• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Peugeot domina nos carros, com Peterhansel, Sainz e Loeb nas três primeiras posições.


A terceira etapa do Dakar foi marcada pela altitude. A mudança de cenário levou as equipes até San Salvador de Jujuy, junto com uma rápida subida de altitude, e com trechos a mais de 5000 metros. Estes foram os principais ingredientes da etapa que viu a Peugeot dominar por completo, conseguindo no final as três primeiras posições na etapa e na geral. Ao longo do percurso, foram valas, riachos, misto de pistas rápidas e sinuosas, subida rápida de altitude e, no final, um terreno a exigir muita atenção e cuidado, praticamente um trial.

Mas a vitória da Peugeot não foi tão fácil como parece, já que o piloto da Toyota, Nasser Al-Attiyah, mais uma vez andou muito rápido, dominando grande parte da etapa, mas perdendo as posições, assim como seu companheiro, Giniel de Villiers após decisões equivocadas, que provocaram o expressivo resultado para a marca francesa. Stéphane Peterhansel venceu pela primeira vez nesta edição, somando sua 13ª vitória no Dakar, chegando na frente de Carlos Sainz e Sébastien Loeb.

Nas motos uma impressionante atuação de Joan Barreda, voando literalmente na etapa, e deixando já na passagem pelo primeiro CP o vencedor de 2016, Toby Price, a mais de 20 minutos. Os dois dividem por esta ordem a classificação geral, com Sam Sunderland a conseguir um lugar na frente do experiente Paulo Gonçalves.

Nos quadrículos Gastón González conseguiu sua primeira vitória no Dakar, e se colocou na geral atrás do novo líder, e segundo classificado hoje, Ignacio Casale.

Palavras finais para os pesados com Eduard Nikolaev a conseguir a primeira vitória da Kamz, se impondo ao Tatra de Martin Kolomy por apenas 48 segundos. Mesmo assim, com a segunda posição de hoje, Kolomy recuperou a liderança da prova, largando amanhã com 33 segundos de vantagem.

#DAKAR #AUTOMOBILISMO

Laja Revista Publiracing
Reserve seu espaço