• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Motocicletas acumulam alta de 19% e setor projeta crescimento para 2019


A produção de motocicletas manteve a curva ascendente entre janeiro e novembro de 2018. Neste período, foram fabricadas 968.860 unidades, o que representa alta de 19% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando saíram das linhas de montagem das fábricas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM 813.868 unidades. Os dados são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo.

Na avaliação de Marcos Fermanian, presidente da entidade, o desempenho expressivo do setor no acumulado do ano reflete a recuperação do cenário econômico, aumento da oferta de crédito e, principalmente, a volta da confiança do consumidor. “Outro fator foi o significativo aumento de lançamentos de produtos. Foram mais de 40 modelos ante 32 em 2017”, comenta Fermanian.

Com isso, a Abraciclo revisou para cima sua projeção referente ao fechamento de 2018 que, inicialmente, totalizava 980 mil unidades, com avanço de 11% sobre as 882.876 mil unidades registradas em 2017. A nova projeção totaliza 1.035.000 motocicletas produzidas em 2018, significando alta de 17,2% ante o ano passado.

Para 2019, a entidade projeta um crescimento na produção de 4,3%, totalizando 1.080.000 unidades.

Segundo Fermanian, o segmento está confiante no aumento dos negócios, mas é necessário aguardar os impactos das medidas que serão implementadas pelo novo governo.

As projeções revisadas para 2018 e as referentes a 2019 encontram-se nos quadros apresentados a seguir.

DESEMPENHO MENSAL

Ainda de acordo com os números da entidade, somente em novembro foram fabricadas 90.108 motocicletas, correspondendo a um aumento 8,4% na comparação com o mesmo período do ano passado (83.106 unidades).

No entanto, na comparação com outubro deste presente ano (101.111 unidades), houve uma queda de 10,9%.

VENDAS NO ATACADO

Nas vendas no atacado – das fabricantes para suas concessionárias – no acumulado de janeiro a novembro, o setor registrou uma alta de 19,4%. No total, foram comercializadas 890.703 unidades, ante as 746.039 negociadas no mesmo período do ano passado.

Somente em novembro foram vendidas 87.041 motocicletas no atacado, correspondendo a um aumento de 19,1% sobre o mesmo mês de 2017 (73.069 unidades). Na comparação com outubro do presente ano (91.915 unidades) houve um recuo de 5,3%.

DESEMPENHO POR CATEGORIA

Entre as categorias de motocicletas mais comercializadas no acumulado de janeiro a novembro os destaques foram a Street, que obteve 50,6% de participação (451.084 unidades), seguida da Trail, com 21,2% (188.833 unidades). Em seguida, destacaram-se a Motoneta, com 14,8% (132.015 unidades), Scooter, com 7% (62.070 unidades) e a Naked, com 2,3% (20.805 unidades).

No que diz respeito somente a novembro, a Street aparece com 50,1% (43.567 unidades), seguida da Trail, com 20,5% (17.819 unidades), Motoneta, com 15,2% (13.205 unidades), Scooter, com 6,4% (5.550 unidades) e Naked, com 2,3% (1.991 unidades).

EMPLACAMENTOS

Com base nos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), de janeiro a novembro deste ano foram emplacadas 856.045 motocicletas, significando uma alta de 10,7% na comparação com o mesmo período de 2017 (773.576 unidades).

Somente em novembro foram licenciadas 76.792 motocicletas, com um aumento de 17,6% sobre o mesmo mês de 2017 (65.277 unidades) e recuo de 7,8% sobre outubro (83.325 unidades).

Entretanto, a média diária de novembro (3.840 unidades) ficou 1,4% superior à registrada em outubro do presente ano (3.788 unidades). É importante destacar que novembro teve 20 dias úteis, ou seja, dois a menos que outubro, devido aos feriados. Em comparação com novembro de 2017 (3.264 unidades), a média diária de vendas cresceu 17,6%.

EXPORTAÇÕES

Dados da Abraciclo mostram, também, que o desempenho das exportações nos 11 meses do ano apresentou queda de 12,9%, totalizando 65.062 unidades, ante 74.682 unidades no mesmo período do ano passado. O recuo está diretamente ligado à redução da demanda da Argentina, que é o principal destino das motocicletas fabricadas no PIM.

Somente em novembro, as exportações atingiram 3.571 unidades, o que representa uma queda de 53,5% na comparação com o mesmo período de 2017 (7.677 unidades). Em relação a outubro do presente ano (4.360 unidades), houve retração de 18,1%.

Segundo levantamento do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços – MDIC analisado pela Abraciclo, nos 11 meses do ano a Argentina absorveu 70,8% do volume exportado, seguida dos Estados Unidos (8,8%) e Colômbia (7,5%).

Somente em novembro, Argentina foi o destino de 61,7% das exportações de motocicletas brasileiras. Na sequência, ficaram os Estados Unidos (19,5%) e a Colômbia (15,1%).

#MOTOCICLETAS #BICICLETAS #ABRACICLO #MOTOS

Pensando em vender seu veículo? - Nós compramos !