai HB20, numa disputa muito interessante pela segunda posição no segmento, com as marcas chamando a atenção do cliente através de veículos cada vez mais tecnológicos, conectados e eficientes.

Conclusão do Editor – Com um preço de venda sugerido de R$ 69 740, o Ford Ka FreeStyle 1.5 AT se apresenta como uma proposta muito competitiva, que mistura um dos melhores conjuntos mecânicos do segmento, conectividade em bom nível com uma central multimídia, além de bem situada, moderna e intuitiva, design bem atraente e aventureiro, e onde o seu principal handicap é o espaço do porta-malas, menor que o da concorrência de uma forma geral. Para quem esta ressalva não seja um fator determinante na hora da escolha, o Ka apresenta, sem dúvida, argumentos de peso para quem quer um hatch compacto, moderno e atraente.

Ford Ka 1.5 AT FreeStyle

Design 7

Espaço e Conforto 7 Tecnologia e Conectividade 8

Acabamento 7

Motor / Consumo 8

Transmissão 8

Suspensão 7

Direção 7

Freios 7

Segurança e Auxílios 7

Total 73

#TESTEAVALIAÇÃO #OPINIÃO #FORD #FORDKA

Laja Revista Publiracing
Reserve seu espaço