top of page

CPR: Alexandre Camacho na geral e José Pedro Fontes no campeonato, vencem na Madeira


CPR: Alexandre Camacho na geral e José Pedro Fontes no campeonato, vencem na Madeira

A dupla José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroen C3 Rally2) sagrou-se, este sábado, vencedora da sexta prova do CPR (Campeonato de Portugal de Ralis), o Rali Vinho da Madeira, revelando-se a mais rápida e consistente, para terminar com uma diferença de 33,1s face ao campeão nacional em título, Armindo Araújo (Skoda Fabia RS Rally2). A nível absoluto, os madeirenses Alexandre Camacho e Pedro Calado, no Skoda Fabia Rally2 evo, somaram o seu sexto triunfo e terceiro consecutivo na competição organizada pelo Club Sports da Madeira, depois de baterem o italiano Giandomenico Basso (Skoda Fabia Rally2 evo) por uma margem de 20,6s, melhorando o recorde de vitórias que já lhes pertencia.


Líder do CPR desde sexta-feira, José Pedro Fontes manteve um bom ritmo e já sem ambições de discutir o primeiro lugar absoluto, centrou-se apenas no campeonato, para somar a sua primeira vitória da temporada. “Foi um excelente resultado e uma ótima operação a nível de CPR no que toca à luta pelo primeiro lugar, pois ainda restam duas provas de asfalto para o termo da época e estamos na disputa de um campeonato que queremos ganhar”, declarou o piloto da Citroen. A discussão do segundo lugar entre Armindo Araújo e Ricardo Teodósio (Hyundai i20 N Rally2) revelou-se interessante e durou toda a etapa. Este último começou na frente, mas antes da pausa de almoço já o seu rival estava na dianteira, para depois confirmar que era mais forte.

CPR: Alexandre Camacho na geral e José Pedro Fontes no campeonato, vencem na Madeira

“No primeiro dia errámos na escolha de pneus, mas hoje e sem problemas fomos aumentando o ritmo, conseguindo bons tempos, o que nos deixa bastante satisfeitos. Foi um rali em crescendo, que nos deixa boas perspetivas para o futuro…”, confessou o campeão nacional em título, ao passo que Teodósio se revelava conformado: “Demos um ‘toque’ na penúltima classificativa e o carro ficou bastante desalinhado. De qualquer modo, o balanço acaba por ser positivo, dado que ganhámos pontos ao nosso adversário direto e creio que estamos no bom caminho”


Embora mais rápido que no primeiro dia, o líder do CPR, Miguel Correia, não logrou recuperar posições, dada a diferença que o distanciava, tanto de Armindo como de Teodósio, mas nem por isso deixou de conservar a primeira posição no campeonato. “Este não é o resultado que esperava, mas continuamos na liderança do CPR. Nada está perdido, mas teremos que trabalhar muito para os dois próximos ralis”, declarou o piloto da Socicorreia.


Pedro Meireles (Hyundai i20 N Rally2) cumpriu o objetivo de rodar e fazer quilómetros na sua primeira prova de asfalto da temporada, bem ao contrário de Bernardo Sousa (Citroen C3 Rally2) que depois de ter batido no primeiro dia e ser penalizado em 2 minutos fez a recuperação possível, conseguindo o “top 10”. Paulo Meireles (Hyundai i20 N Rally2) cumpriu, igualmente, a sua “missão” de adquirir rodagem para as duas provas de asfalto que restam, um pouco à semelhança de Paulo Neto (Skoda Fabia Rally evo), em busca de confiança… depois de duas desistências consecutivas [Rally de Lisboa e Rali de Castelo Branco] por despiste.


No CPR 2RM (duas rodas motrizes), Hugo Lopes (Peugeot 208 Rally4) esteve intocável, dominando de fio a pavio na sua estreia nas classificativas de asfalto madeirenses, para, tranquilamente, levantar o pé na parte final e terminar com uma diferença de 18.6s para o estónio Joosep Nogene (Peugeot 208 Rally4), outra surpresa numa prova bastante competitiva, e assumir o comando do campeonato.

CPR: Alexandre Camacho na geral e José Pedro Fontes no campeonato, vencem na Madeira

E se Ricardo Sousa (Peugeot 208 Rally4), à semelhança de Lopes, também conseguiu, com o terceiro lugar final, um bom resultado a nível de campeonato, a grande reviravolta sucedeu ainda antes de terminada a “ronde” pelas quatro classificativas do dia, quando Kevin Saraiva, que discutia o segundo lugar com Nogene, ficou atravessado numa zona crítica e sem que alguém tivesse avisado o concorrente seguinte (Ernesto Cunha), este acabou por não evitar a colisão. De uma assentada, Saraiva (3º) e Cunha (4º) ficavam pelo caminho, depois de já antes Rafael Cardeira também ter sido forçado a desistir, devido a sobreaquecimento no motor do Renault Clio 3RT. Gonçalo Henriques (Renault Clio Rally4) saltou, deste modo, para a quarta posição final, na frente do ucraniano Anton Korzun (Peugeot 208 Rally4) e de Manuel Pereira (Peugeot 208 Rally4).


Classificação geral final (oficiosa)

1º, Alexandre Camacho/Pedro Calado (Skoda Fabia Rally2 evo), 1.49.32,2

2º, Giandomenico Basso/Lorenzo Granai (Skoda Fabia Rally2 evo), a 20.6s

3º, José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroen C3 Rally2), a 50.4

4º, Simone Campedelli/Tania Canton (Skoda Fabia Rally2 evo), a 1.02.9

5º, Armindo Araújo/Luís Ramalho (Skoda Fabia RS Rally2), a 1.23.5

6º, Diego Ruiloba/Angel Vela (Citroen C3 Rally2), a 1.25.8

7º, Ricardo Teodósio/José Teixeira (Hyundai i20 N Rally2), a 1.42.0

8º, Miguel Correia/Jorge Carvalho (Skoda Fabia Rally2 evo), a 2.41.0

9º, Pedro Meireles/Pedro Alves (Hyundai i20 N Rally2), a 3.39.3

10º, Bernardo Sousa/José Janela (Citroen C3 Rally2), a 4.29.5

11º, Miguel Caires/João Miguel Sousa (Skoda Fabia R5), a 5.03.9

12º, Paulo Meireles/Marcos Gonçalves (Hyundai i20 N Rally2), a 5.07.5

13º, Paulo Neto/Nuno Mota Ribeiro (Skoda Fabia Rally2 evo), a 6.22.5


2RM

1º, Hugo Lopes/Tiago Neves (Peugeot 208 Rally4), 2.01.04.5

2º, Ralf Nogene/Aleks Lesk (Peugeot 208 Rally4), a 18.6s

3º, Ricardo Sousa/Luís Marques (Peugeot 208 Rally4), a 39.8

4º, Gonçalo Henriques/Gonçalo Cunha (Renault Clio Rally4), a 56.6

5º, Anton Karzun/Pavlo Kononov (Peugeot 208 Rally4), a 1.52.1

6º, Manuel Pereira/Pedro Magalhães (Peugeot 208 Rally4), a 5.49.4


CAMPEONATOS


ABSOLUTO

1º, Miguel Correia, 106 pontos

2º, José Pedro Fontes, 98

3º, Ricardo Teodósio, 94

4º, Armindo Araújo, 82

5º, Bernardo Sousa, 59

6º, Kris Meeke, 56

7º, Pedro Meireles, 35

8º, Lucas Simões, 34

9º, Craig Breen, 28

10º, Paulo Meireles, 20

2RM

1º, Hugo Lopes, 88 pontos

2º, Ernesto Cunha, 77,5

3º, Ricardo Sousa, 74

4º, Gonçalo Henriques, 69,5

5º, Hugo Mesquita, 58


A próxima prova (sétima e penúltima) do CPR, de novo em pisos de asfalto, será o Rali da Água Transibérico Eurocidade Chaves-Verin, nos próximos dias 15 e 16 de setembro, na região de Chaves.

 

Com jornalistas nos dois lados do oceano, informamos que nossos textos contêm expressões e palavras utilizadas tanto no Brasil como em Portugal, de acordo com a origem do conteúdo e o mercado principal a que se destinam.


Visite nossa Plataforma de Compra e Venda de Veículos e tenha atendimento com especialistas que vão ajudar você a realizar o melhor negócio



Gostou da matéria? – Saiba que a sua contribuição é muito importante para a realização do nosso trabalho de jornalismo independente e totalmente gratuito. Saiba como apoiar aqui


Para publicidade, apoio ou parcerias na seção #Automobilismo entre em contato através do e-mail: publicidade@revistapubliracing.com.br

Komentar


350x250.gif
300.250.png
bottom of page