top of page

20 anos de Lamborghini Gallardo


20 anos de Lamborghini Gallardo

O Gallardo, apresentado no Salão Automóvel de Genebra de 2003, foi o primeiro veículo de produção da Lamborghini com um motor V10. Foi desde o início um sucesso comercial incrível, atingindo múltiplos recordes de vendas para a Lamborghini. Por ocasião do seu vigésimo aniversário, a Automobili Lamborghini faz uma retrospetiva da sua história para celebrar o icónico "baby Lambo".


Ferruccio Lamborghini já tinha sentido que havia um mercado para um Lamborghini "mais pequeno" e, acima de tudo, com um preço e custos de funcionamento mais baixos e, no início dos anos 70, encorajou o desenvolvimento do que viria a ser o Urraco, que evoluiu durante os anos 80 para o Jalpa.


Em 1987, a Lamborghini iniciou o desenvolvimento do projeto L140, especificamente para criar um Lamborghini mais compacto. Ao longo dos anos foram desenvolvidos vários protótipos e exploradas várias soluções técnicas, incluindo um motor V8 numa primeira fase e depois um motor V10.


Em 1998, depois de uma cuidadosa reflexão, foi decidido recomeçar do zero, tendo como base apenas o conceito, as dimensões gerais e a ideia de um motor de dez cilindros: algo nunca instalado num automóvel de estrada da Lamborghini.


O novo motor é o resultado do trabalho do engenheiro Massimo Ceccarani que, após mais de dez anos na empresa, assumiu o cargo de Diretor Técnico, e de Maurizio Reggiani, que na altura era responsável pelo desenvolvimento e conceção de motores no Gabinete Técnico.

Maurizio Reggiani, Diretor Técnico da Lamborghini de 2006 a 2022, recorda que "o L140 tinha um motor V10 de 72° com a caixa de velocidades integrada na zona do cárter de óleo, concebido pela Lamborghini, e que não era prático de produzir para o tipo de automóvel a que se destinava. Além disso, a posição da caixa de velocidades sob o motor gerava um centro de gravidade elevado, o que não garantiria as características de dirigibilidade e maneabilidade que um Lamborghini superdesportivo deveria ter. Assim, quando se iniciou o projeto com o nome de código "baby Diablo", optou-se por um V8 e decidiu-se procurar um potencial motor entre os já existentes no mercado, incluindo o Audi de 8 cilindros. Com a posterior aquisição pela Audi, foi decidido produzir um carro completamente novo com uma estrutura tubular de alumínio e um motor de 10 cilindros, projetado pela Lamborghini, e uma transmissão totalmente nova, tanto manual como robotizada".
20 anos de Lamborghini Gallardo

O motor instalado no primeiro Gallardo era um V90 DOHC de 5 litros e 10 cilindros, com 4 válvulas, que entregava 500CV. Em vez da escolha clássica de um V72, foi privilegiado um ângulo de 90 graus para limitar a altura do motor, obtendo assim vantagens na disposição do veículo (ou seja, capô do motor mais baixo e melhor visibilidade traseira) e baixando o centro de gravidade para melhorar a dinâmica. Os intervalos de disparo regulares (garantindo a suavidade do motor) foram conseguidos através da adoção de "cambotas" com um desvio de 18 graus. Um sistema de lubrificação por cárter seco não só resultou numa lubrificação perfeita, mesmo em condições dinâmicas extremas, como também permitiu que se baixasse ainda mais o centro de gravidade.


Como explica Maurizio Reggiani: "Para poder ser produzido nas quantidades previstas, o V10 tinha de ter um V a 90°, pelo que foi decidido adotar um "split pin" no eixo de manivelas, que permitia um disparo regular mesmo que o cárter tivesse cilindros a 90°. O cárter, que até então tinha sido equipado com tubos de inserção e um revestimento Nikasil, foi revisto e redesenhado pelos engenheiros da Lamborghini para ser fabricado com uma liga de alumínio hipereutético que permitia que o revestimento fosse fundido diretamente no alumínio. Deste modo, foi possível reduzir a distância entre os cilindros e, consequentemente, o comprimento, o peso e os custos do motor. Assim nasceu o motor V10 MPI de 5 litros e 90° que foi instalado na primeira série Gallardo".

O primeiro V10 era, portanto, um motor de vanguarda: 5 litros com lubrificação por cárter seco, dupla árvore de cames à cabeça para cada banco de cilindros, com comando de válvulas variável (4 válvulas por cilindro) e distribuição por corrente.

20 anos de Lamborghini Gallardo

A caixa de 6 velocidades estava equipada com sincronizadores de cones duplos e triplos de última geração, com um sistema de controlo e engate otimizado, e estava localizada atrás do motor, enquanto a tração integral utilizava o sistema VT testado e comprovado. Foi também desenvolvido um sistema sequencial robotizado (o Lamborghini e-gear, oferecido como opcional nesta versão), mantendo inalterada a mecânica de base da caixa de velocidades.


O chassis estrutural totalmente em alumínio é baseado em peças extrudidas soldadas a elementos de conexão fundidos. Neste chassis, as peças exteriores da carroçaria são montadas com sistemas diferenciados (rebites, parafusos ou soldadura), dependendo da função da peça. Outras peças exteriores adicionais (como os para-choques) são feitas de material termoplástico e ligadas por parafusos.


O projeto de design começou em 2000 com base numa proposta inicial da "Italdesign-Giugiaro", depois otimizada e concluída pelo recém-criado Lamborghini Centro Stile, dirigido por Luc Donckerwolke. A tarefa dos designers, exigente, mas ao mesmo tempo fascinante, era identificar os atributos formais do Lamborghini e combiná-los numa unidade totalmente individual. As dimensões do Gallardo e os seus objetivos de desempenho conferiram-lhe um atletismo compacto. A distância entre eixos do veículo e os balanços reduzidos deram-lhe um aspeto mais dinâmico. Uma parte fundamental do design icónico do Gallardo, que também se encontrava no Murciélago apresentado em 2001, era a forte influência aeronáutica, observada no cockpit de cabina para a frente integrado na carroçaria do veículo; no para-brisas de ângulo acentuado com pilares tensos; no tratamento complexo de superfícies planas atravessadas por marcas distintas; e na orientação dos elementos do sistema de arrefecimento na direção do fluxo de ar.


No entanto, o que realmente fez com que o Gallardo se destacasse quando chegou ao mercado foi o seu desempenho combinado com a facilidade de condução, fiabilidade e praticidade diária, de tal forma que podia ser confortavelmente utilizado como um veículo de uso diário.


Em maio de 2004, o Gallardo iniciou a tradição de "doar" carros à Polícia Italiana: os carros foram utilizados para fins especiais, como o transporte de órgãos ou medicamentos que salvam vidas.

20 anos de Lamborghini Gallardo

Em 2005, dois anos após o lançamento da versão coupé, a Automobili Lamborghini apresentou o Gallardo Spyder no Salão Automóvel de Frankfurt; não apenas uma versão "open top" do coupé, mas um modelo totalmente novo com um sistema de abertura/fecho da capota totalmente novo, envolvendo também o capô do motor do veículo. O Lamborghini Gallardo Spyder introduziu também importantes novidades ao nível do motor, da transmissão e das performances. O seu motor de 10 cilindros e 4961 cc passou a debitar uma potência de 520 CV (382 kW) às 8000 rpm. A caixa de seis velocidades (sempre manual com a oferta opcional da versão e-gear robotizada) passou a ter uma relação de transmissão mais curta, resultando num comportamento mais dinâmico do veículo. Estas novas características do motor foram também introduzidas na versão coupé a partir do ano de 2006.


Em 2007, ano em que a produção do "baby Lambo" ultrapassou as 5000 unidades desde a sua apresentação, o Gallardo Superleggera foi apresentado em Genebra. O novo modelo, graças ao aumento de 10 CV de potência e à redução de 100 kg de peso, era ainda mais dinâmico, atingindo uma relação peso/potência de apenas 2,5 kg/HP. O Superleggera tinha uma caixa de velocidades mecânica robotizada de série, que se tornou uma caraterística regular em todas as versões subsequentes, e estava disponível em quatro cores sem custos adicionais: Midas Yellow, Borealis Orange, Telesto Gray e Noctis Black. Além disso, o Superleggera tinha muitas peças em fibra de carbono especificamente para conseguir a importante redução de peso, como o spoiler traseiro fixo: um icónico extra opcional para esta versão, juntamente com travões de carbono-cerâmica.

20 anos de Lamborghini Gallardo

No Salão Automóvel de Genebra, em março de 2008, foi apresentado o LP 560-4, a versão renovada do Gallardo; 20 kg mais leve, equipado com um motor V10 de 5,2 litros com potência máxima de 560 CV, com sistema de injeção direta estratificada. Ainda em 2008, a produção do Gallardo atingiu as 7100 unidades. No Salão Automóvel de Los Angeles, em novembro do mesmo ano, foi apresentada a versão de capota aberta, o LP 560-4 Spyder, com as mesmas especificações técnicas. O novo motor apresentava algumas modificações técnicas significativas e inesperadas, como explica Maurizio Reggiani:

"Para a versão seguinte (do Gallardo), com motor de 5,2 litros, foi decidido alterar a geometria da cambota, eliminando a cavilha e aceitando assim uma ordem de disparo irregular em favor de uma maior rigidez da cambota. Foi também adotada a tecnologia de injeção direta de combustível, que aumentou a eficiência na câmara de combustão com maior potência e menos poluentes."

Em 2009, com 9000 unidades produzidas, a Automobili Lamborghini apresentou o "Gallardo LP 550-2 Valentino Balboni". Foram produzidas apenas 250 unidades, caracterizadas por uma solução técnica nunca vista neste modelo: 550 CV e tração traseira. Com inúmeros pedidos dos clientes, o Gallardo LP 550-2 foi então produzido como modelo de produção (2010) e numa versão Spyder (2011). Para dar forma ao seu carácter único, os engenheiros de Sant'Agata Bolognese adotaram nestas versões a tração traseira e reviram todos os componentes da dinâmica de condução, incluindo molas, amortecedores, barras estabilizadoras e pneus. Dada a variação do fluxo de potência, os ajustes também afetaram a aerodinâmica do veículo. Além disso, o diferencial traseiro foi atualizado e foram feitos ajustes significativos no sistema de estabilidade dinâmica ESP.

20 anos de Lamborghini Gallardo

Em março de 2010, foi apresentado em Genebra o Gallardo LP 570-4 Superleggera, mais dinâmico, mais leve, mais potente e ainda mais apelativo. Apresentado com o objetivo de dar continuidade ao sucesso da versão homónima de 2007, o LP 570-4 viu o seu peso reduzido em 70 kg em relação ao anterior Superleggera, com um motor de 570 CV (419 kW) e uma relação peso/potência reduzida para 2,35 kg/HP. As alterações no exterior foram efetuadas exclusivamente para melhorar a aerodinâmica. Este design aumentou a taxa de fluxo de ar para os radiadores e melhorou a força descendente no eixo dianteiro. As alterações nos painéis do piso do veículo e a utilização de saias laterais e do novo difusor traseiro em fibra de carbono contribuíram para melhorar a aerodinâmica.


Além disso, a carga aerodinâmica sobre o eixo traseiro foi equilibrada com a utilização de um spoiler traseiro fixo. Em 2010, foram apresentados dois outros automóveis com o mesmo motor: o ainda mais leve LP 570-4 Spyder Performante (uma redução de 65 kg na massa total em comparação com o LP 560-4 Spyder), bem como o Gallardo LP 570-4 Blancpain Edition, que reuniu o espírito competitivo do Super Trofeo com um comportamento perfeito em estrada e um design exclusivo inspirado no "Lamborghini Blancpain Super Trofeo", o campeonato monomarca criado em 2009.


Em 2012, a Automobili Lamborghini apresentou duas versões do modelo atualizado no Salão Automóvel de Paris. Estas variantes eram ainda mais ousadas e extremas: os novos Gallardo LP 560-4 e Gallardo LP 570-4 Edizione Tecnica, representando uma nova evolução estilística do primeiro modelo Lamborghini V10.

20 anos de Lamborghini Gallardo

Em janeiro de 2013, foi anunciado o desenvolvimento de um novo programa GT3, baseado no Gallardo MY13. No mesmo ano, o Gallardo LP 570-4 Squadra Corse foi apresentado no Salão Automóvel de Frankfurt. Este novo modelo de série limitada, o mais extremo da gama Gallardo, foi inspirado no Gallardo Super Trofeo: o automóvel que compete no Lamborghini Super Trofeo.


A 25 de novembro de 2013, o último Lamborghini Gallardo saiu da linha de produção da histórica fábrica de Sant'Agata Bolognese. A última unidade montada foi um Gallardo LP 570-4 Spyder Performante na cor Rosso Mars.


Ao longo de dez anos de produção, o Gallardo foi fabricado num grande número de edições especiais, foi vendido em 45 países e, contando com as 32 variantes, atingiu um total de 14.022 unidades produzidas. São números que, por si só, fazem do Gallardo um dos superdesportivos mais bem cotados de sempre, com um lugar garantido entre os ícones do design e da engenharia automóvel italiana.


 

Com jornalistas nos dois lados do oceano, informamos que nossos textos contêm expressões e palavras utilizadas tanto no Brasil como em Portugal, de acordo com a origem do conteúdo e o mercado principal a que se destinam.


Visite nossa Plataforma de Compra e Venda de Veículos e tenha atendimento com especialistas que vão ajudar você a realizar o melhor negócio



Gostou da matéria? – Saiba que a sua contribuição é muito importante para a realização do nosso trabalho de jornalismo independente e totalmente gratuito. Saiba como apoiar aqui


Para publicidade, apoio ou parcerias na seção #Automóveis entre em contato através do e-mail: publicidade@revistapubliracing.com.br


350x250.gif
bottom of page