• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Avaliação: Renault Duster Oroch, o equilíbrio perfeito entre família, lazer e trabalho.


Podemos dizer que a Renault inovou ao lançar a picape Oroch. Um produto que aproveita as virtudes do modelo que lhe deu origem, o SUV Duster, e incrementa a capacidade para carga.

Utilizamos a palavra inovação, já que a picape da Renault foi a primeira que chegou com este perfil mais encorpado, se comparada com os modelos de sucesso como a Strada, Saveiro e Montana, escolhas preferenciais por parte do público quando se fala de picapes leves.

A Oroch veio para preencher uma necessidade observada pela marca, em posicionamento que foi seguido pela Fiat com o lançamento posterior da Toro. Com mais espaço e mais conforto em relação às tradicionais picapes leves, ela é no entanto de proporções menores que as picapes médias vendidas por valores na casa dos três dígitos e substancialmente maiores, como S10, Frontier, ou Hilux. Um produto que podemos posicionar como intermédio, e que ao contrário das opções menores, utilizadas principalmente para trabalhar, foca no cliente que utiliza o veículo como carro para a família e lazer, e eventualmente, como um parceiro de trabalho.

Feitas as apresentações, vamos então falar da Oroch na versão testada pela nossa equipe, a Dynamique, com tração 4x2 ela utiliza um câmbio manual de cinco marchas acoplado ao motor 1.6 SCE (Smart Control Efficiency) e com 16 Válvulas.

A Oroch utiliza os argumentos conhecidos do Duster, e um visual que foi alvo de intervenção recente para modernização. A caçamba é logicamente seu diferencial, a que se soma como argumentos estéticos, o santantônio, barras de teto longitudinais, estribos, luzes diurnas, faróis de neblina na frente, e lanterna traseira com efeito LED tridimensional. O para-choques é integrado aos paralamas, numa frente agressiva e onde se percebe que o ângulo de ataque permite alguma ousadia.

Pormenores que trabalham ainda em favor da estética geral do veículo, as maçanetas externas na cor do veículo, os retrovisores que também acompanham a cor da carroceria, e repetidores de pisca-alerta laterais.

As rodas são de liga leve aro 16", onde são instalados pneus de medida, 215/65 R16, de uso misto, que proporcionam um desempenho equilibrado, tanto na terra quanto no asfalto.

Para finalizar a descrição ao perfil da nossa Oroch, as dimensões da picape. São 1694 mm de altura exterior; comprimento de 4700 mm; largura exterior (excluindo os retrovisores) de 1821 mm; e distância entre eixos de 2829 mm.

Por dentro ele oferece o que o Duster tem de melhor, espaço, fácil acesso ao interior e a todos os principais comandos, e com a confirmação da ótima posição de condução que já havíamos descrito no teste ao SUV.

Podemos destacar ainda a prática central multimídia da Renault com Rádio MP3, Bluetooth AUX/USB, GPS, e integrada no painel que tem detalhes na cor preta. Referência ainda para o tradicional comando de áudio e celular na coluna de direção (Comando Satélite), vidros elétricos com os dianteiros a disponibilizarem a função one touch. Completando a descrição ao que a Renault disponibiliza para esta versão Dynamique, o ar-condicionado e o airbag para os passageiros da frente.

Hora de ajustar banco, posição do volante (apenas em altura), colocar o cinto de segurança e dar partida ao nosso motor dianteiro, posicionado de forma transversal, flex, de quatro cilindros, 16V, e com 1.598 cm³. A potencia anunciada quando utilizando o etanol para abastecer o tanque de 50L, como foi o nosso caso, é de 120 CV às 5.500 rpm. Em relação ao torque, são 16,2 kgfm totalmente disponíveis às 4.000 rpm, o que mostrou ser uma proposta de motor equilibrada e eficiente. Este motor já conhecido do Duster, vem acoplado a uma caixa de câmbio de 5 marchas manual, curta, que viabiliza parte das características que descrevemos. No entanto não se espere grande capacidade de resposta se for necessário transportar carga pesada ou o total da capacidade anunciada de cerca de 650Kg na sua caçamba.

A Duster Oroch é uma picape bem equilibrada em termos de comportamento, oferecendo conforto no dia a dia da cidade, eficiência na rodovia, e apta para algum “esforço físico”, se solicitada para trabalhar. Muito desse equilíbrio vem de boas regulações na suspensão que é tipo McPherson na frente e multilink atrás, o que proporciona uma condução mais estável, ao mesmo tempo mais confortável e com menos vibrações, melhorando assim a acústica do veículo. Através desse equilíbrio a Oroch oferece bom conforto para uma utilização em cabine dupla mesmo em baixas velocidades e pouca carga.

Para frear a massa em movimento (1296 Kg, contra 1202 Kg do SUV) freios de disco ventilados na frente e tambor atrás. Eficazes, assim como no SUV que lhe dá origem, proporcionam segurança sem maiores surpresas.

A direção é hidráulica e permite uma condução precisa e segura, tanto em manobras, como nas diversas faixas de velocidade em que é utilizada.

Aliás, o prazer de dirigir é uma das características que mais se destaca nos dois carros, tanto a Duster, como a picape Oroch, praticamente idênticos, eles proporcionam um correto posicionamento do condutor que sente essa integração em relação ao conjunto com um bem estar muito grande e que se percebe imediatamente ao fim de poucos quilômetros.

Já no quesito consumo o resultado é praticamente um padrão para este motor da Renault. Abastecido com etanol foi conseguida uma média de 7,9 km/l para circuito urbano, e 10,2 Km/l se utilizada na estrada.

Após sucesso expressivo nos meses seguintes ao seu lançamento, a Oroch é sem dúvida uma opção bem mais correta se comparada com os seus concorrentes menores, como os referidos no inicio do texto, Strada, Saveiro ou Montana. Com preços que nas suas versões mais completas chegam muito perto do requerido para comprar nossa Oroch, ela se torna por isso mesmo uma ótima opção, ao ser moderna, proporcionar espaço e conforto, num carro sem sofisticação, mas bem equipado. O custo atual, segundo o site da Renault é de R$ 75 990,00 ai somados no nosso caso os R$ 1 600,00 da pintura verde esmeralda, com isso custo total de R$ 77 590,00. A versão de motor que equipa o nosso carro é sem dúvida a mais equilibrada e o carro chefe do modelo no mercado, no entanto a Renault disponibiliza duas versões com motor 2.0 de 148 CV, exclusividade que custa no caso da versão manual R$ 80 090,00 e com mais dois mil reais o cliente leva para casa a opção com o câmbio automático.

Com este leque de opções em equipamentos e motor a Renault tenta correr atrás principalmente da picape Toro, carro da Fiat que com uma proposta esteticamente mais atualizada vem somando resultados positivos, atitude do mercado que se explica em partes pela maior juventude do modelo italiano.

No entanto a característica mais robusta do modelo francês deixa o mercado confiante e mantem as vendas da Oroch num patamar interessante, com emplacamentos de 872 unidades em Abril, aumento para 951 no mês seguinte, acompanhando aliás, o crescimento do mercado no quinto mês do ano, com um acumulado de 4627 unidades ao longo de 2017, em dados contabilizados pela Fenabrave.

Como resumo referir que a Oroch com o seu característico posicionamento intermédio entre as picapes leves e médias, é uma escolha muito interessante. Bem equipada, disponibiliza, espaço, conforto, e um conjunto mecânico eficiente e robusto, que com os recentes “retoques” estéticos ganhou uma sobrevida proporcionando a necessária liberdade e capacidade a quem busca um veículo capaz de ser utilizado no dia a dia da família e no trabalho.

Fotos Revista Publiracing e Renault ( Interior)

#RENAULTOROCH #RENAULT #TESTEAVALIAÇÃO

Laja Revista Publiracing