top of page

ANFAC mostra muita preocupação quanto ao futuro do setor automotivo na Espanha


ANFAC mostra muita preocupação quanto ao futuro do setor automotivo na Espanha

A Associação Espanhola de Fabricantes de Automóveis e Caminhões (ANFAC) apresentou o Roteiro 2023-25, através do presidente da associação, Wayne Griffiths, e do diretor geral, José López -Tafall. Um conjunto de medidas urgentes foram sugeridas para serem desenvolvidas entre 2023 e 2025, sem as quais as metas de redução de emissões não serão alcançadas nem o futuro industrial da indústria automóvel espanhola estará garantido.


O evento reuniu os principais executivos das marcas que integram a Diretoria da ANFAC, para exemplificar a união do setor e a urgência em atender as medidas solicitadas no Roteiro 2023-25.


Durante o evento, o presidente da ANFAC alertou para a situação complexa que o setor automotivo está passando com a redução tanto no registro de novos veículos como na produção, “2022 foi um ano muito difícil para o setor automotivo na Espanha. Pelo terceiro ano consecutivo, os dados de produção e mercado estão bem abaixo das expectativas. Essa situação é muito negativa, e o setor não pode continuar assim”.


Wayne Griffiths, lembrou que o setor automóvel gera 10% do PIB nacional espanhol e dá emprego em toda a cadeia de valor a cerca de dois milhões de pessoas. Por isso, destacou a preocupação do setor como um todo e a necessidade de agir imediatamente:

“Nos últimos três anos perdemos a venda de um milhão de carros novos de passageiros. São dados muito preocupantes que colocam em risco o nosso futuro enquanto indústria e país líder na Europa”.


A EUROPA ESTÁ DIVIDIDA EM DOIS MUNDOS QUANTO À ELETRIFICAÇÃO

Durante o ano de 2022, o mercado espanhol atingiu as 78.239 unidades de automóveis de passageiros eletrificados (PHEV+BEV) vendidas, valor que está longe da meta de 120.000 automóveis de passageiros necessários para atingir a meta de redução de emissões exigida.


O presidente da ANFAC apontou neste contexto que a eletrificação na Espanha não está atingindo o ritmo ou volume necessário e destacou a diferença em relação a outros países europeus,

“a Europa está se dividindo em duas, e a Espanha está ficando cada vez mais atrás dos países líderes . Países como a Alemanha ou Portugal já ultrapassam a média europeia, com uma quota de mercado eletrificada superior a 20%, enquanto a Espanha mal chega aos 9%.


Da mesma forma, Griffiths destacou o envelhecimento progressivo da frota automóvel espanhola, que tem agora uma média de 14 anos, dificultando tanto o cumprimento das metas de redução de emissões como o progresso em termos de segurança rodoviária.

“Estamos quebrando o duplo roteiro que aspiramos alcançar: 0 emissões e 0 acidentes. E a nossa preocupação é que se não agirmos agora esse cenário vai piorar. Temos que agir agora, nos anos de 2023 a 2025. Ou fazemos alguma coisa, ou com certeza ficaremos para trás.
 

Com jornalistas nos dois lados do oceano, informamos que nossos textos contêm expressões e palavras utilizadas tanto no Brasil como em Portugal, de acordo com a origem do conteúdo e o mercado principal a que se destinam.


Visite nossa Plataforma de Compra e Venda de Veículos e tenha atendimento com especialistas que vão ajudar você a realizar o melhor negócio



Gostou da matéria? – Saiba que a sua contribuição é muito importante para a realização do nosso trabalho de jornalismo independente e totalmente gratuito.


Para publicidade, apoio ou parcerias na seção #Automóveis entre em contato através do e-mail: publicidade@revistapubliracing.com.br

Comments


350x250.gif
300.250.png
bottom of page