• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Avaliação: Nissan Frontier, ela chegou robusta, trazendo mais conforto e tecnologia.


A Revista Publiracing reservou duas semanas para mostrar aos nossos leitores duas das melhores opções no segmento de picapes médias. Ambas equipadas com motor diesel, e no embalo de trazer nossa experiência ao volante da grande novidade deste primeiro semestre, a nova Nissan Frontier, reservamos um segundo momento para comparar a picape japonesa com um dos concorrentes de maior sucesso e referência no segmento, a S10 da Chevrolet.

A Nissan verdadeiramente revolucionou nesta nova versão de sua picape. Com um visual modernizado e encorpado, esteticamente ela já reflete a integral intervenção que a Nissan fez no seu modelo.

Nossa habitual observação externa nos mostra um carro de aparência robusta. No entanto ela não chegou apenas mais musculosa, mas também mais moderna e de traços elegantes, conectando carroceria, para-choques e para-lamas numa única peça, resultando num design robusto, mas ao mesmo tempo moderno fluido e elegante.


Com este cartão de visita a Nissan Frontier conquista mesmo antes de olhar os pormenores. Mas vamos a eles, e não são poucos os itens onde a Nissan trabalhou com maestria no necessário equilíbrio estético entre a imagem de um veículo apto para os mais difíceis trajetos 4x4, mas ao mesmo tempo, destacando sua elegância e beleza como se de um SUV se tratasse.

O acabamento cromado é utilizado de maneira a delinear alguns importantes pontos do veiculo. Lateralmente destaque para espelhos retrovisores com indicador de direção em LED, maçanetas externas e friso das portas. Já na frente, a grade frontal em formato V-Motion, assim como as molduras dos faróis de neblina, comprovam a sofisticação e atenção aos detalhes, sem deixar de referir ainda a utilização deste composto no para-choques traseiro, também ele com o cromado como destaque.

O conjunto de faróis tem assinatura em LED na frente (diurnos) e ainda na luz de freio. Finalizamos nossa observação externa com referências aos estribos laterais, o Rack de teto com acabamento na cor prata e que assim se integra de forma perfeita nos pormenores descritos anteriormente.

Se por fora a Frontier passa a imagem de equilíbrio perfeito entre robustez e elegância, por dentro o ótimo trabalho dos engenheiros da Nissan é ainda mais evidente. Para abrir as portas utilizamos o sistema de chave inteligente presencial (I-Key). Uma comodidade cada vez mais apreciada pelos compradores, e sem dúvida tecnologia praticamente obrigatória para determinadas categorias de veículos, e que o futuro tratará de estender a outros segmentos mais baixos. Ao entrar na picape a sensação é de harmonização do ambiente, qualidade de acabamento e dos materiais utilizados, assim como a evidente preocupação com o conforto, tanto à frente como atrás.

Os bancos têm acabamento em couro, com os dois da frente a terem sistema que permite seu aquecimento, o que não deixa de ser desde logo um diferencial perante a concorrência. O banco do motorista tem ajustes elétricos, o que ajuda na criação de uma integração perfeita entre veículo e condutor. Cabe aqui sinalizar que o volante é apenas ajustável em altura, sem a possibilidade de ajuste em profundidade.

Outro pormenor cada vez mais utilizado para entregar sofisticação, além de conforto, claro, é o apoio de braço, que no caso da Frontier está integrado ao console central e também com acabamento em couro. Ainda como destaques, a tela interativa, com o Nissan Multi-App, rádio AM/FM, CD e DVD player, MP3 com display colorido de 6,2", função RDS, entrada auxiliar para MP3 player, conector USB, conexão à internet através de Wi-Fi pela plataforma Android e possibilidade de download de aplicativos. O sistema de multimídia da Nissan é dos mais interativos e práticos do mercado, no entanto a tela já poderia ser maior. A versão LE 4x4 disponibiliza câmera de ré.

Outro quesito para o qual nossa equipe sempre fica muito atenta é o sistema de som disponibilizado. E a Nissan é uma das que se preocupa com isso. Exemplo maior, o Nissan Sentra, uma referência e com o melhor sistema de som no seu segmento. Sem chegar ao mesmo patamar de qualidade, na picape são 4 alto-falantes e 2 tweeters que proporcionam no entanto experiências sonoras incríveis, e em conjunto com o ótimo isolamento acústico do modelo, quase faz esquecer que estamos ao volante de um modelo com motor diesel. O ar condicionado é Digital e Dual Zone. Visível do interior a sinalização de que a Frontier apenas disponibiliza air bags frontais, para motorista e passageiro.

Ainda antes de darmos partida ao motor destacamos o painel multifuncional colorido de 5", sistema que a Nissan vem desenvolvendo, e que entrega diversas informações de forma dinâmica e prática.

Com o também prático sistema de botão Start/Stop damos partida ao motor Bi-Turbo Diesel 2.3 l de 190 cv. Já referido anteriormente, fica evidente o ótimo trabalho no isolamento acústico, passando muito pouco do som de seu funcionamento para o interior da cabine. O câmbio é automático de sete marchas, ou de acordo com a preferência do condutor, no modo manual sequencial. Esta motorização, apesar de ser aparentemente de menor capacidade em relação à concorrência, é, no entanto, de muita capacidade. Dianteiro, longitudinal, 2.298 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e comando duplo de válvulas, Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico, assim são as principais características do motor da Nissan Frontier.

Com um torque de 45,9 kgfm a 2.500 rpm, ele é elástico, e muito capaz de satisfazer as mais exigentes necessidades seja de carga, ou de utilização tanto na cidade como em rodovia. Antecipando o resultado, e com o tanque de 80 litros totalmente abastecido, conseguimos uma autonomia de praticamente 800 km se dirigindo em estrada, já que o consumo é de praticamente 10 km/l. Já na cidade foi naturalmente inferior com 8,9 km/l, o que acaba por mostrar uma eficiência energética de resultado muito positivo.

A transmissão é muito interessante, permitindo passagens suaves e precisas, sendo o escalonamento muito correto. A Nissan Frontier permite alteração no modo de tração de forma fácil e prática. Através de um botão, e de modo eletrônico, além da tração 4x2, utilizada no dia a dia da cidade ou em condução na estrada, podemos optar pela transmissão 4x4, muito eficiente na terra, lama e off-road de uma forma geral, ou ainda uma terceira opção pela redutora, utilizada em situações extremas de terreno e obstáculos.

Aliás, a Frontier está preparada para o trabalho duro em condições adversas com uma capacidade para suportar até 1.050 kg de carga útil. No entanto sua tecnologia facilita muito a vida do condutor. A título de exemplo o sistema inteligente de partida em rampa (HSA) que impede que o carro desça ao arrancar em aclives, mantendo os freios automaticamente acionados por alguns segundos. Outra solução técnica disponível é o controle inteligente de descida HDC, com este recurso o condutor tem um maior controle do veículo e mantém a velocidade baixa em descidas muito íngremes e com terreno irregular, comum (e útil) em uso off-road. Seus ângulos de entrada (31,6°) e saída (27,2°), além do ângulo de inclinação máxima em subida de 23,7° e altura em relação ao solo de 29,2° permitem encarar o mundo 4x4 sem medo. Além disso, novos desenvolvimentos técnicos aplicados na nova Frontier permitem um resultado dinâmico muito positivo.

Falamos do chassi reforçado duplo C, com 8 barras transversais para melhorar a rigidez estrutural, e que foi desenvolvido com aço de alta resistência e reforçado em áreas estratégicas. É mais resistente à torção o que ajuda no desempenho eficiente da direção que é hidráulica e muito precisa. A suspensão é independente do tipo Double Wishbone, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora na frente. Na traseira a opção é pelo sistema multilink que permite o máximo contato dos pneus com o solo e menos movimentação da carroceria, trazendo mais segurança e estabilidade em todos os tipos de terreno, comportamento que ficou evidente em nosso teste. A suspensão traseira melhorou substancialmente a sensação de instabilidade e dureza ao passar por irregularidades, por exemplo, deixando no passado aquela que era uma típica reação das picapes até algum tempo atrás.

O controle de tração e estabilidade (VDC) utiliza sensores para controlar e manter a estabilidade da Nissan Frontier em condições adversas, proporcionando mais segurança. Ela está equipada com o sistema de freios ABS e o controle eletrônico de frenagem (EBD), além do já conhecido Brake Assist, responsável por reduzir a distância de frenagem em situações de emergência. Os freios são de disco ventilado na frente e tambor atrás, eficientes e capazes de parar com eficiência toda a massa de peso em deslocamento.

Suas medidas são de 5,25 metros de comprimento, 1,85 metro de largura, 1,85 metro de altura e 3,15 metros de distância entre-eixos.

Sem duvida que a evolução no comportamento dinâmico é sentido em diversas situações, e apesar dos 1985 kg de peso, com 805 kg de capacidade na caçamba, ela é muito previsível. Cabe no entanto referir que nosso teste foi todo ele efetuado sem peso substancial no veículo, e o resultado espelha o comportamento nesta configuração de utilização.

Resumindo, ela chegou mais leve, mas ao mesmo tempo mais robusta, com mais tecnologia, e oferecendo mais desempenho nesta versão inicial, e que para já é a única disponibilizada no mercado brasileiro. A picape atualmente importada do México tem previsão para ter sua produção transferida para Santa Isabel na Argentina a partir de 2018, com isso sendo esperadas novas versões mais equipadas ou com opções como câmbio manual, por exemplo. Esta versão única LE 4x4 é vendida nas concessionarias da marca por R$ 166.700,00 e vive ainda o momento de se mostrar ao público, com vendas ainda pouco expressivas nestes pouco mais de três meses de presença nas concessionárias. Em termos de elegância, tecnologia e capacidade ela veio para bater de frente com as grandes referencias do segmento, Toyota Hilux e Chevrolet S10. Por falar em Chevrolet S10, ela será alvo de nossa atenção na próxima semana para sabermos exatamente onde ela se destaca (ou deixa a desejar) em relação à novidade japonesa que apresentamos esta semana. Não perca!.

Fotos Revista Publiracing e Nissan (interior)

#NISSAN #NISSANFRONTIER #TESTEAVALIAÇÃO

Laja Revista Publiracing
Pensando em vender seu veículo? - Nós compramos !