top of page

Falecimento de Antônio Megale deixa setor automotivo brasileiro mais pobre


Falecimento de Antônio Megale deixa setor automotivo brasileiro mais pobre
ANTÔNIO MEGALE (27/01/1957 – 13/10/2023)

Foi com intenso pesar que todos receberam o comunicado da Anfavea, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, comunicando o falecimento de Antônio Megale, que presidiu a entidade de 2016 a 2019. Diretores e colaboradores lamentam profundamente a perda de uma figura tão cativante e tão importante para a história da Associação e do setor automotivo brasileiro.


O PAI DO ROTA 2030

Não é nenhum exagero chamar Antonio Megale, presidente da Anfavea no mandato 2016-2019, de pai do Rota 2030. Ninguém dentro do setor automotivo nacional batalhou mais do que ele para que esta política industrial, fundamental para a previsibilidade e o avanço tecnológico dos veículos nacionais, em vários aspectos, fosse implementada.


Após o fim do programa Inovar-Auto, em 2017, o setor automotivo viveu um hiato, no qual nenhuma política industrial específica esteve em vigor. O anúncio do Rota 2030 foi adiado várias e várias vezes, e não foram poucos os executivos a manifestar sensação de que o novo regime não sairia do papel.


Mas Megale jamais desistiu. Em uma verdadeira maratona de viagens a Brasília, conseguiu explicar ao então presidente, Michel Temer, que “todos os países que têm indústria automotiva forte adotam uma política setorial”. Derrubando todas as barreiras, e para surpresa de muitos, o Rota 2030 foi anunciado oficialmente em julho de 2018 e instituído formalmente em outubro daquele ano, quando Temer assinou, ao lado de Megale, na abertura do Salão do Automóvel, decreto que regulamentava seu funcionamento.


Isso foi possível porque, de maneira extremamente rara, o mineiro Antonio Megale conseguia reunir dois amplos talentos: um nato negociador e expert técnico. Afinal, formou-se em engenharia mecânica pela UFRJ e chegou a diretor de assuntos governamentais da Volkswagen do Brasil, após carreira brilhante em outras empresas, como Chrysler e Renault.


Na área associativa foi também presidente da AEA (Associação Brasileira de Engenharia Automotiva) por dois mandatos seguidos (2011 a 2014) e vice-presidente da Fiesp (2017 a 2021). Em julho de 2022, após praticamente quatro décadas de dedicação ao setor automotivo nacional, anunciou aposentadoria de todas as suas atividades profissionais. Mas quando possível, ainda frequentava eventos do setor automotivo e a sede a Associação, sempre a bordo de seu franco sorriso e afável abraço.


No final do seu mandato como Presidente da nossa entidade, durante um jantar em sua homenagem, Megale disse: “A ANFAVEA foi uma experiência única na minha vida. Desses 16 anos de entidade, levo as melhores lembranças e os melhores amigos. Vou sentir falta de todos vocês”


Neste momento tão difícil, as preces e pensamentos de todos estão com a esposa Maysa e os filhos Bruno e Vitor.

 

Com jornalistas nos dois lados do oceano, informamos que nossos textos contêm expressões e palavras utilizadas tanto no Brasil como em Portugal, de acordo com a origem do conteúdo e o mercado principal a que se destinam.



Comments


350x250.gif
300.250.png
bottom of page