• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Guilherme Spinelli volta a correr com o navegador Marcelo Vívolo


Guilherme Spinelli, cinco vezes campeão do Rally dos Sertões, voltará a correr com o navegador Marcelo Vívolo, com quem conquistou inúmeros títulos.

Na década de 2000, eles foram praticamente imbatíveis, acumulando quatro Campeonatos Brasileiros (2003 a 2006), dois Rally dos Sertões (2003 e 2004), três Copas Baja, duas Taça Brasil de Rali, além da Mitsubishi Cup e vitórias no Campeonato Brasileiro de Rali de Velocidade.

"É um enorme prazer, não só por remeter àquela maravilhosa fase de incontáveis vitórias, mas pela grande amizade que temos. Não perdemos o contato desde então, somos como uma família", vibra Spinelli.

Já faz sete anos que a dupla não corre junta e, no último fim de semana, eles se reencontraram dentro de um carro de corrida para um teste. "Foi surpreendente a navegação do Marcelo, perfeita, impecável! Não precisou nem de um quilômetro para desenferrujar, parecia que ele nunca tinha parado de navegar nesses anos todos", conta Guiga. "Fora que foi ótimo perceber que continuamos com o mesmo entrosamento e alto astral dentro e fora do carro. Mas, com certeza, ainda vamos encontrar muitas possibilidades de evolução", completa.

No Rally dos Sertões de 2010, após Vívolo ter saído da equipe, quem assumiu o posto de navegador foi Youssef Haddad, que venceu o Sertões três vezes ao lado de Guiga, subiu ao pódio em provas internacionais, participou cinco vezes do Rally Dakar, ficando em 2º na categoria gasolina e 9º na geral em 2011. Ele passará a ser o novo chefe de equipe. "Guiga e eu conversamos bastante sobre essa mudança e partiu de mim a sugestão de sair do carro e cuidar da equipe. Quero trabalhar para que os veículos sejam ainda mais competitivos", destaca Youssef.

Mas esta não será uma função nova para ele. Antes de começar a navegar, Youssef foi o chefe da equipe. Hoje, ele lidera o grupo responsável pelo desenvolvimento e manutenção dos carros de rali da Mitsubishi Cup e dos modelos de pista da Lancer Cup, além dos veículos usados no próprio Sertões. "Tudo o que vivi como navegador e o que acompanho no dia a dia da Ralliart virá somar para que eu possa contribuir ainda mais", disse.

A mudança foi tomada conjuntamente e pensada com calma ao longo dos meses. "Para a equipe como um todo, o fato do Youssef estar assumindo essa posição vai ser um ganho tremendo. Todo o trabalho de desenvolvimento, manutenção, projetos e dia a dia na parte técnica de vários modelos de carros ao longo de mais de 10 anos, somado ao vasto conhecimento de estratégia de corridas, regulamentos e coordenação da equipe durante a Mitsubishi Cup e Lancer Cup fazem dele hoje a pessoa mais preparada para essa função. Além disso, a vitoriosa carreira de navegador permitiu ao Youssef ver, na prática, as dificuldades e necessidades da dupla dentro do carro durante as mais duras provas do mundo. Tudo isso me deixa muito seguro que ele tem toda bagagem para ser um ótimo chefe de equipe", empolga-se Guiga.

Nova dupla, antigos parceiros

Há pouco mais de sete anos, Marcelo Vívolo saía do Rally Dakar e deixava o posto de navegador da Equipe Mitsubishi para se dedicar aos negócios da família e afastar-se das competições, já que estava ficando difícil de conciliar as duas coisas.

"Não tem nem o que falar. Pareço criança que voltou a ter um brinquedo. A alegria é gigantesca", vibra Vívolo. "Não podia imaginar coisa melhor: voltar a correr com o Guiga, com quem tenho uma relação de irmão, e na Mitsubishi, que sempre me acolheu e permitiu condições de fazer um trabalho legal", afirma.

"É um conjunto novo com pessoas antigas do nosso relacionamento, e que acho que tem tudo para dar certo. É um momento de mudança, de transição, de readaptação, mas acho que estamos reeditando um time de sucesso com ainda mais experiência e maturidade, que tem tudo para fazer diferença daqui pra frente", afirma Guiga.

Dificuldades e facilidades

Para Guiga, a principal diferença que Vívolo encontrará é o próprio carro. "A diferença de hoje para o último modelo que ele andou (Pajero Evolution, Dakar 2009) será um fator que irá surpreendê-lo. Os carros estão mais velozes e confortáveis. É um outro conceito de suspensão", explica. "Vamos precisar de alguns quilômetros para nos entrosarmos novamente, mas isso será fácil e rápido."

"Tem o lado que será muito favorável, que os veículos aceitam mais desaforo. E hoje em dia estão mais macios, absorvem melhor os impactos, e isso acaba sendo uma coisa boa para o piloto e navegador. Com o carro mais veloz, será um desafio maior para a navegação, já que as coisas tendem a vir mais rápido, com menos tempo entre uma referência e outra", afirma Marcelo. "Vou precisar contar bastante com a ajuda do Youssef, que adquiriu uma bagagem importante nas competições em deserto, além de outras dicas importantes que ele poderá passar", comenta.

Evolução também no carro

A dupla fará sua reestreia nesta semana, no Rally Cuesta Botucatu, válido pelo Campeonato Brasileiro de Rali Cross-country. Eles estarão a bordo da L200 Triton SR, veículo tricampeão do Rally dos Sertões na categoria Protótipos.

"Como qualquer um dos nossos carros da Ralliart, a L200 Triton SR vive em constante desenvolvimento e evolução. Iremos a essa prova para por em prática tudo o fizemos desde o ano passado, além de testar essa nova configuração da equipe", explica Guiga.

A prova será realizada na cidade de Botucatu (SP) nos dias 21 e 22 de maio e terá cerca de 300 quilômetros.

#CROSSCOUNTRY

Laja Revista Publiracing