top of page

CPM: Hélder Silva domina na Falperra e continua seu reinado no campeonato!


Hélder Silva
Hélder Silva

O vasto e rico plantel do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group deu uma demonstração plena da pujança do CPM JC Group perante milhares de espetadores que viveram os dois dias da 42ª Altice Rampa Internacional da Falperra. A quarta prova da temporada voltou a consagrar Hélder Silva como vencedor absoluto e o bicampeão nacional em título segue invicto em 2023.


O piloto vive aquela que poderá ser a sua melhor forma de sempre, adicionando a esse fator a capacidade competitiva que a sua Osella PA2000 EVO2 PA.30 apresenta, com o protótipo transalpino a revelar ainda um índice de fiabilidade quase perfeito, fruto do trabalho da Power House. Mais rápido em todas as subidas de prova, o poveiro bicampeão nacional venceu com naturalidade e talento, continuando invicto em 2023.


José Correia esteve forte e, a espaços, pareceu que o piloto e patrão da JC Group Racing Team até poderia contrariar Hélder Silva. A sua Norma MC 20 FC apresentou-se na Falperra em pleno e o bracarense foi sempre melhorando as suas marcas, terminando no 2º lugar, a 4 segundos do vencedor.


Num fim-de-semana em que sofreu a bom sofrer, António Rodrigues conquistou mais um pódio absoluto. Mas, não sem ter de percorrer um duro “caminho das pedras”. No sábado, problemas de travões no Silver Car EF10 impediram a “Bala do Douro” de fazer a subida de prova 1. No domingo atacou, foi o 2º melhor na Subida 2 e, na terceira, quando estava ao ataque, sentiu um barulho e levantou o pé, conseguindo mesmo assim dar à NJ Racing mais um pódio a que adicionou a posição de melhor português na prova do Europeu, ao terminar num excelente Top 8, vencendo ainda o Grupo CN/E2-SC 2000.


Já o galego César Rodrigues (Osella P21 Jrb) voltou ao CPM JC Group e, como sempre, revelou muita rapidez, que lhe permitiu assegurar o 4º lugar na geral e nos protótipos.

José Correia
José Correia

Carlos Vieira dominou nos GT

O Top 5 absoluto foi um dos prémios para mais uma exibição magistral de Carlos Vieira. O piloto da Pocargil trouxe à prova internacional bracarense o seu novo Porsche 991.2 GT3 CUP preparado pela Racar, com que está a atacar o título nacional na Velocidade. Extraordinariamente rápido, como sempre, Vieira fez uma utilização magistral do potencial do carro alemão e dominou a Categoria GT de fio a pavio, almejando ainda ser 4º na Categoria 1 e 3º no Grupo 2 do Europeu.


O bracarense Patrick Cunha fez a sua aparição pontual habitual na Falperra e levou, com naturalidade e eficácia o Audi R8 5.2 da Veloso Motorsport ao 2º posto entre os GT, 9º na geral do CPM JC Group, terminando no 3º posto do Grupo 1 na prova do Europeu.

Carlos Vieira
Carlos Vieira

Com um Porsche 991 GT3 CUP manifestamente menos competitivo face às “montadas” dos seus dois adversários pontuais, Vítor Pascoal fez “das tripas coração” e, atacando sempre os 5200 metros do traçado da Falperra no limite das capacidades do seu carro, logrou ser 3º classificado nos GT, o que acabou por representar uma excelente operação para o campeonato, reforçando a liderança, pois Gabriela Correia (Mercedes AMG GT4) e Bernardo Garcia de Castro (Porsche 997 GT3 CUP) terminaram atrás de si, em 4º e 5º, respetivamente, perdendo pontos para o campeão em título. Pascoal foi ainda 10º da geral do CPM JC Group.

Luís Delgado
Luís Delgado

Delgado continua imbatível nos Turismos

Rampa após rampa, a luta até pode ter protagonistas diferentes, mas a outorga da taça que premeia o vencedor na Categoria Turismos tem ido parar às mesmas mãos. Luís Delgado domina sempre a tabela de tempos, subida após subida, prova após prova, sendo claro que o flaviense tem sido capaz de impor entre os Turismos a enorme competitividade do Cupra Competicion TCR de última geração adquirido pela Nunes Sport. Com esta 4ª vitória consecutiva na Falperra, o título nacional da categoria está a um pequeno passo. O flaviense foi ainda 8º da geral.


Prova de fino recorte foi a que Paulo Silva alcançou. O bracarense do Audi RS3 LMS TCR da PDauto está cada vez mais rápido e, em casa, levou o carro alemão ao 2º lugar da categoria e da Divisão 2. Aqui, o 3º lugar foi reclamado pelo Fiat Abarth 500 de António Veloso, com o piloto da Veloso Motorsport a suplantar alguns problemas que sentiu no sábado.


Parcídio Summavielle continua a construir a melhor época da sua carreira. O “Bisturi de Fafe” ostenta uma cumplicidade total com o Renault Clio RS R3 da MNE Sport, extraindo todo o tremendo potencial do carro francês. Foi 3º absoluto entre os Turismos e assinou a sua terceira vitória da temporada na Divisão 1, palco onde foi secundado pelos bracarenses Sérgio Nogueira e Roberto Meira, ambos em Renault Clio RS.


Mas voltemos a dissecar o Top 10 para distribuir aplausos para Nuno Caetano. Cada vez mais seguro com a Osella PA21S da Power House, o eclético piloto foi 6º classificado, na frente de Nuno Guimarães (Silver Car S2). O “Capitão da Montanha” não só foi 7º, mas também deu seguimento à sua invencibilidade na Divisão Protótipos B, contenda onde contribuiu para mais uma “dobradinha” da NJ Racing, pois Nuno Pinto (ADR Sport II) garantiu aí o 2º posto, na frente de Victor Bessa, num PRM FC.

Luís Nunes
Luís Nunes

Super Challenge: o feudo de Luís Nunes

Luís Nunes voltou a não ter qualquer dificuldade em impor o Skoda Fabia R5 da Nunes Sport na Categoria Super Challenge.


Na Falperra, o “Foguete de Valpaços”, concluiu com uns impressionantes 20,2 segundos de vantagem sobre Bruno Carvalho (Citroen Saxo) e 22,2 em relação ao 23º classificado, Luís Silva, no BMW M3 da Famaconcret.


Nunes venceu também, naturalmente, o grupo Super Challenge A, aqui na frente do bracarense Manuel Rocha e Sousa que, na prova caseira, estreou um impressionante Ford Focus Supercar, sendo visível que o piloto do Grupo TDS ainda está a aprender o carro, com este a revelar um enorme potencial. Outro Supercar assegurou o 3º posto. No caso, o Skoda Fabia da Diatosta, tripulado por José Lameiro. O aveirense, outrora bicampeão nacional de Ralicross, está cada vez mais adaptado à Montanha.


Nos Super Challenge B, vitória tranquila de Tiago Pinto, mercê de uma regularidade impressionante aos comandos do seu Peugeot 106.

Nuno Guimarães
Nuno Guimarães

Quanto a Bruno Carvalho, o piloto da LX Sport foi o mais forte nos Super Challenge C, cujo pódio incluiu mais dois pilotos muito rápidos. Alberto Pereira regressou para colocar o seu Honda Civic Type R num excelente 2º posto, enquanto o jovem Miguel Matos assegurava com o Peugeot 106 Maxi da RG Motores o 3º lugar, mesmo tendo sofrido com problemas técnicos ao longo do fim-de-semana.


Nos Super Challenge D, assistiu-se a uma batalha que colocou no pódio 3 BMW M3, com Luís Silva a ser o mais forte. O “Canhão de Famalicão” trata por tu a máquina bávara, mas começa a ter muito perto o bracarense Rui Pinheiro. Este, outrora conhecido como o “Rei das Super Especiais”, está muito rápido e foi premiado com o 2º lugar, cabendo a João Pires reclamar o 3º lugar, que foi fruto de mais uma sólida exibição do montalegrense.


Uma palavra para Ricardo Gomes. O bracarense trouxe à Falperra o monolugar Signatech F4 e, correndo sozinho na Taça de Monolugares de Montanha JC Group, focou-se nos tempos à geral, rodando na primeira parte do pelotão.

António Rodrigues
António Rodrigues
 

Com jornalistas nos dois lados do oceano, informamos que nossos textos contêm expressões e palavras utilizadas tanto no Brasil como em Portugal, de acordo com a origem do conteúdo e o mercado principal a que se destinam.


Visite nossa Plataforma de Compra e Venda de Veículos e tenha atendimento com especialistas que vão ajudar você a realizar o melhor negócio



Gostou da matéria? – Saiba que a sua contribuição é muito importante para a realização do nosso trabalho de jornalismo independente e totalmente gratuito. Saiba como apoiar aqui


Para publicidade, apoio ou parcerias na seção #Automobilismo entre em contato através do e-mail: publicidade@revistapubliracing.com.br

350x250.gif
300.250.png
bottom of page