Revista Publiracing

Com especial noturna inédita, Mitsubishi Cup inova em Indaiatuba

 

Na sexta-feira dia 20 de outubro, a Fazenda Pimenta estava repleta de competidores concentrados e ansiosos. Às 20h em ponto, o primeiro carro largou para uma especial de rali cross-country inédita. Disputa noturna e com toda a dificuldade pela ausência de referências. Mais que nunca os pilotos tiveram que confiar em seus navegadores para a disputa de uma emocionante especial. Com os carros devidamente equipados com iluminação extra para melhorar a visão a competição foi um sucesso tanto em termos de segurança como de competição.  

 

“Foi extremamente desafiadora, mas muito prazerosa. Essa prova vai ficar marcada na história da Mitsubishi Cup”, ressalta Jorge Adriano Peters, navegador de um ASX RS. “Foi legal pilotar à noite. É diferente: você não tem como piscar, fica atento o tempo todo. Parabéns à organização”, falou o piloto Vitor Muench.

 

Foram 35 km  confiando na planilha e no navegador, e com os faróis ligados e regulados para iluminar o máximo possível o trajeto. “De modo geral, a navegação é planilha e confiança. Eu até olho para fora, mas não é o que mais faço. Então, muda mais para o piloto", conta a navegadora Gilze Araújo.

 

Já na manhã de sábado, dia 21, as duplas largaram para mais duas especiais de 35 km, ainda parte desta 3ª etapa da competição – que seria em Junho, em Penha (SC), porém a chuva inviabilizou a realização e ela foi adiada para este fim de semana em Indaiatuba (SP).

Repleta de novidades e desafios, a 3ª etapa movimentou a 18ª temporada da Mitsubishi Cup, que é dividida em cinco categorias - L200 Triton Sport RS, L200 Triton ER, L200 Triton ER Master, ASX RS e Pajero TR4 ER.

 

Domingo, as duplas vão encarar a 6ª etapa do ano, com duas especiais de rali cross-country de velocidade e uma disputa inédita de time-attack também na Fazenda Pimenta, em Indaiatuba (SP). “Amanhã é tudo do zero. A prova é nova e não terá nada a ver com hoje... E tem o time-attack, um desafio novo”, fala o navegador Gunnar Dums.

 

Vencedores da 3ª etapa

Alessandro Tozoni e Gilze Araújo foram os vencedores na L200 Triton ER. “A diferença na prova noturna é ficar mais e mais focada, para não pisar na bola. Mas hoje andamos muito mais rápido [do que na sexta-feira]”, conta Gilze. “À noite, você enxerga apenas a frente, não as laterais. Tem cotovelos e você não consegue ver o que tem ao lado... Adoro Indaiatuba, a primeira especial que ganhei na Mitsubishi Cup foi aqui. É uma pista técnica, travada, mais estreita, com piso gostoso de andar. Você vai dançando, é uma maravilha", relembra Alessandro.

 

Na L200 Triton ER Master, vitória de Juliano Diener e Gunnar Dums por apenas dois pontos de diferença do segundo colocado. “Na prova noturna você não tem referencial físico, de escape, de curva. É preciso concentração e acompanhar o odômetro. Gostei de andar de noite e até preferiria que as outras também fossem noturnas, porque é um nível de concentração ainda maior, e outra sensação de velocidade. Você não vê erosões, pedras... Precisa de mais atenção", garante o navegador Gunnar.

Quem subiu ao lugar mais alto do pódio na categoria Pajero TR4 ER foi Flávio de Oliveira e Fernando Marcel Toshio Abe. "Foi uma novidade, super diferente, e muito gratificante. O farol extra nos ajudou muito, mas pilotar à noite, mesmo conhecendo um pouco o trajeto, é completamente diferente. É outra tocada. Tivemos que confiar 100% no navegador”, explica Flávio. “Navegar fica ainda mais importante, porque você tem no máximo uns 150 metros de visual”, completa Fernando. Além de lutar pelo título na categoria, eles têm mais uma motivação para participar: “Diversão. O campeonato faz parte da brincadeira, mas gostamos de desestressar do dia a dia”, ressalta o navegador.

 

André Miranda e Alison Pedroso celebraram o primeiro lugar na categoria L200 Triton Sport RS. “Na prova noturna, a navegação é muito importante: acertar as regressivas, para o piloto frear, porque ele só enxerga a curva quando já está em cima”, conta Alison. “É bem estranho, você não enxerga nada... Não tem nenhum controle”, ressalta André. “Estamos muito próximos, a disputa está acirrada. Nada está definido: é garantir as próximas etapas”, explica o piloto sobre o campeonato 2017.

 

Já na categoria ASX RS, uma das mais disputadas, Vitor José Muench e Jorge Adriano Peters levaram a melhor e seguem na luta pelo título. “Na nossa categoria não teve pódio seguido para nenhuma dupla”, ressalta Muench. Para a 6ª etapa, que será realizada domingo, eles retomam a preparação. “Zera tudo. E sabe quanto o campeonato será decidido? Aos 49 do segundo tempo, em Mogi Guaçu (SP), mês que vem”, garante Jorge.

Fotos: Tom Papp e Ricardo Leizer/Mitsubishi

 

Please reload

November 17, 2019

Please reload

Rádio Sore Rodas
Aleph Bank - Abra agora sua conta