Revista Publiracing

Avaliação - Honda Civic 1.5 Turbo Touring, ele chegou para ameaçar os alemães.

A Honda renovou seu sedan médio, mas não foi uma simples renovação técnica com alguns toques de cosmética, foi verdadeiramente uma revolução.

 

E a marca ousou na nova geração, a décima, de um dos sedans mais vendidos nos últimos anos no Brasil. São recursos técnicos e soluções que fazem o Civic se distanciar do padrão para este segmento. Para que previamente possamos ter uma ideia da aceitação que o modelo tem no mercado brasileiro o fato de apesar da crise que vive o setor, a Honda ter vendido em 2017 até ao último dia de Fevereiro (último mês completo até ao momento), um acumulado de 4457 unidades, numa linha crescente de vendas com 2028 unidades em Janeiro e 2429 em Fevereiro, isto apesar de um mês mais curto e com menos dias úteis de vendas. A participação no segmento de sedans médios é atualmente de 23,78% com o segundo lugar consolidado.

 

Mostrando esta cartão de visita, convidamos então nosso leitor para a partir deste momento nos acompanhar em mais um teste da Revista Publiracing. A versão avaliada por nós, a Touring, é a mais esportiva e a mais surpreendente tecnicamente. Algumas dessas características ficam evidentes após a observação externa. Uma frente agressiva, mas sem abandonar a imagem da marca. O conjunto ótico é Full LED: Faróis, farol de neblina e lanternas.

Já a traseira foi alvo de uma completa reformulação, até por isso mesmo, ponto que gera opiniões diversas, com destaque para o grupo ótico traseiro desenhado em forma de bumerangue, e o escapamento esportivo com saída dupla. O aspecto geral do carro é fantástico, misturando elegância com esportividade, algo que nem sempre consegue ser harmoniosamente integrado num mesmo produto.Lateralmente são visíveis as bonitas rodas aro 17, onde são montados os pneus de medida 215/50 R17. Suas dimensões influenciam nos resultados dinâmicos obtidos e que falaremos um pouco mais á frente. Comprimento de 4,63 metros, largura 2,07 (com retrovisores), altura de 1,433 metros e entre-eixos com 2,70 metros. Terminando nossa observação, os dois espelhos retrovisores com rebatimento elétrico e que têm incorporado o indicador de direção também em LED.  

 

Por dentro a Honda decidiu elevar o nível segurança, conforto e tecnologia oferecida, principalmente nesta versão Touring. Para citar só alguns dos itens que consideramos mais importantes ou de maior destaque estão; Sistema Honda LaneWatch, que ao acionar a seta da direita, abre a imagem do chamado “ponto cego”, visível na tela central TFT de 7 polegadas no cento do painel, essas imagens são conseguidas através da câmera instalada no espelho retrovisor do mesmo lado. O prático botão start/stop, a chave-controle (Smart Key) tem botão para acionamento remoto do motor, e através do sistema Smart Entry basta aproximar do veiculo para abrir ou fechar as portas do Civic. Teto solar, revestimento em couro, parcial ou total, de acordo com as peças, ar-condicionado digital automático Dual Zone, sensor crepuscular (acendimento automático de faróis), sensor de chuva automático (limpador de para-brisa), retrovisor Interno eletrocrômico (antiofuscamento), sensores de estacionamento com alertas visuais e sonoros (dianteiros e traseiros), câmera de marcha a ré multivisão com guias dinâmicas de direção, e sistema Isofix de fixação para cadeirinhas infantis, isto só para citar numa primeira abordagem alguns dos “mimos” disponibilizados pelo Civic.

 

 

Fica evidente também o excelente trabalho de acabamento e integração das peças no interior, este cuidado permitiu um ambiente digno de veículo premium, transmitindo uma sensação de solidez e alto nível de isolamento acústico, fator elogiável e melhorado através do para-brisa também ele com tratamento acústico. Para quem gosta de curtir um som com a merecida qualidade, a Honda instalou um sistema de áudio com 180W de potência, composto por 4 alto-falantes e 4 tweeters.

 

O volante é multifuncional com revestimento em couro e entre muitas funções, um inédito sensor que permite através do deslizamento do dedo aumentar ou diminuir o som.  No volante tem ainda as borboletas (paddle shift) que permitem mudar manualmente as marchas do câmbio CVT de 7 marchas. Junto da alavanca seletora da transmissão fica o freio de estacionamento eletrônico (EPB) com função Brake Hold.

 

Ainda antes de descrevermos as sensações transmitidas pelo veículo em movimento, destacamos nesta versão Touring os 6 airbags (frontais, laterais e de cortina), e para terminar a extensa lista de referências, um fator que é herdado das versões anteriores, o espaço interior disponibilizado. Amplo e muito confortável, o Civic não perde neste quesito para os alemães que são referência, ainda oferecendo amplo porta-malas de 519l (em medição da marca) com botão para acionamento interno da tampa do porta-malas ou através da Smart Key.

A posição de condução é naturalmente baixa, pelas características do modelo, no entanto muito correta, e ajustes no banco do condutor (elétricos) e no volante, em altura e profundidade, deixam o condutor em perfeita harmonia e pronto para poder tirar todo o prazer de dirigir o Civic nesta versão Touring. Sem dúvida que o destaque maior é o novo motor 1.5l Turbo de 173Cv DOHC 16V, comando duplo e Injeção direta. É este o coração valente de um carro que responde de forma pronta desde o inicio, mesmo em faixa de rotações mais baixas. O torque é de 22,4 kgfm a 1700 rpm e o motor exclusivamente a gasolina impressiona pela  capacidade. Realmente elogiável esta opção da Honda por disponibilizar um motor tecnologicamente avançado e de muita eficiência. Lembrar que até então a versão EXL era a referência do modelo com o motor 2.0 flex, mas este novo propulsor é um enorme passo em frente, elástico, nervoso e sempre disponível. Reconhecidamente muito eficiente, a transmissão CVT de 7 marchas é suave, rápida e precisa dependendo do tipo de condução que optamos por realizar.

 

Na rodovia ficamos agradavelmente surpreendidos pelo ótimo trabalho de engenharia na suspensão. Ela é MacPherson na frente e Multi-link na traseira, mas com buchas hidráulicas e barras estabilizadoras conjunto que consegue um equilíbrio perfeito entre, segurança e eficiência em alta velocidade, sem abdicar do necessário conforto em situações mais adversas de piso, não tão incomuns no Brasil.

 

A direção de assistência elétrica, progressiva, com pinhão duplo e relação variável, é coerente com o que dela se espera, precisa em velocidade mais elevada e leve no trânsito urbano ou em manobras na cidade. O Civic se sai muito bem em ambos os cenários, auxiliado por uma série de itens tecnológicos e inteligentes de controle da tração, estabilidade e freada. Por falar em freios eles são de discos ventilados na frente e sólidos atrás, garantindo alta capacidade em frear os 1.326 kg do Honda Civic Touring.

 

Para melhorar os resultados ao nível do consumo, a Honda disponibiliza o chamado sistema ECON que após acionamento altera uma série de parâmetros permitindo mais economia, estimada em cerca de 10 a 15%.

O fantástico motor 1.5 Turbo de 173 cv permitiu consumos em torno dos 12 quilômetros por litro na cidade e 14,3 km/l na rodovia, em resultado estimado pela média do consumo e quilômetros percorridos em cada um dos dois tipos de perfil de deslocamento ao longo do nosso teste.

 

Como resumo de nossa avaliação, o fato de o novo Civic ser uma aposta arriscada da Honda.  Com as versões de entrada, a Sport, EX e EXL vendidas por R$ 87 900,00; R$ 98 400,00 e R$ 105 900,00 respetivamente, a marca tenta manter sua  competitividade na disputa do segmento, em que enfrenta fortes concorrentes como o novo Chevrolet Cruze, e o recém-chegado Toyota Corolla na nova versão.

 

 

Já com a versão testada pela Revista Publiracing, a mais completa das quatro versões, a Honda quer chegar perto dos sedans premium, espaço monopolizado pelas alemãs, Audi, BMW e Mercedes-Benz. Como tecnicamente o Civic 1.5 Turbo Touring nada fica a dever aos modelos inicialmente propostos pelas três marcas referidas, a Honda só precisa convencer seus clientes que ao optarem pelo modelo japonês não vão perder nada em termos de segurança, conforto e até performance, no entanto optam por uma marca que não é denominada premium, residindo ai o principal trabalho dos vendedores nas concessionárias da marca.

 

Como argumento favorável o fato de o Touring ser vendido numa facha de preço que poderíamos considerar intermediária, entre o padrão para os sedans médios vendidos no Brasil, entre R$ 100.000,00 e R$ 110.000,00 e os chamados premium, que são disponibilizados na facha de R$ 140.000,00, o que não deixa de ser algo inédito e inovador. É um risco, sim, mas mercado se ganha com decisões arrojadas, que em determinados momentos podem mudar a história ou até o patamar de um produto. O Honda Civic 1.5 Turbo Touring é Atualmente proposto por R$ 124.990,00

Imagens: Revista Publiracing e Honda ( Internas )

Please reload

November 17, 2019

Please reload

Rádio Sore Rodas
Aleph Bank - Abra agora sua conta