top of page

Aviação: Crescimento do transporte aéreo de carga continua, mas em ritmo mais lento


A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA - International Air Transport Association) divulgou os resultados dos mercados globais do transporte aéreo de carga de janeiro de 2022, mostrando um crescimento mais lento em janeiro de 2022. Fatores como interrupções na cadeia de suprimentos, restrições de capacidade e deterioração das condições econômicas do setor reduziram a demanda.


“O crescimento de 2,7% da demanda em janeiro ficou abaixo do esperado, após o aumento de 9,3% registrado em dezembro. Isso provavelmente indica mudança para a taxa de crescimento mais normal de 4,9% esperada para este ano. No entanto, no futuro próximo, os mercados de carga podem ser afetados pelo conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Fatores como mudanças relacionadas a sanções na atividade econômica e na manufatura, aumento dos preços do petróleo e incerteza geopolítica estão agitando o setor. A capacidade deve sofrer pressão ainda maior e as taxas provavelmente aumentarão. Mas ainda é muito cedo para prever até que ponto isso deve ocorrer”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.


Conflito Rússia-Ucrânia

O conflito entre a Rússia e a Ucrânia terá um impacto negativo no transporte aéreo de carga. O fechamento do espaço aéreo interromperá a conectividade direta a muitos mercados ligados à Rússia. No geral, espera-se que o impacto nos mercados globais seja baixo, pois a carga transportada de/para/dentro da Rússia representou apenas 0,6% da carga aérea global em 2021. Várias transportadoras de carga especializadas estão registradas na Rússia e na Ucrânia, incluindo aquelas que realizam operações de transporte pesado.


Desempenho por região em janeiro de 2022


As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico relataram aumento de 4,9% no volume de carga aérea em janeiro de 2022 em relação ao mesmo mês de 2021, resultado significativamente abaixo do aumento de 12,0% registrado no mês anterior. A capacidade disponível na região aumentou 11,4% em relação a janeiro de 2021, mas permanece muito limitada em relação aos níveis pré-COVID-19, com queda de 15,4% em relação a 2019. A política de tolerância zero contra a COVID-19 na China continental e Hong Kong está afetando o desempenho. Os preparativos para o feriado do Ano Novo Lunar também podem ter afetado os volumes, mas é difícil dizer com precisão.


As transportadoras da América do Norte registraram queda de 1,2% no volume decarga aérea em janeiro de 2022 em relação a janeiro de 2021, resultado muito abaixo do desempenho de dezembro (7,7%). O congestionamento na cadeia de suprimentos devido à escassez de mão de obra, inverno rigoroso e problemas com a implementação da rede 5G, além do aumento da inflação e o enfraquecimento das condições econômicas, afetaram o crescimento. A capacidade aumentou 8,7% em relação a janeiro de 2021.


As transportadoras da Europa relataram aumento de 7,0% no volume de carga aérea em janeiro de 2022 em relação ao mesmo mês de 2021. Embora esse aumento tenha sido menor que no mês anterior (10,6%), a Europa foi mais resiliente do que a maioria das outras regiões. As transportadoras europeias se beneficiaram da atividade econômica robusta da região e da flexibilização da capacidade. A capacidade aumentou 18,8% em janeiro de 2022 em relação a janeiro de 2021 e caiu 8,1% em relação aos níveis pré-crise (2019).


As transportadoras do Oriente Médio registraram queda de 4,6% no volume de carga aérea em janeiro de 2022. Esse foi o desempenho mais fraco entre todas as regiões, com queda no desempenho em relação ao mês anterior (2,2%). Isso ocorreu devido a uma deterioração no tráfego em várias rotas importantes, como Oriente Médio-Ásia e Oriente Médio-América do Norte. A capacidade aumentou 6,2% em relação a janeiro de 2021, mas permanece restrita em relação aos níveis pré-COVID-19, com queda de 11,8% em relação ao mesmo mês de 2019.



As transportadoras da América Latina relataram aumento de 11,9% no volume de carga aérea em janeiro de 2022 em comparação com o mesmo período de 2021, resultado abaixo do desempenho registrado no mês anterior (19,4%). A capacidade caiu 12,9% em janeiro em relação ao mesmo mês de 2021 e permanece bem abaixo dos níveis pré-COVID-19, com queda de 28,9% em relação a 2019.


As companhias aéreas da África registraram aumento de 12,4% no volume de carga em janeiro de 2022 em comparação com janeiro de 2021. A região apresentou o melhor desemprenho entre todas as regiões. A capacidade ficou 13,0% acima dos níveis de janeiro de 2021.


 

Visite nossa Plataforma de Compra e Venda de Veículos e tenha atendimento com especialistas que vão ajudar você a realizar o melhor negócio



 

Gostou da matéria? – Saiba que a sua contribuição é muito importante para a realização do nosso trabalho de jornalismo independente.


Utilize a chave PIX - comercial@revistapubliracing.com.br e seja nosso parceiro -

O valor, você escolhe!


Conta Jurídica: (ARTUR JORGE SEMEDO, EDIÇÃO DE JORNAIS E REVISTAS).

Se preferir outra forma de contribuição (cartões), acesse aqui


Para publicidade, apoio ou parcerias na seção Aviação entre em contato através do e-mail: publicidade@revistapubliracing.com.br

Comments


350x250.gif
300.250.png
bottom of page