• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

WRC: Citroën mostra evolução e disputa vitória na Suécia


Com Craig Breen em particular produzindo uma das melhores performances do fim de semana, a Citroën Total Abu Dhabi WRT foi uma das líderes da Suécia. O time não apenas garantiu o quarto pódio do C3 WRC, mas também o terceiro lugar na classificação do Campeonato Mundial dos Fabricantes.

O Rali da Suécia começou na quinta-feira, com a realização do shakedown que ofereceu à Citroën Total Abu Dhabi WRT a oportunidade de fazer alguns ajustes finais. De volta ao time Citroën para o final de semana, os noruegueses Mads Østberg/ Torstein Eriksen confirmaram ter se adaptado rapidamente ao C3 WRC ao estabelecer o segundo tempo mais rápido. Kris Meeke/ Paul Nagle e Craig Breen/ Scott Martin também mostraram bom ritmo, terminando em quarto e oitavo, respectivamente.

O shakedown de 6,86 quilômetros foi disputado em estradas perfeitas, cobertas de neve, em torno de Skalla. Apesar de estar um pouco mais ondulado do que nos estágios realizados durante o fim de semana, o shakedown provou-se bastante representativo do que estaria por vir para os concorrentes.

Os pneus usados ​​no shakedown não estão incluídos na alocação do rali, de modo que as duplas da Citroën Total Abu Dhabi WRT aproveitaram ao máximo, completando cinco passagens e, portanto, acumulando quilometragem em uma superfície na qual a confiança é extremamente importante. Esta sessão final de treinos também permitiu à equipe analisar várias opções de configuração e desenvolver o trabalho realizado durante os quatro dias de testes pré-evento na semana anterior.

Em um estágio no qual a aderência melhorou durante a maior parte da manhã à medida em que mais carros completavam o percurso, Mads Østberg obteve o segundo tempo mais rápido, a apenas três décimos do líder, enquanto Kris Meeke marcou o quarto tempo mais rápido em sua tentativa final. Craig Breen, que começou a sessão um pouco mais cauteloso que seus companheiros de equipe, gradualmente ganhou confiança e diminuiu a distância em relação aos líderes em sua passagem final, ficando com o oitavo tempo.

A largada oficial do rali foi dada na noite de quinta-feira no hipódromo de Karlstad, com uma etapa super especial de 1,90 km de extensão. No entanto, a ação real começou na manhã de sexta-feira, com a perna mais longa do rali (140,1 km de estágios cronometrados), disputada próximo à fronteira entre a Suécia e a Noruega.

O dia mais longo do fim de semana prometia ser particularmente difícil. Principalmente porque os trechos dos estágios da sexta-feira aconteceram mais ao norte, o que significa que as estradas estavam cobertas com muita neve e muito mais estreitas do que em anos anteriores. As equipes foram assim obrigadas a revisar criteriosamente as notas de andamento feitas de antemão. E, para completar, as estradas foram cobertas com uma camada de neve fresca durante a noite.

Em condições como essas, as tripulações no topo da ordem de partida tiveram a tarefa de atuar como “limpadores de neve” para os pilotos que vieram a seguir, e Kris Meeke – quarto na estrada após a sua performance em Mônaco – foi um daqueles que sofreram essa experiência dolorosa e frustrante. No entanto, o norte-irlandês concentrou-se em seu objetivo, que era marcar pontos na Suécia. Ele terminou a perna na décima posição, após uma performance focada e comprometida.

Normalmente, na Suécia os pilotos tendem a levar seis pneus para ambos os laços, para poderem fazer combinações e ter o conjunto mais efetivo de pregos possível, mesmo quando as trilhas e o cascalho começam a aparecer nas estradas. Mas a queda de neve fresca significava que os pregos estavam menos solicitados que o habitual no primeiro laço, o que levou as equipes a decidir voltar à tarde com apenas cinco pneus. Foi, então, uma questão de encontrar o equilíbrio certo entre andar forte e cuidar dos seus pregos, que espetam o gelo para dar mais aderência.

Craig Breen e Mads Østberg provaram ser bastante adeptos dessa tarefa. Eles aproveitaram suas posições favoráveis na ordem de partida (9º e 12º, respectivamente) para terminar o dia em quarto e quinto em geral, com Craig a apenas cinco décimos do pódio e Mads 1,1s atrás! Ambos, portanto, muito bem colocados, dentro de distância impressionante em relação aos primeiros. Esse desempenho também significou uma boa posição de estrada para o dia seguinte. Perfeitamente à vontade em seu C3 WRC, Craig Breen conseguiu duas vitórias consecutivas em estágios (SS6 e SS7), enquanto Mads Østberg, ainda encontrando os limites de aderência de seu carro, teve um retorno impressionante ao Exército Vermelho ao coletar três terceiros tempos mais rápidos (SS2, SS4 e SS7).

Com esses resultados, Breen/ Martin fecharam a sexta-feira em quarto lugar, enquanto Ostberg/Torstein ficaram em quinto. Meeke/ Nagle tiveram um dia mais difícil por causa da posição na estrada e terminaram o dia com o décimo lugar nos tempos acumulados.

A etapa de sábado, terceiro dia do Rali da Suécia, teve oito novos estágios e uma distância competitiva de 120,31 quilômetros. Craig Breen/Scott Martin produziram um excelente desempenho - incluindo outra vitória em estágio - para terminar o dia em segundo lugar na classificação geral, muito próximos de garantir o primeiro pódio do ano para o Citroën Total Abu Dhabi WRT! Mads Østberg/Torstein Eriksen se firmaram no quinto lugar, enquanto Kris Meeke/Paul Nagle foram forçados a abandonar as etapas do dia depois de sofrer um problema no turbo como resultado de uma colisão contra um banco de neve.

O segundo dia completo de ação, com os clássicos estágios Hagfors e Vargasen, viu Craig Breen produzir um dos melhores desempenhos de sua carreira, em sua sexta aparição no Rali da Suécia. Beneficiando de uma boa posição na ordem de partida, assim como seus principais rivais na luta por lugares no pódio, o irlandês começou o dia em quarto na geral, mas um segundo tempo mais rápido no SS9, junto com um bom tempo no estágio seguinte, permitiu-lhe subir para a segunda posição, apenas 4,2 atrás do líder.

Embora as estradas tenham sido cobertas por menos neve, Craig - com base em bons conselhos da equipe técnica - jogou levando apenas cinco pneus para o segundo ciclo, enquanto a maioria de seus rivais, sem dúvida preocupados com os pregos dos pneus (que se desgastaram quando o cascalho apareceu por baixo do gelo), optou por levar seis.

No entanto, foi a decisão do irlandês que valeu a pena: cheio de confiança em seu C3 WRC, ele liderou as planilhas de tempo em Torntop (SS12), sua terceira vitória em estágio no fim de semana. Depois, conquistando mais dois tempos mais rápidos, ele consolidou sua segunda posição e chegou ao final da perna com uma vantagem de 9,3s sobre o seu rival mais próximo.

Enquanto isso, Mads Østberg - apesar de ainda estar se adaptando ao C3 WRC - permaneceu consistentemente próximo dos melhores tempos para manter seu quinto lugar. Ele também produziu o salto mais longo do dia sobre o famoso Colin's Crest, com um pulo de quarenta e dois metros na primeira passagem!

Finalmente desfrutando de condições de aderência mais consistentes, apesar de ainda ter que lidar com uma posição da estrada pior que a ideal (quarto), Kris Meeke estava marcando tempos mais condizentes com seu status quando um impacto bastante inócuo contra um banco de neve danificou o turbo de seu C3 WRC, o que significou que ele não teve escolha a não ser se retirar do rali pelo restante do dia e planejar voltar à prova no dia seguinte sob as regras do Rally 2.

Na disputa por um primeiro pódio na Suécia desde 2014, a Citroën Total Abu Dhabi WRT teve os três estágios de domingo (51,94 km) para converter o forte desempenho do fim de semana em um bom resultado. Embora tenha apresentado apenas três estágios, a etapa final esteve longe de ser apenas um passeio de domingo, com mais neve fresca nas estradas.

Craig Breen admitiu no serviço da manhã que realmente gostou do estágio de Likenas, chegando ao ponto de descrevê-lo como o melhor teste de velocidade do rali. Mas o irlandês de 28 anos então "andou na palestra": na primeira passagem, terminou um segundo à frente de seu rival direto, antes de ganhar mais 3,1 na segunda passagem, o que significa que ele se dirigiu para o estágio final com uma vantagem de 13,4 s em relação ao terceiro colocado. Ele então negociou os cerca de dez quilômetros restantes com a confiança de um piloto experiente, selando o segundo lugar na classificação geral e obtendo o melhor resultado de sua curta carreira no WRC! Um resultado que fornece mais evidências de seu progresso contínuo e as melhorias feitas pelo C3 WRC desde o rali do ano passado!

Este foi o segundo pódio de Craig no WRC, depois de seu terceiro lugar no Rali da Finlândia em 2016, e o quarto do C3 WRC, confirmando o bom início da temporada da equipe Citroën Total Abu Dhabi WRT.

Com vontade de continuar acumulando quilometragem no C3 WRC, Mads Østberg não desafiou o destino, preferindo manter o sexto lugar depois de ser superado por Lappi e ter certeza de marcar pontos importantes para a Citroën Total Abu Dhabi WRT. O norueguês concluiu um retorno bem-sucedido com a Citroën, enquanto a equipe consolidou seu terceiro lugar na classificação do campeonato mundial de fabricantes.

Tendo voltado à prova sob as regras do Rally 2 depois do pequeno, mas custoso erro do dia anterior, Kris Meeke usou a perna final para trabalhar em algumas coisas para o futuro. Seu objetivo agora é atingir a forma máxima no México, onde obteve a primeira vitória do C3 WRC no campeonato do ano passado.

O QUE ELES DISSERAM

Pierre Budar, chefe da Citroën Racing Team

"Foi um rali difícil para nós. Com a nossa posição abaixo da ideal na ordem de rodagem na sexta-feira, tive problemas para encontrar alguma confiança, o que significou que acabamos sendo um dos primeiros na estrada no sábado. Eu fui, no entanto, trabalhando duro para garantir o ponto do décimo lugar quando bati em um banco de neve a baixa velocidade e tive o turbo danificado. Foi realmente uma falta de sorte. Estou decidido a recuperar, começando no México. Dos quatro próximos ralis, já ganhei três deles e liderei na Córsega no ano passado."

Craig Breen (carro 11)

"Estou absolutamente no topo do mundo! Foi um fim de semana incrível. Sempre gostei muito deste rali no passado, mas tenho que dizer que me surpreendi neste fim de semana na medida em que consegui lutar na frente em toda a corrida, sem cometer erros. Eu pensava que os ralis rápidos não eram adequados para mim, mas isso não parece ser mais o caso. Em qualquer evento, o meu C3 WRC foi perfeito aqui e é ótimo garantir este resultado para a equipe – os caras trabalharam muito para isso".

Mads Østberg (carro12)

"Estou muito satisfeito com o meu retorno ao time. Não esperava poder lutar por uma posição tão boa com a quantidade limitada de quilômetros que cobrimos nos testes. Espero que o time esteja satisfeito com o que fizemos nesta primeira experiência em conjunto. Eu sei que, com mais tempo no carro, eu posso ser ainda mais competitivo com o C3 WRC. Em todo caso, adoraria dirigi-lo novamente em breve!"

CLASSIFICAÇÃO FINAL PROVISÓRIA

1. Neuville/Gilsoul (Hyundai i20 WRC) 2:52:13.1

2. Breen / Martin (Citroën C3 WRC) + 19.8

3. Mikkelsen/Jaeger (Hyundai i20 WRC) + 28.3

4. Lappi / Ferm (Toyota Yaris WRC) + 45.8

5. Paddon/Marshall (Hyundai i20 WRC) + 54.4

6. Ostberg/Eriksen (Citroën C3 WRC) + 1:15.3

7. Latvala / Anttila (Toyota Yaris WRC) + 2 :04.9

8. Suninen/Markkula (Ford Fiesta WRC) + 2:52.2

9. Tänak/Jarveoja (Toyota Yaris WRC) + 3:44.4

10. Ogier/Ingrassia (Ford Fiesta WRC) + 8:45.4

CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS

1. Thierry Neuville – 41 pontos

2. Sébastien Ogier – 31

3. Jari-Matti Latvala – 23

4. Esapekka Lappi – 23

5. Ott Tänak – 21

6. Andreas Mikkelsen – 21

7. Craig Breen – 20

8. Kris Meeke – 17

9. Hayden Paddon – 10

10. Elfyn Evans – 8

CAMPEONATO MUNDIAL DE FABRICANTES

1. Hyundai WRT – 54 pontos

2. Toyota Gazoo Racing – 53

3. Citroën Total Abu Dhabi WRT – 46

4. M-Sport Ford WRT – 43

#CITROENRACING #AUTOMOBILISMO #WRC

Pensando em vender seu veículo? - Nós compramos !