top of page

CPR: Armindo Araújo muito forte no arranque do Rali da Água


A dupla Armindo Araújo/Luís Ramalho (Skoda Fabia RS Rally2) começou da melhor forma o Rali da Água Transibérico Eurocidade Chaves-Verin, penúltima prova do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), ao assumir a liderança, depois de disputadas as duas primeiras classificativas, com uma vantagem de 4.6s face aos britânicos Kris Meeke/Brian Hoy (Hyundai i20 N Rally2), a segunda das quais disputada sob um verdadeiro dilúvio.


“Começámos com calma e muita paciência, de modo a não cometer erros, conseguindo tempos interessantes. No segundo troço chovia bastante e havia enxurradas de água com pedras e terra, mas as afinações do Skoda funcionaram bem”, comentava o primeiro classificado e um dos quatro candidatos ao título.


Entre estes, o segundo mais rápido foi José Pedro Fontes (Citroen C3 Rally2), a 11.7s de Araújo, e que passara por maus momentos no troço designado de Alto Tâmega: “Nunca vi nada assim em tantos anos de ralis. Não havia condições de segurança, mas toda a gente foi colhida de surpresa, com o temporal que surgiu de um momento para o outro…”. Tais condições climatéricas estiveram na origem da desistência de Bernardo Sousa (Citroen C3 Rally2), que era sexto classificado e capotou, sem consequências físicas para ele e o navegador José Janela, numa reta, segundo adiantaram vários pilotos.


Quem também ficou pelo caminho, mas devido a problemas mecânicos, foi Pedro Meireles (Hyundai i20 N Rally2) logo após a segunda classificativa.



“Nunca sofri tanto na vida como neste troço, o pior que já disputei na minha carreira. Logo após o arranque o vidro ficou embaciado, chovia torrencialmente e eu não via nada à frente. Que aflição para chegar ao final…”, contava, por seu turno, Ricardo Teodósio (Hyundai i20 N Rally2), outro dos candidatos ao título, que perdia aí nada menos que 41 segundos para Armindo Araújo e mais de 30 para Fontes. Quando ao líder do CPR, Miguel Correia (Skoda Fabia Rally2 evo), começou por errar na escolha de pneus da primeira classificativa, cedendo duas dezenas de segundos para Araújo e depois do acidente de Bernardo Sousa não deixaria de ser penalizado pelo tempo ponderado atribuído pela direção de prova aos pilotos que se seguiam, na estrada, ao madeirense. “Ainda há muito rali pela frente…”, lembrava o piloto bracarense.


De qualquer modo, a luta pelo título absoluto no CPR, na qual são protagonistas Miguel Correia, José Pedro Fontes, Ricardo Teodósio e Armindo Araújo, está longe de se encontrar decidida, porque além das sete classificativas que restam no sábado, a incerteza das condições climatéricas ainda poderá ditar grandes surpresas.


Hugo Lopes (Peugeot 208 Rally4), na 2RM (duas rodas motrizes) e na Júnior, e Rafael Rego, na FPAK Júnior Team, são os outros líderes de diferentes categorias, mas também por escassas diferenças, pelo que segunda etapa promete emoções fortes até… ao final da tarde deste sábado.


Classificação após PEC 2 (oficiosa)

1º, Armindo Araújo/Luís Ramalho (Skoda Fabia RS Rally2 evo), 18.46.8

2º, Kris Meeke/Brian Hoy (Hyundai i20 N Rally2), a 4.6s

3º, José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroen C3 Rally2), a 11.7

4º, Victor Senra/David Vasquez (Skoda Fabia R5), a 29.7

5º, Ricardo Teodósio/José Teixeira (Hyundai i20 N Rally2), a 45.4

6º, Pedro Almeida/Mário Castro (Skoda Fabia Rally2 evo), a 1.05.3

7º, Miguel Correia/Jorge Carvalho (Skoda Fabia Rally2 evo), a 1.05.4

8º, João Barros/Valter Cardoso (VW Polo GTI R5), a 1.07.7

9º, Paulo Meireles/Marcos Gonçalves (Hyundai i20 N Rally2), a 1.27.1

10º, Hugo Lopes/Tiago Neves (Peugeot 208 Rally4), a 1.48.9


2RM

1º, Hugo Lopes/Tiago Neves (Peugeot 208 Rally4), 20.35.7

2º, Gonçalo Henriques/Gonçalo Cunha (Renault Clio Rally5), a 0.4s

3º, Ricardo Sousa/Luís Marques (Peugeot 208 Rally4), a 6.4

4º, Rafael Cardeira/Luís Boiça (Renault Clio R3T), a 6.6

5º, Ernesto Cunha/Rui Raimundo (Peugeot Rally4), a 9.2


Júnior

1º, Hugo Lopes/Tiago Neves (Peugeot 208 Rally4), 20.35.7

2º, Gonçalo Henriques/Gonçalo Cunha (Renault Clio Rally5), a 0.4s

3º, João Andrade/Pedro Dias da Silva (Peugeot 208 R2), a 31.7

4º, Danny Carreira/Bruno Abreu (Renault Clio Rally5), a 36.1

5º, Guilherme Meireles/Carlos Magalhães (Peugeot 208 Rally4), a 1.02.8


FPAK Júnior Team

1º, Rafael Rego/Inês Veiga, 21.25.6

2º, Pedro Pereira/João Aguiar, a 4.8

3º, Alexandre Cordeiro/Ricardo Camarate, a 30.8

4º, Vítor Matias/André Gaspar, a 1.00.0

5º, João Silva/Diogo Costa, a 1.10.6


HORÁRIO/PROGRAMA



SÁBADO (16 setembro)

Partida do Parque Fechado (Parque de Estacionamento da Lapa) 10h00

Parque de Assistência (Avenida do Estádio – Chaves) 10h04/10h19

PEC 4 – Eurocidade 1 (10,34 km) 10h45

PEC 5 – Cidade de Verin 1 (11, 48 km) 11h40

PEC 6 – Rota Termal 1 (16,74 km) 12h31

Reagrupamento (Parque de Estacionamento da Lapa) 13h17/13h37

Parque de Assistência (Avenida do Estádio – Chaves) 13h41/14h11

PEC 7 – Eurocidade 2 14h37

PEC 8 – Cidade de Verin 2 15h32

Reagrupamento (Soutelinho da Raia) 16h12/17h02

PEC 9 – Rota Termal 2 – POWER STAGE 17h16

PEC 10 – Cidade de Chaves 2 18h04

Pódio final (Centro de Transportes de Chaves) 20h15

 

Com jornalistas nos dois lados do oceano, informamos que nossos textos contêm expressões e palavras utilizadas tanto no Brasil como em Portugal, de acordo com a origem do conteúdo e o mercado principal a que se destinam.


Comments


350x250.gif
300.250.png
bottom of page