• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Avaliação: Fiat Toro 4x4 Diesel, a versatilidade de uma ótima mecânica




A Fiat Toro é sem dúvida um dos maiores sucessos comerciais dos últimos tempos no mercado automobilístico brasileiro. Um posicionamento intermédio entre as pequenas picapes exclusivamente focadas no trabalho, como a irmã de casa Fiat Strada, e as picapes médias, de muito mais capacidade. Através da versatilidade de entregar capacidade de carga maior na caçamba, e entregando design moderno e postura de SUV compacto, essas características da Fiat Toro rapidamente conquistaram um numeroso grupo de clientes, fechando 2019 com 65 566 unidades emplacadas de acordo com os dados da Fenabrave, o que representa um posicionamento entre os dez veículos mais vendidos no Brasil no ano passado.


Já em Janeiro de 2020 saíram das concessionárias 5300 unidades, mantendo um ótimo desempenho, muito por conta de uma vasta lista de versões de acabamento, com motorizações Flex e Diesel, assim como opção por tração 4x2 ou 4x4, reunindo assim condições de satisfazer um leque vasto de perfis.


Atualmente são 9 versões sendo que a de entrada, Endurance, como motor 1.8 Flex e câmbio manual, tem preço sugerido de 97 mil reais, terminando na opção de valor mais elevado, a Ultra, com motor 2.0 diesel e câmbio automático de 9 marchas, vendida pelo preço de 168 mil reais.

Nós recebemos a versão de acabamento (Endurance) equipada com a ótima mecânica diesel e tração 4x4. Com preço sugerido de 140.490 mil reais (com as especificações da versão de teste), ela expõe muitas das referencias que fazem do modelo um grande sucesso. Vamos então conhecer a proposta.


Uma característica clara do modelo são os faróis em três níveis, com os diurnos DRL em nível superior, faróis principais no centro, e em baixo, os faróis de neblina, que apesar de equiparem a versão testada por nós, fazem parte de um pacote de opcionais que, por três mil reais, adicionam a esta versão Endurance, além dos citados faróis de neblina, porta-escadas, a brake light, sensor de estacionamento traseiro, iluminação de caçamba e ainda os retrovisores externos elétricos com sistema Tilt Down e setas de sinalização de mudança de direção integradas.


Destaque também para as peças em cor preta, que vão da grade frontal às maçanetas das portas, passando pelos espelhos retrovisores ou moldura das portas e janelas, e ainda peças que realizam todo o contorno inferior da carroceria, passando pela caixa de rodas, e ligando às peças de apelo esportivo na frente, como o Over Bumper e Skid Plate. Já na área da caçamba, que também leva acabamento interior em plástico, uma referência para a grade de proteção do vidro traseiro e o roll-bar de aspecto bem esportivo, peças que conferem à Touro um aspecto de picape maior. Já as lanternas traseiras são em LED.

Ainda observando externamente a Toro, referir as bonitas e esportivas rodas de liga leve em tom escuro que são de 17" e onde são instalados pneus de uso misto 225/65 R17. Lateralmente é possível observar a boa distância em relação ao solo (207 mm), bons ângulos de entrada (25,7°) e saída (28,3°), referências que lhe conferem uma boa capacidade no fora de estrada.


Momento então de deixar para vocês as principais dimensões da Toro. São 4915 (mm) de comprimento, 1844 de largura, 1735 de altura e 2990 de entre eixos. Já outra referência bem importante são os 820 litros de volume de carga disponibilizado na caçamba e idêntico para todas as versões. Já que falamos do tradicional espaço para carga das picapes, referir que na Toro a caçamba é acessada através de uma prática tampa dupla com abertura elétrica.


A capacidade de carga útil para as versões diesel 4x4 é de 1000 kg, sendo que nas versões com motor Flex é de apenas 650 Kg. Diferenças são também naturalmente significativas no peso. Se nas versões 4x2 Flex ele é pouco superior aos 1600 kg, já em todas as versões de motor diesel e tração 4x4 o peso é de 1871 kg.

É então chegado o momento de olhar para o interior da picape da Fiat. O acesso é realizado com abertura através da chave do tipo canivete, já que sistema de entrada sem mãos e botão para ignição do motor é uma exclusividade da versão mais cara da Toro. A posição de dirigir é bem interessante, deixando o condutor com boa visibilidade e acesso fácil aos principais comandos do veículo. O acabamento utiliza plástico duro em abundancia, mas é de boa integração, com isso o modelo entrega um interior sem muitos ruídos. O que mais chama a atenção é a simplicidade traduzida em praticidade, com distribuição correta, tanto dos porta objetos, como dos itens mais importantes como o ar condicionado, que é manual de uma zona, e a multimídia, que é de 7” sensível ao toque, com Apple CarPlay e Android Auto, navegação por GPS e câmera de ré, e som distribuído por 6 alto-falantes e dois Tweeters no painel. A central fica bem posicionada e é de fácil acesso visual.


Logo atrás do volante, que é em couro e tem comandos de rádio e telefone, surge o moderno, e prático, quadro de instrumentos de 3,5" multifuncional em TFT personalizável, com uma iluminação bem agradável, muito na linha da família Argo (e Cronos), ou do Jeep Renegade.

Os bancos são em tecido e têm encosto de cabeça e cintos de segurança de três pontos em todas as posições, não faltando o sistema Isofix para fixação de cadeirinha infantil. Com apenas airbag frontal para condutor e passageiro, este é talvez o maior reparo que fazemos, e não só para esta versão, já que toda a linha Toro vem de série apenas com as citadas duas bolsas. Já os vidros são elétricos com sistema de um toque para todas as portas.


Ainda antes de dar partida ao motor, referência para o bom pacote tecnológico ao serviço da segurança e praticidade, com controles de tração e eletrônico de estabilidade, sistemas de auxilio de saída em rampa e controle em descida, além do piloto automático com controlador de velocidade.


Com ajuste de altura e profundidade no volante, é fácil conseguir uma boa posição de condução na Fiat Toro, antecipando assim momentos de muita diversão para nossa equipe ao longo de todo o teste dinâmico.


Com uma mecânica idêntica a todas as versões diesel, não só da Toro, mas também,(salvo naturais ajustes ) ao Jeep Renegade e Compass, não foi assim esquecido o protetor de cárter para aumentar a capacidade de proteção em trechos offroad, fazendo da Toro com esta mecânica 4x4 a escolha mecânica que melhor traduz a essência do modelo.

O motor é um quatro cilindros em linha de 1956 cm³, turbo, com 16 válvulas e duplo comando de válvulas no cabeçote, de alimentação diesel e sistema de partida por chave, já que a partida por botão é exclusividade das versões topo de linha.


Este motor entrega 170 cv nas 3750 rpm, e um bom torque de 35,7 kgf.m logo nas iniciais 1750 rpm. A transmissão é automática de 9 marchas com tração integral parcial.


Com esta mecânica que é uma receita vitoriosa, a Toro é um carro suave e dócil para a cidade, mas que entrega respostas rápidas e ágeis se necessário. Tudo isso é fruto da versatilidade e elasticidade da mecânica diesel de crescimento linear e de ótimo casamento com o câmbio AT9. Dirigindo no dia a dia urbano em 4x2, podemos escolher sem receio um caminho fora de estrada mais exigente, já que através de uma escolha que é feita na cabine, podemos optar pela tração 4x4, garantindo mais capacidade para nosso veículo. Como ele tem bons ângulos de entrada e saída, boa altura em relação ao solo e espaço generoso para o movimento das rodas na caixa a Toro é realmente capaz de permitir algumas aventuras.


Outro trabalho muito correto da engenharia da FCA é no ajuste da suspensão, que é firme em estrada, mas consegue absorver as irregularidades das pistas no rotineiro transito urbano repleto de buracos e lombadas, além de entregar capacidade de tração em terrenos de menor aderência, mesmo utilizando pneus que têm como compromisso o equilíbrio nos diversos cenários onde podemos chegar com a nossa Toro de motor diesel . A escolha neste quesito foi para o tipo McPherson as rodas dianteiras e Multilink na traseira. Com molas helicoidais nas quatro rodas, a opção técnica já mostra o direcionamento da marca para entregar versatilidade, através da eficácia e segurança em estrada, capacidade de carga e olhar atento para o conforto.

Outro ponto que gostamos muito na Toro é a direção elétrica, que permite reações bem rápidas e precisas, além disso apresenta dureza “afinada” em alta velocidade.


Os freios são com ABS e EBD (Distribuição Eletrônica de Frenagem), de disco ventilado na frente e tambor atrás. A ideia que fica, é que, sendo as versões de motorização diesel, mais pesadas e de maior capacidade de carga, particularmente na caçamba, o ideal seria a opção por freios a disco também na traseira, já que esta solução entrega mais capacidade e de equilíbrio na frenagem em veículos que têm peso considerável também na traseira. Imaginamos que o raciocínio da Fiat foi que, quem compra a Toro raramente anda com o veículo carregado, um perfil de público mais urbano, que apenas esporadicamente utiliza seu veículo para carregar algo, cenário que certamente não está fora da realidade, já que, comercialmente, e pouco acima em termos de preço, já são encontradas boas opções de picapes médias, essas sim por natureza capacitadas para encarar qualquer parada no trabalho.


Palavras finais para o resultado em termos de consumo. Em nosso circuito misto, a Toro Endurance, chegou ao final dos 560 km que durou nosso teste com uma média de 9,8 km/l de diesel, o que para um veículo que permite 60 litros no tanque significa uma autonomia de 588 quilômetros, algo que naturalmente pode aumentar se o destino for exclusivamente a estrada, onde ele chega com facilidade a médias instantâneas em torno de 11 km/l, dados aliás próximos dos oficiais do INMETRO.

Conclusão do editor: A Fiat Toro é sem sombra de dúvidas um veículo muito interessante. Se nas versões de motorização Flex e tração 4x2 ele chama a atenção do público urbano, que gosta de ter um veículo com postura de Crossover ou SUV compacto, e ainda adiciona o fator “picape” que é a caçamba de carga, e formato de veículo que ainda desperta uma certa magia no público consumidor. Com essas características muito bem equilibradas, adicionando ainda um design moderno, a Fiat conseguiu conquistar um vasto número de clientes, deixando para os mais exigentes neste grupo as versões 4x4 diesel. Ótima mecânica que realmente traduz com verdade quando nos referimos à versatilidade. A Toro Endurance é a porta de entrada para um veículo de muitas possibilidades, e que tanto pode ser um confortável e econômico veículo para o dia a dia, como um equilibrado e eficaz SUV para viajar, além de ser um bom parceiro para algumas aventuras mais exigentes no offroad. Os números não deixam margem para erro. A Fiat interpretou de forma inteligente o que deseja o cliente que compra este tipo de produto, e entrega o que ele quer.


Para publicidade, apoio ou parcerias na seção Testes e Comparativos entre em contato através do e-mail: publicidade@revistapubliracing.com.br


Laja Revista Publiracing
Pensando em vender seu veículo? - Nós compramos !