• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Avaliação: Fiat Strada, um fenômeno de vitalidade comercial

Atualizado: 12 de Nov de 2020


A nova Fiat Strada é o mais recente fenômeno do mercado automobilístico brasileiro. Não que seja uma novidade seu bom desempenho comercial, afinal ela é líder de seu segmento há algum tempo, mas seu status de surpreendente vem muito mais pela forma rápida como se consolidou, pelos números impressionantes que vem apresentando, e tudo isso num ano tão difícil para as fabricantes de veículos.


A Fiat atualizou um produto que ainda dava sinais de muita vitalidade, com isso ganhou pontos junto do consumidor, já que rejuvenesce um veículo que ainda tinha muita aceitação, mantendo o interesse em alta e chamando inclusive um novo perfil de consumidor para a pequena picape.


Outro importante apontamento na história recente da Fiat Strada é que após o lançamento do novo modelo, as vendas da picape dispararam de tal forma que o modelo terminou o mês de setembro como campeão de vendas de todos os segmentos no Brasil, com 11 873 unidades emplacadas naquele mês, superando o reinado de anos do Chevrolet Onix que fechou com 11 709 unidades comercializadas. Em ano tão desafiador para a indústria automobilística, a Fiat Strada conseguiu acumular até final do nono mês do ano um total de 49 973 unidades emplacadas o que representa impressionante terceira posição da tabela geral de emplacamento e em dados da Fenabrave, só perdendo para Onix e HB20.

Os números só por si já dizem muito do enorme acerto comercial da marca com a nova proposta. Mas para conhecer as novas atualizações ao modelo, recebemos para teste as duas opções de carroceria, cabine dupla e cabine plus (caçamba estendida), ambas na versão de acabamento de entrada, a Endurance.


Mesmo se tratando da opção mais econômica, fica claro que a picape não deixa de chamar a atenção pelas suas linhas modernas, sendo um veiculo com identidade própria, apesar de alguns traços nos remeterem ao seu irmão maior, a Toro, especialmente na traseira.


Na hora de tirar o carro da concessionária, o preço base da versão de dois lugares é de R$ 64.990. Já a versão de cabine dupla custa R$ 75.990. Para sermos exatos em relação às unidades avaliadas por nós, ambas continham alguns dos opcionais que a Fiat entrega para a versão, como por exemplo, a calota por adicionais R$ 150, o Pack Multimidia que por R$ 3.490 e adiciona a central multimídia Uconnect 7", sensor de estacionamento, câmera de ré, controles de áudio no volante, tweeters, Visor de 3,5' TFT no painel de instrumentos e entrada USB.


Já o Pack Worker, que adiciona ao preço total R$ 2.500 entrega alarme antifurto, vidros elétricos, travas elétricas, brake light, fechadura elétrica na caçamba, comando elétrico de abertura da tampa do tanque de combustível e banco do motorista com regulagem de altura.


Com isso os veículos testados por nós adicionam R$ R$ 6.140 ao preço total, ficando em R$ 71.130 a versão de caçamba estendida e R$ 82.130 a versão de cabine dupla. Com este pacote recheado, o interior da picape Strada se confunde com a de um compacto, entregando aproveitamento do espaço em nível interessante, lugares para objetos distribuídos de forma igualmente elogiável, além de entregar todas as principais comodidades, e exigências, adicionadas aos atuais modelos compactos, como o ar condicionado, os vidros elétricos, multimídia, câmera de ré e volante com comandos de áudio.

É então chegada a hora de falarmos da grande diferença entra as duas opções de carroceria. Em termos de dimensões as versões são exatamente iguais, com 4.474 (mm) de comprimento, 1.732 de largura, e 2.737 de entre eixos. A diferença, mínima, fica por conta da altura, maior na cabine plus (1608 mm) contra os 1.599 mm da cabine dupla, naturalmente reflexo do ajuste na suspensão e da predisposição para carregar mais peso na versão de apenas dois lugares.


São 650 kg de capacidade de carga e 844 litros de volume na caçamba da versão de cabine dupla, mais versátil, contra a vocação mais trabalhadora de cabine estendida que entrega 720 kg de capacidade de carga e 1354 litros de volume disponibilizado na caçamba.


Ficam assim bem claros os dois caminhos que o publico segue na hora de escolher a sua Strada. Tem os que optam por escolher um misto de compacto para a família adicionando a versatilidade de alguma capacidade de carga (CD), ou quem objetivamente busca um veículo voltado exclusivamente para o trabalho ou atividade (CP).

Esteticamente elas são idênticas na frente, com um design moderno e atraente. Nesta versão de entrada é notada ausência dos faróis de neblina, mas incorporando luzes de condução diurna desde a versão de entrada, destacando ainda o acerto nos traços elegantes do capô, em posição elevada e entregando um aspecto de maior robustez ao produto. A grade frontal é outro destaque, muito atraente, e deixando evidentes tanto o nome FIAT, ao centro, como ainda, e charmosa a pequena bandeirinha com as cores da Itália, que agora assina os modelos da marca, numa mescla de reconhecimento e identidade em relação ao seu país de origem.


Já na lateral, a diferença fica por conta do adesivo ENDURANCE na parte inferior da carroceria da versão de caçamba estendida, e que acompanhando o design naturalmente diferenciado da integração da cabine com a caçamba.


Ainda destaque para as peças em plástico em tom escuro que dão acabamento a diversos pontos da carroceria como os para-choques, o traseiro com estribo antiderrapante, a moldura que acompanha e contorna a carroceria passando pela caixa das rodas, os espelhos retrovisores e maçanetas das portas, finalizando com as molduras das janelas e grade de proteção do vidro traseiro.

Finalizando nossa observação externa, destaque ainda para as rodas, que são em chapa na cor chumbo de 15' (nas unidades testadas por nós com calotas) e onde são instalados pneus de medida 195/65 R15, além da merecida referência para o bom acabamento e proteção da caçamba.


Já olhando para o interior, e adicionando mais alguns pormenores em relação aos itens que fazem parte do “recheio” dos pacotes que comentámos no inicio, são ainda destaques os encostos de cabeça nas cinco posições da opção de cabine dupla, acompanhados por cinto de segurança de três pontos para todas elas.


O interior da cabine de ambas as versões apresenta um espaço bem interessante para os ocupantes dos bancos da frente, além disso, um habitáculo de design bem agradável e prático, tudo bem acessível, e como referimos, sem perder nada para o interior de muitos dos compactos disponibilizados por ai em termos de comodidade.

Para dar partida ao motor, nos posicionamos em nosso banco e ajustamos o volante (em altura), com isso conseguimos uma posição bem agradável para dirigir a pequena picape da Fiat.


A motorização entregue para as versões de entrada Endurance é o Fire 1.4 (1.368 cm³) 8V Flex, opção que entrega 85 cv com gasolina ou 88 cv a etanol a 5.750 rpm para ambos os combustíveis. Já o torque é de 12,4 kgfm com gasolina ou 12,5 kgfm com etanol nas 3.500 rpm.


Se naturalmente esta motorização apresenta algumas limitações, o bom casamento com o câmbio manual de cinco marchas, muito afinado, privilegia a força e capacidade de resposta nas rotações iniciais, se isso ajuda a tornar mais dinâmica a picape no transito na cidade, sendo também mais eficaz nas saídas com algum peso, o correto escalonamento permite igualmente uma boa elasticidade e com isso boas referências no consumo de combustível com ambas as unidades testadas já que ele se torna bem econômico em estrada.


Parêntesis para referir que a partir da versão Volcane o motor é o 1.3 de 8 válvulas que entrega mais potencia (109 cv com etanol) e que pertence a uma nova geração de propulsores, por isso mesmo mais versátil que a opção testada por nós.

Continuando nossa descrição ao comportamento dinâmico da nova Fiat Strada, hora de falar dos freios, que são ABS com EBD e de disco na frente com tambor atrás, sempre se mostrando eficazes, fazem parte de um pacote de itens e tecnologias ao serviço da segurança e conforto muito interessante para uma versão de entrada. Os freios em ambas as versões sempre se mostraram muito eficientes para frear os 1078 kg da versão de cabine simples e os 1174 kg da opção de cabine dupla, praticamente 100 kg a mais de estrutura e componentes na versão de cinco lugares.


Destacamos então o conjunto de bolsas de airbag frontais e laterais, controle de tração e estabilidade, gancho (isofix) para fixação da cadeira infantil no banco traseiro e auxilio de saída em rampa.


A direção de assistência hidráulica permite uma condução eficaz e segura em todos os cenários, mas sendo este mais um dos itens que expõem serem as nossas unidades Endurance a configuração de entrada na linha Strada, já que a partir das opções de acabamento Freedom a nossa picape já vêm com direção de assistência elétrica e todo o conforto e praticidade daí inerente.

Hora de falar de algo que nos impressionou na Strada, que foi seu comportamento em curva, entregando conforto e segurança com previsibilidade. A evolução do conjunto como um todo é notória e foi muito agradável verificar o bom desempenho da pequena picape em qualquer circunstancia, sem carga ela se envolve muito bem no contorno das curvas, entregando estabilidade e um baixo rolamento da cabine, comportamento que é resultado fundamentalmente do bom acerto na suspensão e molas. A configuração é a tradicional independente McPherson na frente e eixo de torção na traseira, como qualquer hatch compacto. A diferença neste ponto entre as duas opções de cabine fica, como já comentado, por alguns milímetros a mais na distancia em relação ao solo na versão de cabine simples, e naturalmente por conta da maior capacidade de carga.


Já em relação ao consumo, e olhando para os dados do nosso habitual circuito misto, a diferença em termos de resultado final para a versão de cabine dupla (mais pesada) é mínimo, e apenas de difícil percepção em condução urbana, onde naturalmente é necessário vencer rotineiramente a inercia dos cerca de 100 kg de peso adicionais. Resumindo as duas versões apresentam resultados muito idênticos, com a versão de cabine dupla a apresentar média de 8,4 km/l e a opção de caçamba estendida 8,6 km/l. Estes dados mostram um resultado bem saudável que segundo os testes do INMETRO chegaram mesmo a médias em torno dos 12 km/l com gasolina (não rodamos com este combustível).

Conclusão do editor – A nova Strada, justifica, sem dúvida, toda a animação nas concessionárias da Fiat após o seu lançamento. Um veiculo versátil, que em sua renovação trouxe um pouco da essência (e do sucesso) da picape Toro, no entanto, em patamares de preço mais acessíveis. Mas a nova geração da pequena picape não abdica de um design moderno, um bom nível de equipamento, espaço bem razoável, e ainda um olhar bem atento para a segurança. A Strada tanto pode ser um eficiente e econômico veículo mais focado no trabalho ou qualquer atividade realizada pelo seu proprietário, com as versões cabine Plus, como também um versátil carro para a família que permite ainda ser utilizado para outras atividade que necessitem um espaço maior para carga. Esta variação de carrocerias associada a duas opções de motores, torna o lineup da linha Strada amplo e diversificado, com uma variação nas opções que vai bem além do acabamento, mas que permite olhar com flexibilidade para o perfil de cada comprador, e com isso seu reinado está garantido por mais algum tempo.

Para publicidade, apoio ou parcerias na seção Testes e Comparativos entre em contato através do e-mail: publicidade@revistapubliracing.com.br




Pensando em vender seu veículo? - Nós compramos !
Inscrições abertas para o SIMEA 2021!!