• Artur Semedo / Revista Publiracing e-mail:

Lançamento: Conjunto mecânico e tecnologia deixam a nova geração do HB20 como referência no segmento


A Hyundai reservou o dia 16 de Setembro para a apresentação da nova geração do seu modelo HB20. Nas versões Hatch, Sedan e o aventureiro X, a novidade foi divulgada em evento realizado na Bahia e para o qual fui gentilmente convidado pela marca.

Além das novidades no design, que como qualquer grande transformação, e em qualquer área da vida, é ainda alvo de controvérsia, no entanto, a marca apresentou também as novidades em termos mecânicos, tecnológicos, divulgou lista de versões e seus preços.

Também tive a oportunidade de dirigir ambas as versões, de dois e três volumes, em percurso de cerca de 90 quilômetros, além de um circuito preparado pela Hyundai numa pista de aviação local, onde podemos extrair em total segurança toda a capacidade da versão topo de linha do Hatch.

Tudo para ter uma ideia do que público vai receber brevemente nas concessionárias da marca, deixando neste curto texto minha opinião sobre o proveitoso contato com o modelo.

Em termos estéticos a Hyundai tinha uma tarefa bem difícil, afinal a anterior geração do HB20 foi tão inovadora em seu tempo, que se lançada hoje, ainda seria um veículo bem atual. Com isso a tarefa não era fácil, e a área de design da marca optou por mais uma vez romper barreiras ao inovar, em resultado, que, no entanto, só o tempo dirá se foi ou não uma aposta ganha. Com linhas que sem dúvida espelham a atual imagem de marca da Hyundai, ele é bem mais atraente ao vivo, e em ambas as versões houve crescimento de suas dimensões, com ganho de espaço no interior, e com a versão sedan a ser o expoente máximo dos traços elegantes que sempre associamos a marca.

Já em termos mecânicos o destaque vai inteirinho para o novo motor 1.0 de três cilindros, turbo GDI de tecnologia Flex, e que entrega 120 cv de potencia para ambos os combustíveis, com torque de 19,5 kgfm nas inicias 1.500 rpm. Esta mecânica trabalha em conectada com a transmissão automática de 6 marchas de trocas sequenciais, em conjunto mecânico disponibilizado nas versões topo de linha do Hatch e do Sedan.

O motor de cabeçote e bloco em alumínio é ágil e de retomadas bem interessantes, com resultados também bem positivos em nosso teste de estrada, onde praticamente todos os quesitos que tivemos oportunidade de avaliar deixaram boas impressões. Em termos de consumo, deu para observar que chega uma evolução no segmento, onde motores cada vez menores, mas de maior capacidade, elevam a diversão, diminuindo o consumo de combustível. Já a suspensão evoluiu claramente em relação à geração anterior, agora mais equilibrada, absorvendo as irregularidades das estradas locais, mantendo um bom nível de conforto, mas sem prejudicar a estabilidade e eficiência em ambas as versões.

A direção elétrica progressiva mantem o nível elevado do pacote, com reações corretas e precisas, ajudando a ter o HB20 sempre na mão. Para ajudar na segurança e domínio do modelo os sistemas de controle e auxilio de tração e estabilidade, elevam o nível de segurança do modelo. Já que falamos em segurança uma palavra para os freios, que apesar de ser de tambor nas rodas traseiras em todas as versões, a qualidade do conjunto é interessante transmitindo segurança em praticamente todas as situações extremas a que levamos o HB20.

Ainda merecendo destaque, e também só disponível nas versões topo de linha testadas, o sistema de alerta de mudança de faixa, que deixa exposta a qualidade das tecnologias utilizadas pela marca. O sistema supera veículos de segmentos bem superiores ao conseguir identificar, não linhas, mas apenas alterações no tom do asfalto, e alertando quando virtualmente ultrapassamos a faixa do acostamento a direita, por exemplo, tecnologia que nos impressionou pela qualidade e capacidade, com isso deixando o HB20 num patamar técnico bem elevado em relação a segurança.

No interior o destaque é o espaço generoso, mais amplo em ambas as versões, o bom acabamento e boa integração das peças utilizadas no habitáculo, e o posicionamento elevado e correto da nova central multimídia. Nas versões topo de linha contamos ainda com as borboletas para troca de marcha atrás do volante.

Com uma vasta lista de versões (10 no Hatch e 7 no sedan) sem esquecer o aventureiro X, que para já é disponibilizado apenas com motorização 1.6, a nova geração do HB20 oferece três motorizações, 1.0, 1.0 Turbo GDI e 1.6, câmbio manual de cinco marchas ou automático de seis velocidades, e vários níveis de oferta de equipamento, em versões que variam no Hatch entre os R$ 46.490 da inicial Sense, até a Diamond/Plus com preço sugerido de R$ 77.990.

Já no HB20s a versão de entrada, a Vision, tem preço anunciado de R$ 55.390 com a Diamond/Plus a custar R$ 81.290. O irreverente HB20x tem preço inicial de R$ 62.990 (são 4 versões de acabamento) e vai até R$ 79.590.

Com isso fica evidente que a Hyundai se preocupou em chegar a diversos perfis de consumidor e carteira, entregando uma proposta tecnicamente muito interessante, capaz de agradar aos mais conectados, a quem privilegia o conforto, ou para quem a agilidade é fundamental. Em termos mecânicos consideramos mesmo que o HB20 passará a ser a referência em termos técnicos no segmento.

A Hyundai preparou muito bem o ataque ao Onix , e o tempo será responsável por mostrar como o público vai reagir às mudanças, como será a aceitação, ou não, do novo design do modelo, isso numa avaliação mais subjetiva da questão, no entanto em questões mais exatas, como a mecânica e tecnologia que é agora disponibilizada no modelo, o passo em frente foi grande, e quem ganha com isso é o público.

Nas próximas semanas iremos apresentar o teste completa as diversas versões do modelo, que, para já, deixou ótimas impressões, apresentando argumentos para olhar de frente a concorrência.

Para publicidade, patrocínio ou parcerias na seção Avaliações/Testes entre em contato através do e-mail: publicidade@revistapubliracing.com.br

#HYUNDAI #HYUNDAIHB20 #LANÇAMENTOS #TESTEAVALIAÇÃO #OPINIÃO