• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Avaliação: Jovem, divertido e tecnológico, assim é o Peugeot 2008 Crossway


Após reação positiva do mercado, a Peugeot realizou a integração da versão Crossway, até então edição limitada, na lista de versões disponíveis no catálogo do modelo 2008 nas concessionárias da marca no Brasil.

Com essa chegada definitiva ele foi alvo de alguns ajustes, e foi para conhecer a versão mais aventureira do Crossover francês que a Revista Publiracing rodou com ele por alguns dias, e vamos agora contar essa experiência para vocês.

Esteticamente ele está mais “limpo”, não abdicando, no entanto, das características de aventureiro, incorporando pormenores que realçam sua exclusividade e adicionando sobriedade aos detalhes.

Destacamos as peças em cromado, sempre muito bem trabalhadas e aplicadas pela Peugeot. Da grade frontal, passando pelo acabamento lateral na área dos vidros, ou os detalhes do aerofólio, o 2008 Crossway utiliza este acabamento para dar sofisticação ao modelo. As lanternas traseiras têm guias de luz em LED, com destaque ainda para o conjunto ótico dianteiro, de faróis alongados e marcantes (com DRL em LED) e luzes de neblina corretamente integradas no para-choque. Ainda como pormenores estéticos determinantes para o bom resultado final, as molduras dos vidros em acabamento preto brilhante, que harmoniza muito bem com os pormenores plásticos nas caixas das rodas. Os espelhos retrovisores são da cor da carroceria e incluem luzes sinalizadoras de mudança de direção e têm comandos elétricos no interior.

Como bom Crossover, não faltam as barras longitudinais de cor prateada, e a merecida referência para as bonitas rodas de liga-leve de aro 16”, onde são instalados pneus de medida 205/60 R16. Finalizando nossa observação externa, destaque para a placa que identifica a versão Crossway, visível nas portas dianteiras e porta-malas, além de tapetes e bancos dianteiros.


Hora então de passar para o interior onde três aspectos são imediatamente destaque para nossa equipe. Primeiro, o teto panorâmico que amplia a sensação de espaço do já generoso ambiente interno. O painel de instrumentos com matriz LCD e de luzes brancas de fácil leitura, faz parte do conceito i-cockpit da Peugeot que o posiciona de forma elevada, idêntico, aliás, ao seu irmão menor o 208, proporcionando uma leitura mais rápida e fácil de todas as informações.

A central multimídia touchsreen de 7” está muito bem posicionada e é de fácil utilização, com os principais requisitos tecnológicos e de conectividade exigidos pelo cliente moderno e conectado, o que inclui câmera de ré com sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, e seus principais comandos podendo ser realizados no volante. Para quem gosta de um bom som o do 2008 é de boa qualidade, distribuindo pelo interior 4 alto-falante e 2 tweeters.

Já que falamos do volante referir que ele é de reduzidas dimensões, com acabamento em couro, e um design muito interessante que ajuda na dirigibilidade e no resultado final do teste dinâmico.

Ainda falando do interior, destacamos a sobriedade das cores do painel e dos bancos, o ar condicionado digital automático bi-zone, os apoios de cabeça para os bancos traseiros com regulagem em altura e o isofix para cadeirinha de criança. O 2008 permite um viagem bem confortável para cinco adultos, com ótimo aproveitamento do espaço interno além de esteticamente muito agradável. Tem ainda uma distribuição prática de espaços para diversos objetos como copos ou até mesmo garrafas (1,5 l). Para destacar sua exclusividade, alguns detalhes da central multimídia, saídas de ar, bem como as maçanetas das portas, utilizam o acabamento cromado para transmitir um pouco mais de requinte ao 2008 Crossway.

Também de aspecto singular no 2008, é o freio de mão, ao estilo manete de aviação, é atraente, e além de prático dá um certo estilo ao console central do nosso modelo.

Sendo a Peugeot um destaque habitual quanto aos pacotes de segurança, conforto e tecnologia oferecidos em seus produtos, a versão aventureira do 2008 não foge a esta regra e entrega um bom pacote de soluções.

São 6 airbags, sendo dois dianteiros, dois laterais e dois de cortina, acendimento automático de luzes de emergência após freada brusca, acendimento automático dos faróis através do sensor crepuscular, acendimento automático do limpador de para-brisas através do sensor de chuva, computador de bordo com três modos de operação e indicadores de manutenção, ou ainda o chamado fallow me home, que após fechamento do carro mantém as luzes ligadas durante algum tempo para permitir luminosidade em lugares de pouca iluminação.

Para conhecer mais da excelente lista de itens é chagado o momento de dar partida ao motor 1.6 de quatro cilindro, 16 válvulas e que entrega 118 cv com etanol e 115 cv se abastecido com gasolina a 5750 rpm com ambos os combustíveis. Este moderno propulsor tem injeção multiponto sequencial, não necessitando mais do tanque de combustível para partida a frio, quando abastecido com etanol, e entrega um torque máximo de 16,1 kgf.m com ambos os combustíveis, mas em diferentes regimes de rotação, sendo 4750 rpm para etanol e um pouco mais cedo, nas 4000 rpm se abastecido a gasolina. Fácil entender que é um motor que privilegia um comportamento não tão agressivo, e sua nova e eficiente transmissão com 6 velocidades sequencial, ajuda nesse comportamento suave e dócil do conjunto. Nada esportivo, porém muito eficaz e confortável.

Em nossa opinião este conjunto motor/transmissão é o que melhor interpreta a filosofia do modelo 2008. A direção assistida eletricamente de forma variável é mais um dos pontos positivos do modelo francês. Ela é precisa, permitindo ótima dirigibilidade e nos remetendo a muitas das sensações vividas no modelo 208, apesar, claro, de substanciais diferenças entre os dois modelos.

O 2008 é um veiculo de tração dianteira que devido a sua essência mais aventureira incorpora uma configuração de suspensão típica para estes modelos, com o centro de gravidade mais elevado. O conjunto é independente tipo Pseudo McPherson na frente e travessa deformável nas rodas traseiras. Sua configuração se mostrou equilibrada, permitindo conforto sem perder eficiência a alta velocidade, muito embora seja necessária a natural precaução para interpretar um pouco de rolamento da carroceria para um veículo que tem 200 mm de altura livre em relação ao solo. Nada de muito significativo, muito mais uma característica natural para este tipo de proposta, que privilegia o conforto e capacidade para ultrapassar alguns imprevistos de nossas ruas e rodovias, em detrimento de uma performance mais esportiva.

Os freios são ABS e REF com distribuição eletrônica de frenagem, através de discos ventilados na frente e discos sólidos atrás, em escolha que se mostrou sempre eficaz para frear os 1248 kg de peso do nosso Peugeot 2008 Crossway. Ainda como fator determinante para o resultado final em termos de espaço e sensação de perua, percepção imediata ao olhar para o 2008, suas dimensões, com 4159 mm de comprimento, 1739 mm de largura, 1583 mm de altura e 2542 mm de entre-eixos, apesar de sua inspiração em seu irmão menor o 208, ao olharmos para o crossover ficamos com a ideia de um carro maior..

Se quando realizámos o teste com a versão Griffe, equipada com o fantástico motor turbo THP, ficámos naquele momento com a sensação de um propulsor que eventualmente poderia “exceder“ as capacidades do veiculo, sendo necessária precaução em determinadas situações, já esta versão Crossway nos parece ser a receita ideal para o 2008. Com motor e câmbio de casamento perfeito, e receita adequada a uma utilização familiar com conforto e diversão, ele entrega ainda um design muito agradável e moderno, expondo as características que fazem deste tipo de proposta um sucesso no Brasil.

Nosso teste foi realizado com o tanque de 55 l abastecido com etanol, e chegando ao final, indicação de 8,4 km/l de consumo médio, para um teste realizado com cerca de 70% dos quilômetros percorridos na cidade, e 30% da distância em rodovia, resultado que podemos considerar positivo e que vem melhorar substancialmente sua eficiência em relação ao antigo câmbio automático de 4 marchas utilizado na versão anterior.

Antes vendido como edição limitada e agora fazendo parte do catálogo, o Crossway é um excelente carro. Atraente, jovem, bem equipado e tecnológico, ele vem ganhando o “respeito” do cliente brasileiro assim como toda a linha 2008, que vendeu 860 unidades em Outubro, cresceu para 947 unidades em Novembro (último mês completo antes da conclusão de nossa matéria) e vem ganhando seu merecido espaço nas garagens dos brasileiros.


O alvo de nosso teste é anunciado no site da marca por R$ 87.190,00 ao qual adicionamos a nossa cor prata (uma das seis disponibilizadas) com um custo de R$ 1.290,00 totalizando R$ 88.490,00.

Como conclusão, referir que o SUV compacto da Peugeot tem na versão Crossway sua opção mais equilibrada e aquela que melhor interpreta a essência do modelo, entregando um ambiente agradável e amplo, com um conjunto mecânico eficiente, e de design agradável e moderno. Ele é hoje uma das melhores propostas em sua faixa de preço, tendo, no entanto que brigar com propostas mais “definidas”, se assim podemos caracterizar. O Tracker da Chevrolet é, por exemplo, uma opção mais próximo de um hatch médio, embora com "perfume" de SUV. Já os modelos Kicks da Nissan, Creta da Hyundai, HR-V da Honda ou Captur da Renault, são produtos com as características de modernos SUVs urbanos, deixando assim o 2008 numa posição intermediária, o que não deixa de ser uma característica que possibilita ao comprador do 2008 reunir um pouco dos dois mundos.

#PEUGEOT #PEUGEOT2008 #OPINIÃO #TESTEAVALIAÇÃO

Laja Revista Publiracing