• Keller Carvalho / Revista Publiracing

Série Jazz All Nights 2017 apresenta Kamasi Washington, Cory Henry e Madeleine Peyroux


Um dos principais eventos musicais voltados para o jazz no Brasil, a Série Jazz All Nights está de volta em 2017 e, comemorando sua 11ª edição, traz para o país três grandes nomes do cenário do jazz internacional: o saxofonista Kamasi Washington, que se apresenta no Rio de Janeiro, o multi-instrumentista, mais conhecido por sua atuação virtuosa nos teclados, Cory Henry, que se apresenta no Rio de Janeiro e em São Paulo, e uma das grandes vozes do jazz contemporâneo, Madeleine Peyroux.

Concebida e realizada pela Dell’Arte Soluções Culturais, a série estabeleceu uma nova plataforma para o jazz e fomenta a criação de novas plateias para o gênero.

Kamasi Washington, que se apresenta pela primeira vez no país ao lado de sua banda, abrirá a Série no dia 5 de abril, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com o show inédito, The Epic. Cory Henry, ganhador de dois prêmios Grammy, também faz sua estreia solo no Brasil, com shows no dia 30 de abril, na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, e no dia 1º de maio, no Bourbon Street, em São Paulo. Em breve, mais informações sobre as apresentações de Madeleine Peyroux.

A Série Jazz All Nights se impôs rapidamente como um dos principais eventos musicais no calendário do país e, em dez edições anteriores, já apresentou nomes do quilate de Toots Thielemans, Michel Camilo, The Swingle Singers, Teresa Salgueiro, Freddy Cole, Terence Blanchard, Chucho Valdez, Arturo Sandoval, Bobby McFerrin, Branford Marsalis, Esperanza Spalding, Candy Dulfer, Keith Jarrett, New Orleans Jazz Orchestra, Brad Mehldau, Jazz Orchestra of the Concertgebouw e Preservation Hall Jazz Band.

Kamasi Washington

O saxofonista, compositor e produtor Kamasi Washington nasceu na Califórnia e estudou na Academia de Música de Alexander Hamilton. Depois, se alistou no Departamento de Etnomusicologia da UCLA, onde começou a tocar com membros do corpo docente, como Kenny Burrell, Billy Higgins e o líder da banda e trompetista Gerald Wilson. Seu primeiro álbum foi Young Jazz Giants, em 2004, e, desde então, tocou junto com artistas musicalmente diversos, incluindo Wayne Shorter, Herbie Hancock, Horace Tapscott, Gerald Wilson, Lauryn Hill, Nas, Snoop Dogg, George Duke, Chaka Khan, Flying Lotus, Thundercat, Mike Muir, Francisco Aguabella, a Pan Afrikaan People’s Orchestra e Raphael Saadiq. Em 2006 o norte-americano se juntou a Gerald Wilson Orchestra para seu álbum In My Time. Washington também tocou saxofone no álbum To Pimp a Butterfly, de Kendrick Lamar. Sua estreia solo, The Epic, foi lançado em maio de 2015 e foi aclamado pela crítica de todo o mundo. Kamasi Washington tem sido atração principal em muitos festivais de música mundo afora.

Cory Henry

Cory Henry reúne talentos e um currículo que vão muito além de seus 29 anos. Mais conhecido por sua atuação virtuosa nos teclados, instrumento que começou a tocar aos dois anos, Henry notabilizou-se na banda Snarky Puppy. É ainda produtor, compositor, improvisador e multi-instrumentista. Ganhador de dois prêmios Grammy, ele voltou a ser indicado para o Grammy 2017 na categoria Melhor Instrumental Contemporâneo, como membro da Snarky Puppy. Em seus melhores momentos, ele parece capturar a amplitude do jazz e do gospel e produzir algo completamente novo, através de sua mistura única dos dois gêneros. Considerado o “mago do teclado” pela publicação NPR Music, o Bolston Globe vai além, afirmando que “se alguém tiver que pregar o evangelho do órgão Hammond, terá que ser Cory Henry.

Madeleine Peyroux

Natural dos Estados Unidos, Madeleine Peyroux escreve e interpreta suas próprias composições e letras. Começou a cantar aos 15 anos, quando descobriu os artistas de rua do boêmio Quartier Latin, em Paris. Integrou o grupo The Riverboat Shufflers, primeiro “passando o chapéu” e, depois, cantando. Aos 16 anos, passou a fazer parte dos The Lost Wandering Blues and Jazz Band, grupo com o qual passou dois anos em turnê pela Europa, interpretando canções de estrelas do Jazz como Fats Waller, Billie Holiday, Ella Fitzgerald, dando base às interpretações de seu primeiro álbum, Dreamland.

Dreamland, lançado em 1996, fez todos os olhares se voltarem para a cantora. Peyroux logo se viu abrindo concertos para Sarah McLachlan e Cesaria Evora, além de realizar diversas aparições em conceituados festivais de Jazz. Em 2014 Madeleine lançou sua primeira compilação, o álbum duplo Keep Me in Your Heart for a While: The Best of Madeleine Peyroux, que deu origem a uma turnê.

#LAZER #MÚSICA #SHOW