• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Avaliação: Honda CR-V, ele é referência em robustez, espaço e conforto.


Mantendo um pensamento que temos na redação da Revista Publiracing, veiculo automóvel em nossa mídia tem uma vida que se prolonga além dos meses que antecedem seu lançamento, ou quando, já nas concessionárias é uma novidade, momento em que é alvo de todos os olhares. Por isso mesmo nossa equipe foi atrás de preparar uma pauta com o Honda CR-V, na única versão que está disponível para venda nas concessionárias da marca no Brasil. A alguns meses da chegada prevista para alguns mercados da nova geração, o EXL 4x4 é a versão que pode ser adquirida por aqui.

E o CR-V (Comfortable Roundabout Vehicle) não é um SUV qualquer, é só um dos mais vendidos utilitários esportivos de sempre, com uma receita que vem dando certo pelo mundo, muito por conta de referências que até hoje a Honda mantém intactas, robustez, espaço e conforto.

E foi com esta expectativa que iniciamos nosso teste ao CR-V. Por fora ele tem as atualizações que chegaram no final de 2015, com destaque para barras longitudinais no teto na cor prata, faróis muito de acordo com a imagem que reconhecemos imediatamente da Honda, e ainda os faróis de neblina inseridos numa moldura retangular. Os “toques” de cromado dão o necessário requinte ao carro. Este material é utilizado na grade frontal, frisos no entorno dos vidros e maçanetas.

Para completar o conjunto estético os retrovisores são elétricos na cor do veículo, com luzes indicadoras de mudança de direção e a função Tilt-Down no retrovisor direito. Já as rodas são de liga leve aro 17", utilizando pneus 225/65R17.

Antes de passarmos para o interior vamos deixar referências que por fora são facilmente identificáveis, suas generosas dimensões. Ele que vem ganhando envergadura esta atualização, tem uma distância entre eixos de 2.620mm, comprimento de 4.580mm, altura de 1.655mm e largura de 1.820mm o que lhe conferem um patamar de imponência bem superior ao de seu irmão menor o HR-V.

Já no interior, é claro que o destaque vai para o espaço, quase um salão de festas. O volante é de 3 raios com revestimento em couro e controles de áudio e piloto automático, bem como ações de conectividade entre elas ao celular. Os vidros são naturalmente elétricos do tipo um toque, com abertura/fechamento automático e sistema antiesmagamento. Os bancos têm revestimento em couro e além do espaço referido, são confortáveis e permitem especialmente para o condutor, uma ótima posição para dirigir. Os bancos atrás, além de poderem ser totalmente rebatidos, permitindo espaço útil para carga de até 1.146l de espaço, podem também ser apenas parcialmente reclinado/rebatidos, 40/60. Já que falámos de porta-malas referir que este espaço é já naturalmente muito bom no CR-V, com 589l segundo medição da marca.

Mais pormenores como o acabamento do interior das portas com detalhes na cor prata, o descansa-braço com porta-objetos para motorista e passageiro e traseiro com porta-copos, ar-condicionado digital Dual Zone com saída de ar para o banco traseiro, sistema de áudio AM/FM com CD player CD/MP3/WMA com 4 alto-falantes e 2 tweeters, tudo acessível através do display multimídia com tela de 7" multi-touchscreen com navegador GPS. Naturalmente a lista de utilidades e tecnologia disponibilizada no CR-V é bem vasta, e seria exaustivo aqui enumerar muitos dos cuidados que a marca tem com o seu SUV mais importante.

Hora de dar partida ao motor de 1.997 cm³ de 16V. e Flex Como principais características ser dianteiro, transversal, com quatro cilindros em linha, e comando simples, entregando 150 cavalos às 6.300 rpm se abastecido com gasolina, e 155 no mesmo nível de rpm se com etanol. O torque é de 19,3/19,5 kgfm respetivamente a 4.800 rpm.

A tração é nas quatro rodas (4WD) e permanente, já o câmbio é de cinco marchas automático. O conjunto reflete robustez, com a habitual qualidade técnica do câmbio da Honda, mas sem esperar respostas rápidas, afinal seu DNA é muito mais o conforto, com espaço e segurança em detrimento de um comportamento mais esportivo, o que exigiria outra configuração mecânica.

A direção com assistência elétrica progressiva torna a condução do CR-V, fácil e precisa, em comportamento que é auxiliado, pela suspensão muito bem trabalhada, tipo MacPherson na frente e independente Multi-link atrás. A escolha da marca por um centro de gravidade baixo, reduz de forma drástica sua capacidade para aventuras no off-road, apesar da tração integral, mas auxilia neste comportamento geral muito eficaz e previsível na estrada.

O CR-V busca transmitir uma sensação de integridade e robustez, com potência suficiente para garantir segurança para um conjunto que não é leve. Segurança que fica disponível para os passageiros em diversas soluções disponibilizadas na versão única EXL, como os airbags, frontal, lateral e de cortina, para motorista e passageiro, assim como as barras de proteção lateral. Momento ideal para falar dos freios, que são de disco nas quatro rodas, ventilados na frente e sólidos atrás, com ABS (Anti-lock Brake System), EBD (Electronic Brake Distribution) e BA (Brake Assist).

Com sua tração integral permanente e seu peso, poderíamos supor antes de nosso teste que o CR-V se mostraria um “amigo” inseparável do posto de combustível, mas contrariando essa previsão, ele se mostrou muito eficaz no consumo energético, realizando nossa equipe médias de 7,2 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada, abastecendo nosso tanque de 71L com etanol. Para ajudar ainda mais na questão energética, o já famoso botão ECO, que nos modelos mais recentes da marca altera o mapeamento de motor, tira um pouco da agilidade, mas oferece entre 10% a 15% de economia no consumo.

Resumindo, o CR-V mantém seu DNA, de referência no segmento a nível mundial, e só dois aspectos devem condicionar o comprador na hora de fechar negócio. O preço, que pode inibir alguns (R$ 148.000,00), e o design, que não é uma unanimidade.

Esta última atualização ao modelo da Honda, já reflete vendas pouco expressivas na consulta que realizamos em relação aos últimos dois meses ates de finalizarmos nosso teste, com 152 unidades emplacadas em Março, e 91 em Abril, segundo a Fenabrave. Estes números refletem naturalmente seus anos de loja, e a reação da concorrência que vem trazendo novas opções para o mercado.

No entanto, e servindo como resumo, referir que o CR-V é um ótimo carro, entregando robustez, espaço e conforto com segurança. Um produto direcionado para quem privilegia todos estes aspectos em detrimento de esportividade e aventura. Apesar do 4WD, o asfalto é seu território.

Fotos Revista Publiracing e Honda ( Internas )

#HONDA #TESTEAVALIAÇÃO

Laja Revista Publiracing