top of page

Mercedes-AMG SL 63 S E Performance, o renovado ícone com 70 anos de história

Mercedes-AMG SL 63 S E Performance, o renovado ícone com 70 anos de história

A Mercedes-Benz Cars & Vans do Brasil apresenta o novo Mercedes-AMG SL 63 S E Performance, mais um produto de sua marca de alta performance equipado com a tecnologia híbrida plug-in criada para a Fórmula 1. O veículo é um ícone da história da marca e combina exclusividade, conforto, luxo e o alto desempenho que só um produto com o DNA Mercedes-AMG pode oferecer. O novo modelo carrega o legado de quase 70 anos criado a partir do 300 SL de 1952, automóvel de corrida e que rapidamente atingiu o status de lenda.


Na longa história de desenvolvimento, desde um automóvel de corrida puro-sangue até um modelo esportivo de luxo conversível, o novo Mercedes-AMG SL agora estabelece mais um marco. Ele combina a esportividade do SL original com o luxo único e a excelência tecnológica que caracterizam os atuais Mercedes-Benz.


O AMG SL 63 utiliza uma arquitetura de construção completamente nova para o modelo conversível de 2+2 lugares, desenvolvida pela Mercedes-AMG. O chassi é projetado como uma estrutura composta de alumínio leve. O design garante máxima rigidez e, portanto, é a base perfeita para dinâmicas de condução precisas, alto conforto e proporções perfeitas para uma carroceria esportiva. A nova estrutura da carroceria foi criada – assim como o primeiro SL em 1952 – literalmente em uma folha de papel em branco: Nenhum componente vem do modelo predecessor ou de qualquer outro modelo existente, como o AMG GT Roadster.


E Performance: Motor de combustão na frente, motor elétrico na traseira

No SL 63 S E Performance, o motor V8 biturbo AMG de 4,0 litros no eixo dianteiro também é combinado com uma unidade de propulsão elétrica no eixo traseiro. Ela integra um motor elétrico síncrono de imã permanente (PSM) de 204 cv com uma transmissão elétrica de duas velocidades e um diferencial mecânico de deslizamento limitado no eixo traseiro.


Mercedes-AMG SL 63 S E Performance, o renovado ícone com 70 anos de história

Mercedes-AMG SL 63 S E Performance, o renovado ícone com 70 anos de história

A bateria leve de alto desempenho também está localizada na traseira, acima do eixo traseiro. O motor elétrico atua diretamente no eixo traseiro e pode, portanto, converter sua potência mais diretamente em propulsão. Isso fornece um impulso extra ao arrancar, acelerar ou ultrapassar. À medida que o deslizamento no eixo traseiro aumenta, a força motriz do motor elétrico também é transferida para as rodas dianteiras, conforme necessário.


A conexão mecânica da tração integral AMG Performance 4MATIC+ totalmente variável torna isso possível através do eixo cardã e dos eixos de transmissão das rodas dianteiras. A posição no eixo traseiro melhora a distribuição de peso e carga do eixo no veículo.


Inspirada na Fórmula 1, desenvolvida em Affalterbach: a bateria AMG High Performance

O desenvolvimento do armazenamento de energia de íons de lítio é inspirado pelas tecnologias comprovadas nos modelos da equipe Mercedes-AMG Petronas F1. A bateria AMG High Performance oferece alto desempenho que pode ser utilizado repetidamente, otimizando o desempenho geral do novo AMG SL 63. Somado a isso, há o rápido consumo de energia e a alta densidade de potência, com uma capacidade de 6,1 kWh e 204 cv de potência máxima.


O carregamento é realizado através do carregador de bordo de 3,7 kW instalado com corrente alternada, seja em uma estação de carregamento, wallbox ou tomada doméstica. A bateria é projetada para entrega rápida de potência e não para o maior alcance. Mesmo com essa característica, os 13 km (método WLTP) de viagem puramente elétrica permitem um raio de operação otimizado para o dia a dia.


A base para o alto desempenho da bateria AMG de 400 volts é o resfriamento direto: um líquido refrigerante de alta tecnologia flui ao redor de todas as 560 células e as resfria individualmente. Cada bateria precisa de uma temperatura definida para entrega de potência ideal. Se o armazenamento de energia ficar muito frio ou muito quente, ele temporariamente perde potência perceptível ou deve ser reduzido para não ser danificado se a temperatura for muito alta. Um controle uniforme da temperatura da bateria tem, portanto, uma influência decisiva no seu desempenho, vida útil e segurança.


Mercedes-AMG SL 63 S E Performance, o renovado ícone com 70 anos de história

Estratégia de operação: potência elétrica sempre disponível

A estratégia básica de operação é derivada do pacote de potência híbrida utilizada pela Mercedes-AMG Petronas Fórmula 1. A potência elétrica pode sempre ser acessada através da alta recuperação e recarga conforme demanda.


Os oito programas de condução AMG DYNAMIC SELECT “Electric”, “Battery Hold”, “Comfort”, “Smoothness”, “Sport”, “Sport+”, “RACE” e “Individual” são precisamente ajustados à nova tecnologia de propulsão. Os programas de condução ajustam parâmetros importantes como a resposta do motor e da transmissão, a característica da direção, a amortecimento do chassi ou o som. Os programas podem ser selecionados usando o display no console central ou as teclas do volante AMG.


O híbrido de alto desempenho geralmente inicia silenciosamente (“Silent Mode”) no programa de condução “Comfort” quando o motor elétrico é ligado. O ícone “Ready” no quadro de instrumentos sinaliza que o veículo está pronto para conduzir. Além disso, um som potente e típico da AMG, é ouvido como feedback acústico, que é irradiado para o interior através dos alto-falantes do veículo.


A recuperação pode ser selecionada em quatro estágios

Como a bateria de alto desempenho está sempre na janela de temperatura ideal de cerca de 45 graus graças ao resfriamento direto, a recuperação também pode ser otimizada. Normalmente, uma bateria aquece muito quando a intensidade de recuperação é alta, então a recuperação de energia deve ser limitada. A recuperação começa quando o motorista retira o pé do acelerador, ou seja, no modo de coasting sem tocar no pedal do freio. Isso carrega a bateria e cria um torque de frenagem. Os freios são protegidos ou, dependendo do nível de recuperação e da situação do tráfego, não precisam ser ativados.


Mercedes-AMG SL 63 S E Performance, o renovado ícone com 70 anos de história

O condutor pode selecionar quatro níveis diferentes de potência de recuperação usando a tecla direita no volante multifuncional AMG. Isso se aplica a todos os programas de condução, exceto para “Smoothness”. No nível mais alto, a chamada condução "one-pedal" é possível. Mais de 100 kW de potência podem ser recuperados para a bateria. Outra vantagem da recuperação é que o veículo não acelera ao descer uma ladeira íngreme e o sistema funciona como um freio.


Aerodinâmica ativa refinada

A aerodinâmica ativa também foi refinada, adaptada à tecnologia de propulsão eletrificada. O elemento aerodinâmico ativo, que está oculto na parte inferior da carroceria, na frente do motor, contribui para um comportamento de condução equilibrado. Este perfil de carbono é um desenvolvimento exclusivo da AMG e protegido por patentes. Ele reage à posição dos programas de condução AMG e se estende automaticamente para baixo em cerca de 40 milímetros a uma velocidade de 80 km/h. Isso cria o chamado efeito Venturi, que suga adicionalmente o veículo para a estrada e reduz a elevação no eixo dianteiro.


Outro componente ativo é o spoiler traseiro extensível integrado de forma contínua na tampa do porta-malas. Ele muda de posição dependendo da condição de condução. A equipe de aerodinâmica da AMG adaptou o software de controle do SL 63 S E Performance para o desempenho superior e modificou vários parâmetros. Eles incluem a velocidade de condução, a aceleração longitudinal e lateral, e a velocidade da direção no cálculo. A partir de velocidades de 80 km/h, o spoiler adota cinco novas posições angulares para otimizar a estabilidade de condução ou reduzir a resistência do ar.


Design exterior com genes esportivos

As duas saliências no capô são apenas uma das muitas referências à primeira geração do SL. O jogo de luz e sombra torna a aparência geral visualmente leve e baixa. Assim, fica claro à primeira vista que o novo AMG SL voltou às suas raízes esportivas.


Características distintas do design da carroceria são a longa distância entre eixos, o capô alongado, o habitáculo recuado com para-brisa fortemente inclinado e a traseira poderosa. Junto com os arcos das rodas esculpidos e as grandes rodas de liga leve de 21 polegadas, eles conferem ao conversível sua aparência poderosa e dinâmica. Quando fechada, a capota de tecido integrada de forma contínua sublinha a impressão purista e esportiva.


Mercedes-AMG SL 63 S E Performance, o renovado ícone com 70 anos de história

A grade do radiador específica da AMG enfatiza o efeito de largura da dianteira e, com suas 14 lâminas verticais, faz referência ao ancestral de todos os modelos SL desde o lendário automóvel de corrida 300 SL de 1952.


A característica exclusiva do novo modelo AMG SL 63 S E Performance é a parte traseira. O que é novo aqui é a tampa de carregamento plug-in integrada e o nome do modelo destacado em vermelho. Há também ponteiras de escapamento duplas trapezoidais com ranhuras. O emblema “E Performance” no para-lama indica a propulsão exclusiva.


Capota de tecido: menos peso e centro de gravidade baixo

O posicionamento mais esportivo do novo AMG SL 63 S E Performance também sugeriu a decisão de optar por uma capota de tecido elétrica em vez do anterior teto variável. A redução de 21 quilos no peso e o consequente centro de gravidade mais baixo têm um efeito positivo na dinâmica de condução. O formato Z, que economiza espaço e peso, possibilita a dispensa da cobertura convencional do compartimento da capota. A capa frontal do teto garante que a capota aberta fique alinhada com a superfície em sua posição final.



Ao mesmo tempo, os desenvolvedores enfrentaram a tarefa de manter a alta adequação ao uso diário e o conforto acústico exemplar. O design de três camadas consiste em uma concha externa firmemente esticada, um forro do teto precisamente confeccionado e a manta acústica feita de material de alta qualidade de 450 g/m² inserida entre as camadas.


Abrir e fechar a capota leva cerca de 15 segundos e é possível ser realizado em uma velocidade de até 60 km/h. A capota é operada usando o painel de controle no console central ou o touchscreen multimídia, no qual uma animação mostra o progresso do processo.

 

Suspensão AMG ACTIVE RIDE CONTROL com estabilização semiativa de rolagem

A suspensão AMG ACTIVE RIDE CONTROL com estabilização semiativa de rolagem é parte do equipamento de série do modelo. Os amortecedores, podem ser ajustados em rebote ou extensão e compressão, também têm elementos hidráulicos interligados semiativos, substituindo a barra estabilizadora convencional. Essa tecnologia permite reduzir os movimentos de rolagem da carroceria e fornecem uma ampla gama de programas de condução. A conexão hidráulica das câmaras dos amortecedores em todas as quatro rodas ocorre através de linhas apropriadas e válvulas de controle dentro dos amortecedores adaptativos.


Direção ativa do eixo traseiro combina agilidade e estabilidade

O AMG SL 63 S E Performance também está equipado eixo traseiro esterçante. Dependendo da velocidade, as rodas traseiras giram na direção oposta (até 2,5° em até 100 km/h) ou na mesma direção (até 0,7° acima de 100 km/h) das rodas dianteiras. O sistema, portanto, permite um comportamento de condução tanto ágil quanto estável.



Essas são características que contrastam entre si sem a direção do eixo traseiro. Outras vantagens incluem o controle mais fácil do veículo no limite e menor esforço de direção, pois a relação da direção das rodas dianteiras é mais direta.


Sistema de freios compostos de alto desempenho AMG em cerâmica

Como parte dos valores de desempenho extremos, o sistema de freios compostos de alto desempenho AMG em cerâmica impressiona com distâncias de frenagem muito curtas, bem como máxima estabilidade e resistência à fadiga sob uso intenso. Ele também marca pontos com sua longa vida útil.


O material leve economiza peso adicional e reduz massas não suspensas. O sistema utiliza pinças fixas de 6 pistões na dianteira e pinças flutuantes de 1 pistão na traseira. Os discos de freio de cerâmica de carbono medem 420 x 40 milímetros no eixo dianteiro e 380 x 32 milímetros no eixo traseiro.


Interior focado no condutor com amplas opções de escolha

O interior do novo Mercedes-AMG SL transforma a tradição do primeiro 300 SL Roadster na era moderna, combinando perfeitamente virtudes esportivas e luxo. Materiais refinados e acabamento meticuloso destacam o padrão de conforto de mais alto nível.



O design do cockpit, até o display central ajustável no console central, é focado no condutor. Ao mesmo tempo, o conceito completamente novo de espaço interior, com assentos 2+2, oferece mais espaço e funcionalidade. Os bancos traseiros aumentam a praticidade diária e oferecem espaço para pessoas de até 1,50 metros de altura.


Um dos muitos destaques no interior são os assentos esportivos AMG ajustáveis eletricamente. Eles combinam bom suporte lateral com alto conforto em longas distâncias.


Sistema multimídia MBUX com displays específicos para híbridos

O sistema multimídia MBUX (Mercedes-Benz User Experience) é intuitivo de usar e capaz de aprender. O modelo contém vários displays e funções específicas da AMG e do híbrido. Itens de menu exclusivos, como “AMG Performance”, sublinham o caráter esportivo. A tecnologia híbrida também pode ser visualizada: gráficos de alta qualidade visualizam o fluxo de energia do sistema de propulsão. A velocidade, potência, torque e temperatura do motor elétrico também podem ser visualizados.


Um ícone mundial

Há quase 70 anos, um automóvel esportivo lançado em Stuttgart tornou-se imediatamente uma lenda. A visão de expandir o potencial da marca Mercedes-Benz por meio do automobilismo de competição produziu o primeiro SL - um carro esportivo de corrida feito para as ruas.



Pouco após sua estreia em 1952, o 300 SL (designação interna W194) colheu sucesso após sucesso nas pistas de corrida do mundo. Em seu primeiro ano, alcançou, entre outras coisas, uma espetacular vitória dupla nas lendárias 24 Horas de Le Mans e até ocupou os quatro primeiros lugares no Grande Prêmio Jubileu do Nürburgring para modelos esportivos.


Seus sucessos rapidamente fizeram do SL uma lenda.

O modelo de sucesso foi seguido em 1954 pelo automóvel esportivo 300 SL (W198), conhecido como "Asa de Gaivota" devido às suas portas incomuns. Em 1999, um júri de jornalistas automobilísticos o elegeu o "Automóvel Esportivo do Século".


Outros destaques da história do modelo incluem o "Pagoda" (W113, 1963-1971), o eterno R107 (1971-1989), que foi produzido por 18 anos, e seu sucessor, o R129, considerado uma escultura automotiva por causa de sua marcante forma em cunha. A abreviação "SL" até hoje representa um dos poucos ícones automotivos genuínos no mundo.

Comentários


350x250.gif
300.250.png
bottom of page