• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Volumes de carga aérea continuam baixos em maio


A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA - International Air Transport Association) divulgou os dados sobre os mercados globais de transporte aéreo de carga, mostrando que a demanda, medida em toneladas de carga por quilômetro (FTKs), caiu 3,4% em maio de 2019 em relação a maio de 2018. Este resultado foi um pouco melhor do que a redução de 5,6% de abril de 2019.

Com ajuste sazonal, o nível de FTKs teve aumento modesto pelo terceiro mês consecutivo, sugerindo que a menor baixa desse ciclo pode ter ficado para trás, embora o mercado continue fraco.

A capacidade de transporte de carga, medida em toneladas de carga disponível por quilômetro (AFTKs), aumentou 1,3% em maio de 2019 na comparação com o mesmo período do ano passado. O aumento da capacidade superou o aumento da demanda nos últimos 13 meses.

A demanda por carga aérea tem apresentado volumes muito baixos de comércio global e tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China. Isso contribuiu para redução de novos pedidos de exportação. O indicador de novos pedidos de exportação de manufatura, que compõe o Índice de Gerentes de Compras (PMI) global, mostra redução nos pedidos desde setembro de 2018.

"Em maio, ficou claro o impacto da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China no volume de carga aérea. A demanda anual caiu 3,4%, evidência do dano econômico que ocorre quando são erguidas barreiras ao comércio. Esforços contínuos devem ser dedicados para aliviar as tensões comerciais em paralelo à reunião do G20. Mas mesmo que esses esforços sejam bem-sucedidos no curto prazo, levará tempo para que a confiança nos negócios e o comércio voltem a crescer. O ambiente de negócios deve continuar difícil para o transporte aéreo de carga", disse Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA.

Desempenho por região

As companhias aéreas da Ásia-Pacífico e do Oriente Médio sofreram quedas acentuadas no crescimento anual no volume total de carga aérea em maio de 2019, enquanto a América do Norte e a Europa apresentaram quedas moderadas. A África e a América Latina registraram crescimento na demanda por carga aérea em comparação a maio do ano passado.

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico apresentaram queda de 6,4% na demanda por carga aérea em maio de 2019 em comparação com o mesmo período de 2018. A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China e as condições de enfraquecimento da manufatura para os exportadores da região afetaram o mercado de maneira significativa. Como a região é responsável por mais de 35% do total de FTKs, esse desempenho é o principal fator do fraco resultado do setor. A capacidade de carga aérea aumentou 0,3% em relação ao ano passado.

As companhias aéreas da América do Norte registraram redução de 1,6% na demanda em maio de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado. A capacidade aumentou 1,4% em relação ao ano passado. O recente recuo no crescimento pode ser parcialmente atribuído à queda nos volumes de comércio global e às tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China. Os FTKs internacionais entre a Ásia e a América do Norte caíram quase 8% em relação ao ano passado.

As companhias aéreas da Europa registraram queda de 0,2% na demanda por carga aérea em maio de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado. Este índice é bem melhor do que a redução de 6,9% registrada no mês passado. As condições de enfraquecimento para os exportadores da Alemanha, as indicações de uma desaceleração na economia regional e a incerteza crescente sobre o Brexit afetaram o desempenho recente. A capacidade aumentou 2,5% em relação ao ano passado.

As companhias aéreas do Oriente Médio apresentaram queda de 6,9% nos volumes de carga aérea em maio de 2019 em relação a maio de 2018. A capacidade diminuiu 1,6%. Uma clara tendência de queda na demanda por carga aérea internacional com ajuste sazonal ficou ainda mais evidente com o enfraquecimento dos volumes de carga aérea entre essa região e a América do Norte e entre essa região e a Ásia-Pacífico, contribuindo para um desempenho moderado. Mais uma vez, esses fluxos refletem a fraqueza mais ampla nos volumes do comércio global, além do impacto da reestruturação dos modelos de negócios das companhias aéreas atualmente em andamento na região.

As companhias aéreas da América Latina apresentaram aumento de 2,7% no crescimento da demanda por carga aérea em maio de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado. A capacidade aumentou 6,6%. Com os FTKs internacionais caindo 0,5% no mesmo período, esse aumento é reflexo do desempenho saudável dos mercados domésticos de carga aérea da região.

As companhias aéreas da África registaram em maio de 2019 o maior aumento da demanda por carga aérea entre todas as regiões: 8,0% em relação ao mesmo período do ano passado. Esse resultado continua a tendência de alta de FTKs, observada desde meados de 2018. Com isso, essa região apresentou o melhor desempenho pelo terceiro mês consecutivo. A capacidade aumentou 13,4% em relação ao ano passado. O fortalecimento dos investimentos e das relações comerciais com a Ásia trouxe um aumento de dois dígitos nos volumes de carga aérea entre essas duas regiões durante o ano passado.

Significados dos termos de medição:

FTK: toneladas de carga por quilômetro, que mede o tráfego de carga real.

AFTK: toneladas de carga disponível por quilômetro, que mede a capacidade de carga total disponível.

FLF: o fator de carga é uma percentagem do valor de AFTK utilizado.

Os dados estatísticos da IATA se referem ao transporte aéreo de carga doméstico e internacional programado das companhias aéreas membros ou não membros da IATA.

Participações no mercado de transporte de carga por região em termos de FTK: Ásia-Pacífico 35,5%, Europa 23,3%, América do Norte 23,6%, Oriente Médio 13,3%, América Latina 2,6%, África 1,7%.

#AVIAÇÃO #CARGA #TRANSPORTE #IATA

Laja Revista Publiracing