• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Avaliação: Toyota Yaris, o pragmático veículo que vem conquistando o brasileiro


Sem dúvida que um dos lançamentos mais aguardados para o Brasil em 2018 era o do Toyota Yaris. O desempenho do modelo lá fora, o design moderno, e ainda a habitual qualidade e confiabilidade mecânica dos produtos da marca japonesa, eram apenas algumas das razões para essa expectativa.

No primeiro breve contato com o modelo, ficou visível o equilíbrio da proposta no Brasil, obviamente distante do modelo oferecido lá fora, mas incorporando um pacote de soluções mais próximas da nossa realidade e expondo a habitual praticidade da marca japonesa em seus produtos.

Mas para conhecer melhor o Yaris, recebemos para um teste mais longo o Yaris Sedã na versão XL Plus Tech. Ao falar das versões que estão inicialmente disponíveis, o destaque vai para uma variedade que começa na versão manual do XL, com preço sugerido de R$ 63.990, passando pela versão com câmbio automático e sugerida por R$ 68.740, e a versão testada por nós, XL Plus Tech, vendida por R$ 74.990. A Toyota ainda disponibiliza a versão XS por R$ 78.490, e a versão topo de linha XLS, com preço nas concessionárias de 81.990.

Como o Yaris chegou para se posicionar entre o pequeno Etios e o sedã médio Corolla, a Toyota, de forma muito correta e inteligente, retirou as versões mais caras do Etios e a mais barata do Corolla, afinal seus preços ficariam conflitantes com as opções da nova proposta.

Com isso ficou mais “organizada” a tabela das versões e modelos da Toyota no Brasil. O Etios como pequeno veículo de entrada, o Yaris ocupando agora o espaço como compacto de posicionamento intermédio, e o Corolla, como seu histórico sedã médio. Tudo bem claro, principalmente para os clientes.

Como referido anteriormente, nosso primeiro teste de longa duração foi com o Yaris sedã XL Plus Tech, uma experiência que passamos agora a descrever. Fica claro que o Yaris reflete a imagem da marca da montadora, principalmente na frente. O design é moderno, de curvas elegantes, transmitindo imediata sensação de amplitude. A grade frontal de grandes dimensões fica integrada de forma muito correta no para-choques frontal, harmonizando com as molduras dos faróis de neblina, peças também elas na cor preta. A frente não esconde que estamos falando de um Toyota.

Já que referimos que o Yaris tem aspecto amplo, momento para uma breve pausa na descrição e deixar suas principais dimensões: Comprimento 4.425 mm, largura 1.730 mm, altura 1.490 mm e entre-eixos 2.550 mm.

Voltando para a nossa observação externa, os faróis têm acendimento automático, ajuste de altura e função "Siga-me", e os espelhos retrovisores externos são elétricos e na cor do carro, e com sinalizador de mudança de direção integrado. Nesta versão as maçanetas externas são na cor do veículo, e o para-choques traseiro, assim como o dianteiro também é na cor da carroceria.

A traseira também foi esteticamente muito bem trabalhada, e com um grupo ótico que chama a atenção pela elegância e sua integração na carroceria.

Para terminar nossa observação externa destaque ainda para as rodas de liga leve 15" com acabamento na cor prata.

Acessando ao interior através do sistema de destravamento das portas por sensores nas chaves, é notório o habitual pragmatismo da Toyota, que parece ter a certeza que seu cliente busca muito mais a confiabilidade e qualidade mecânica de seus produtos, do que propriamente um interior muito sofisticado.

No entanto, algumas características são muito interessantes, e importantes, como por exemplo, o generoso espaço interno, em amplitude extensível ao porta-malas, que disponibiliza 473 litros. Como é habitual na Toyota as peças são muito bem integradas, apesar da utilização de plástico rígido, transmitindo a sensação de interior sólido e sem muitos ruídos preocupantes. O isolamento acústico é dentro do padrão para o segmento, e só quando o giro do motor sobe bastante para então sentir a intromissão do som em níveis mais incômodos no habitáculo.

O interior de um modo geral é bem moderno, com estética agradável e painel de instrumentos igualmente atraente. Ele tem fundo azul e possui uma tela colorida no lado direito com diversas informações.

As maçanetas internas, assim como as saídas de ar têm acabamento na cor prata. O ar-condicionado é automático e a central multimídia é a chamada Play+, de tela sensível ao toque com 7", sistema de áudio com AM/FM, função MP3, entrada USB (no console central), Bluetooth e conexão para smartphones e tablets por meio do espelhamento. O som é distribuído por quatro alto-falantes e dois tweeters.

Ainda no interior destacamos o sistema universal Isofix para fixação de cadeirinhas com Top Tether.

Antes de sairmos da garagem para descobrir as reações do Yaris, hora de listar alguns dos itens de segurança que fazem parte do pacote do XL Plus Tech. O conjunto de airbag vem apenas com os básicos frontais (dois) para motorista e passageiro, controle eletrônico de estabilidade veicular (VSC) e controle eletrônico de tração (TRC), freios ABS com BAS e EBD, e sistema de assistência ao arranque em subida (HAC).

Através do botão start/stop do motor, sem chave, damos partida ao motor, transversal, quatro cilindros, de 1.496 cm³, 16 válvulas, e com comando duplo variável. Este motor Flex é o mesmo que equipa o Etios, e isso por si só não é um ponto negativo. Apesar de podermos pensar que carro novo mereceria uma mecânica nova, relembramos que o conjunto mecânico do Etios sempre foi sua principal virtude, qualidade repetida várias vezes em nossos testes, e por isso mesmo a Toyota optou por manter esta opção já consolidada.

Este motor entrega 105 e 110 cv a 5.600 rpm, com gasolina ou etanol respetivamente, e torque de 14,3 e 14,9 kgfm respetivamente, a 4.750 rpm, e de acordo com a escolha de combustível. Para o casamento perfeito, a marca optou pela utilização do ótimo câmbio CVT que simula sete marchas, e que entrega agilidade para respostas rápidas na cidade, da mesma forma que é elástico em estrada, permitindo velocidades maiores em baixas rotações, o que acaba por refletir-se na economia de combustível.

Com isso antecipamos nosso raciocínio final, em que referimos que apesar da opção por um conjunto mecânico que não é novo, a aposta foi por uma solução consolidada, eficiente e muito interessante. Além disso, nosso Yaris é um veículo de tração dianteira que se articula muito bem com as ruas da cidade. De suspensão equilibrada, ela é independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira com barra estabilizadora. Sem ser excessivamente macia, conseguimos perceber capacidade para entregar conforto no dia a dia da cidade, mas sem perder a necessária eficiência em estrada, garantindo a estabilidade e dirigibilidade em níveis adequados para o segmento.

Outra questão muito importante são os freios, que no caso da nossa versão são de discos sólidos na dianteira e tambores na traseira. Com ABS, eles garantem segurança para o tipo de condução adequada para este tipo de proposta,e sempre se mostraram eficientes para deter os movimentos do nosso veículo de 1.150 kg em ordem de marcha. Ainda uma menção muito positiva para a direção, que é assistida eletricamente e que sempre se mostrou muito precisa, sendo também ela responsável por uma condução agradável e divertida do nosso japonês.

Restou então falar da eficiência no consumo. O tanque de combustível é de reduzidas dimensões, com apenas 45 litros. No entanto, ele acabou por superar a ideia inicial de baixo volume disponível, apresentando uma eficiência muito interessante, sendo poupado quando o assunto é visita ao posto. Como referências nos testes do INMETRO, ele apresenta médias de 9,0 e 10,6 km/l urbano/estrada com etanol, ou 13.0 e 14.5 km/l se a opção for a gasolina. E nós conseguimos espelhar em nosso teste estes bons resultados, já que abastecidos com gasolina em nosso tanque foram médias de 12,6 km/l de consumo urbano e 13,9 km/l em estrada. Temos consciência que poderíamos melhorar um pouco mais estes resultados, o que só acaba por confirmar a escolha da Toyota por um veículo equilibrado na receita. Com preço competitivo e estética moderna, conforto e tecnologia de acordo com o ofertado no segmento, e seu ponto alto, sua mecânica, argumentos aos quais juntamos seu reduzido consumo, estão assim reunidos itens que fazem do Yaris uma proposta imediatamente vencedora. A marca já registra 5141 unidades emplacadas desde sua chegada ao país. E se o Corolla era o rei e senhor da casa japonesa, o Yaris pede passagem e deverá ser o nome forte em volume nos próximos tempos.

Finalizando, e olhando para a disputa no segmento a tarefa não é tão fácil. O Virtus da Volkswagen vem conquistando publico pela também ótima proposta, muito completa e competitiva. O Cobalt da Chevrolet reúne a confiabilidade da marca em mais um produto muito equilibrado. O outro concorrente direto neste segmento é o City. Nele a Honda aposta principalmente no conforto e espaço, numa proposta que vem sendo mantida em níveis muito interessantes de atualização. Nesta lista podemos ainda adicionar o Fiat Cronos.

Sendo assim, e com uma concorrência com tão boas opções, quem ganha naturalmente é o publico, que tem disponíveis modelos cada vez mais equipados e eficientes.

No caso do Yaris aquela receita “mágica” da Toyota, que consegue equilibrar com o habitual pragmatismo design, espaço, tecnologia, conforto e um conjunto mecânico muito bom e confiável. O ponto certo de cada quesito até ao nível em que dá para manter um preço competitivo. Ao conhecer o Yaris fica claro que a Toyota mais uma vez acertou neste equilíbrio, e o Yaris deve virar uma dor de cabeça para alguma da concorrência.

Avaliação em números

Toyota Yaris XL

Design 7

Espaço e Conforto 7

Freios 6

Conectividade e Tecnologia 7

Acabamento 7

Motor / Consumo 7

Transmissão 7

Suspensão 6

Direção 7

Segurança e Auxílios 6

Total 67

#TESTEAVALIAÇÃO #OPINIÃO #TOYOTAYARIS #TOYOTA

Laja Revista Publiracing