• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Aviação doméstica inicia 2017 com retração de 1,38%.


A aviação doméstica segue encolhendo no Brasil. Na comparação com o mesmo mês de 2016, a demanda por transporte aéreo doméstico de passageiros em janeiro recuou 1,38% (a retração acontece sobre a baixa de 4,11% registrada em janeiro de 2016 em relação a janeiro de 2015). A oferta, por sua vez, teve redução de 2,74%. O fator de aproveitamento dos voos experimentou ligeira alta de 1,17 ponto percentual, chegando a 84,36%. O total de viagens realizadas registrou queda, de 2,17%, totalizando 8,6 milhões de passageiros transportados no mês. As estatísticas são referentes às operações das empresas AVIANCA, AZUL, GOL e LATAM, integrantes da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR).

“São dados preocupantes. Como o mercado entrou em retração em agosto de 2015, desde então estamos apurando baixas sobre baixas. Em condições normais, de crescimento, ou ao menos de estabilidade econômica, isso não deveria acontecer, em especial nessa época”, analisa o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz. “Dezembro e janeiro são meses da alta temporada de verão da aviação. É quando a procura por voos do público de lazer, mais sazonal, se soma à demanda dos passageiros de negócios, que é mais constante. Há dois anos isso não tem sido mais verdade. Quando extrapolamos isso para uma série de atividades relacionadas, fica claro que as pessoas têm feito menos turismo e realizado menos negócios. Isso afeta a produção de riquezas do país, a criação de empregos e arrecadação de tributos”, conclui.

O mercado acumula 18 meses consecutivos de retração da demanda por voos domésticos e do volume de passageiros transportados (a oferta tem recuado há 17 meses). Em valores absolutos, a oferta e o volume de passageiros registrados em janeiro desse ano são os mais baixos para o mês desde 2013. A demanda, por sua vez, foi a mais baixa registrada em janeiro desde 2014.

Participação do mercado doméstico em janeiro de 2017:

GOL – 38,80%

LATAM – 31,27%

AZUL – 18,10%

AVIANCA – 11,83%

Transporte internacional

Na parcela por elas detida do segmento internacional de transporte de passageiros, as companhias aéreas brasileiras registraram em janeiro desse ano (na comparação com janeiro de 2016) um aumento da demanda de 5,40%. Na mesma base, a oferta foi ampliada em 1,94%. O fator de aproveitamento teve alta de 2,88 pontos percentuais, chegando a 87,74% de ocupação dos voos. O volume de passageiros transportados no mês foi de 790 mil clientes, crescimento de 6,20%.

“Esses dados devem ser postos em perspectiva”, diz o consultor técnico da ABEAR Maurício Emboaba. “A compilação das estatísticas das companhias estrangeiras pela ANAC acontece com alguma defasagem em relação às companhias brasileiras, e só recentemente foi possível ver o que se passou em 2016 com o mercado internacional no Brasil como um todo”, explica.

Com o fechamento das estatísticas, nos 12 meses de 2016 o mercado internacional total (companhias brasileiras e estrangeiras) registrou 7,09% de queda da oferta, recuo de 3,96% da demanda e diminuição de 3,50% do total de passageiros transportados (20,8 milhões de viagens).

“Algumas brasileiras e diversas companhias estrangeiras anunciaram cortes de frequências ou até interrupção de rotas internacionais no ano passado em resposta ao ambiente de crise e de diminuição da procura por voos. Nesse cenário as empresas brasileiras, especialmente a partir do quarto trimestre, conseguiram retomar alguma participação de mercado. Isso parece estar continuando em 2017 e explica os crescimentos de demanda apurados nos últimos meses”, detalha Emboaba.

De fato, o market share das companhias brasileiras passou de 25,20% do total da demanda internacional em 2015 para 26,16% em 2016. Considerados apenas os últimos três meses de 2016 ante o mesmo período do ano anterior, a proporção passa de 25,68% para 28,59% de share. Em paralelo, o conjunto das companhias brasileiras completou neste mês de janeiro de 2017 uma sequencia de quatro altas consecutivas da demanda. “Em resumo, as empresas brasileiras estão ganhando terreno em um mercado que tem diminuído de tamanho”, conclui o consultor.

Participação do mercado internacional em janeiro de 2017 (entre as empresas brasileiras):

LATAM – 78,23%

GOL – 11,22%

AZUL – 10,44%

AVIANCA – 0,11%

Cargas

As associadas ABEAR (AVIANCA, AZUL, GOL, LATAM E LATAM CARGO) transportaram 22,8 mil toneladas de carga doméstica no primeiro mês de 2017, volume 2,12% superior ao mesmo período de 2016. No segmento internacional, a carga movimentada somou 17 mil toneladas, crescimento de 7,28% na mesma base de comparação.

#AVIAÇÃO #ABEAR #TRANSPORTE

Laja Revista Publiracing