• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Tarso Marques revive Fórmula 1 e descreve com emoção momentos na Itália


O ex-piloto de F1 e atual designer, Tarso Marques, esteve no autódromo de Ímola, na Itália, durante o último final de semana para um evento super especial. No sábado, dia 25/06, foi realizado o “Historic Minardi Day” com a participação de ex-dirigentes e ex-pilotos que fizeram parte da equipe Minardi na Formula 1.

O brasileiro foi um dos convidados e teve a oportunidade de voltar a pilotar seu antigo carro da temporada de 2001, junto com outros modelos da categoria máxima do automobilismo. O evento foi uma homenagem ao fundador da equipe, Giancarlo Minardi, e seu legado construído como chefe e dono de equipe.

Tarso Marques descreveu as emoções vividas neste dia especial.

“Foi uma das melhores experiências da minha vida voltar a pilotar meu PS01 no Historic Minardi Day, no último sábado, dia 25 de junho. O evento foi superbacana, com muitos carros de F1 e histórias. Na sexta, tivemos uma noite de gala, um jantar, com vários pilotos que fizeram parte da história da Minardi, com muitos patrocinadores e imprensa italiana. Foi extremamente gratificante poder reencontrar o Giancarlo Minardi, que deu minha primeira oportunidade de testar um Formula 1 quando eu ainda competia na extinta F-3000. Tenho admiração especial por sua história como chefe e dono de equipe.

No sábado, dia da programação oficial, havia dezenas de carros históricos de F1 da Minardi, além de modelos da Ferrari da época do Alain Prost; e a Williams do Keke Rosberg. Foi muito bom rever todo mundo, engenheiros e mecânicos de minha antiga equipe. Fiquei muito contente por poder voltar a pilotar. Durante todo o tempo fui acompanhado pelo meu grande irmão Giovanni Minardi, filho do Giancarlo que também era um dos diretores da equipe em minha época. Somos muito amigos até hoje e temos uma amizade legal e próxima.

O calor estava muito forte, em um dia muito quente até para um padrão de corrida, o que não era o caso. Por este motivo o cuidado com os carros de F1 que estariam andando na pista foi muito grande. Todos mantinham excelentes condições de funcionamento, estavam bem conservados e restaurados dentro da maior originalidade possível. No entanto, foram levados para a pista em uma configuração para tempo mais frio. Quando o clima está quente, devem ser alterados alguns parâmetros aerodinâmicos, inclusive com a troca das saias laterais e outros componentes, para aumentar a refrigeração do motor.

No calor extremo, o desgaste ou a quebra de algum componente era o que mais preocupava os curadores dos bólidos uma vez que, agora, eram carros para exposição e eventos, não mais preparados para situações extremas. Mas isso é válido apenas para uma corrida. Naquele dia, um dos mais quentes registrados ultimamente em Ímola, tudo era exclusivamente festa e muita emoção. Por este motivo, estava arcada para eu andar no final do dia, quando a temperatura já era menor e o calor não exigiria muito do motor.

Durante as primeiras voltas, comecei a reviver a memória de minha época. Não há como negar a emoção. Havia me esquecido até o quanto era apertado aquele cockpit. Do acionamento do motor à saída dos boxes muitas coisas começam a vir à mente. Quando se está lá competindo, você está focado no trabalho e não tem tempo para certas sutilezas que acabam passando despercebidas em um final de semana de Grande Prêmio. Mas quando estamos lá como convidado, em uma grande festa entre amigos e relembrando uma época, tudo muda.

Neste sentido, foi impossível não lembrar da época do kart e da importância de minha família e de nossa ligação com o automobilismo para que eu pudesse chegar onde cheguei.

Obviamente estávamos lá apenas para homenagear a história da Minardi. Sem qualquer clima de competição ou disputa. Mas tentei aproveitar cada curva, cada passagem, cada segundo ali dentro do cockpit. Confesso que acelerar o PS01 na reta, com aquele ronco estridente dos antigos motores V10, me tirou o fôlego por muitas vezes. Não apenas pela potência de aceleração de um Fórmula 1, mas principalmente pelo saudosismo de uma época que guardo com muito carinho na memória.

Todo o reconhecimento e inspiração de meu trabalho atual como designer e empresário, foi conquistado direta e indiretamente graças ao automobilismo. E a Fórmula 1 representou o ápice deste momento. Por isso, poder beirar mais uma vez os 300km/h me levou de volta por alguns instantes a um passado muito especial para mim e, tudo isso, com a vantagem de não haver a rotina estressante de um fim de semana de corrida. Era apenas festa!

Obviamente o corpo e os reflexos não respondem mais como em 2001 no que se refere a pilotar um Formula 1, mas minha vontade era ficar ali, acelerando, por um dia inteiro. Em um determinado momento até, notei a emoção dando lugar à diversão e, ao final, eu ria feito criança por dentro do capacete. O instinto natural de piloto começou a voltar à tona e as entradas e saídas de curvas com freadas e acelerações mais fortes do que o normal foram inevitáveis. Nesta hora, inclusive, fui recompensado com algumas leves saídas de traseira controladas no contragolpe das acelerações bruscas das saídas de curva. Estava claro pra mim que ali não era mais um encontro entre carro e piloto, mas, sim, entre dois amigos que há 15 anos não se viam.

Após algumas voltas, mal pude acreditar na placa que pedia para eu voltar aos boxes. Parei o carro e enquanto nos recolhiam para dentro da garagem ainda tive tempo de agradecer o momento com dois leves tapinhas na direção, como quando dois velhos conhecidos se reencontram costumam fazer.

Por razões da circunstância, os anos da Minardi na Formula 1 foram difíceis, de muito desenvolvimento e aprendizado. E o mais legal de tudo isso e que, hoje, o público fã de automobilismo não apenas reconhece todo esse esforço como o admira. Prova é que, em uma breve caminhada a pé nas retas de Ímola, vi um Giancarlo Minardi emocionado ao ser saudado de pé por um público italiano já tão acostumado com as vitórias das conterrâneas famosas Alfa Romeo e Ferrari na história da Formula 1.

O carisma conquistado pela Minardi ao longo dos anos emociona. E o primeiro "Historic Minardi Day" foi isso, emoção pura e para todos. Uma data para comemorar uma das maiores e mais queridas equipes da história da Formula 1. Equipe esta que tenho orgulho de poder ter ajudado a escrever a história!

Grazie Mille, Minardi!”

Tarso Marques,

Ex-piloto pela equipe Minardi de Formula 1 (1996, 1997 e 2001)

#TARSOMARQUES #FÓRMULA1 #AUTOMOBILISMO

Laja Revista Publiracing