• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Metrô e CPTM retornam obras que estavam paradas


O secretário Estadual de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni chegou à sede da Unip-Paraíso com os sapatos empoeirados e sem gravata para a palestra de encerramento da 23ª. Semana de Tecnologia Metroferroviária, desculpando-se por ter vindo direto da visita que fez às obras de três estações do metrô na cidade.

Utilizando se de vídeos feitos em julho, Pelissioni mostrou as oito obras em andamento, incluindo a Linha 13 Jade, da CPTM, com três estações até as proximidades do Aeroporto Internacional, em Guarulhos. Esta obra está prometida para o final do primeiro semestre de 2018.

Pelissioni disse que o Estado está investindo R$ 35 bilhões nas obras da Secretaria, em 2016, foram aplicados pela Companhia do Metrô R$ 2,2 bilhões que colocou a empresa em 11º lugar no ranking dos maiores investidores da edição Maiores e Melhores da revista Exame.

Segundo ele, estão em andamento as obras daas linhas 4 Amarela, 5 Lilás, 9 Esmeralda, 13 Jade, 15 Prata (monotrilho), 17 Ouro (monotrilho) e o VLT da Baixada Santista. A linha 6 Laranja continua parada há um ano mas o secretário diz que um contrato para retomada já foi assinado por uma empresa chinesa.

Embora em alguns vídeos não aparecessem operários trabalhando, Pelissioni disse que atualmente há 13 mil nessas obras.

Além das obras do Metrô e CPTM, a Secretaria está construindo terminais de ônibus em Carapicuíba e na Vila Iara, em Osasco. O programa de reforma de 98 trens já entregou 85 reformados, dotados de ar condicionado. Outros 45 novas unidades devem ser entregues para as linhas 7, 11 e 12.

A linha 6 Laranja, primeira PPP anunciada pelo metrô, que vai ligar a Vila Brasilândia na zona Norte à estação São Joaquim, interligando-se com a linha 1 Azul. Ela deverá ser construída e operada por uma empresa chinesa que deve visitar a região no mês de outubro, mas Pelissioni não revelou o nome nem a data da visita. A empresa que havia vencido a licitação e iniciado as obras, desistiu, segundo Pelissioni, por não conseguir empréstimo do BNDES e por envolvimento com a operação lava-jato.

Toda esta descrição da atual situação do transporte sobre trilhos na região de São Paulo foi feita no último dia da 23ª edição da Semana de Tecnologia Metroferroviária, realizada pela AEAMESP é considerado o mais importante congresso técnico do setor de transporte metroferroviário do País. Durante quatro dias, técnicos das operadoras, dirigentes empresariais e profissionais do setor debateram questões importantes relacionadas à mobilidade urbana nas cidades e transporte sobre trilhos de passageiros e cargas no País.

#METRO #FERROVIA #TRANSPORTE #MOBILIDADE

Laja Revista Publiracing
Pensando em vender seu veículo? - Nós compramos !