• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
Revista Publiracing

Lucas di Grassi termina mais uma prova da Fórmula E no pódio. Bruno Senna foi 10º e Piquet 12º


Os brasileiros que disputam a Fórmula E tiveram uma prova na Argentina dentro do que tem sido seu ano na categoria.

Di Grassi é o único piloto do competitivo pelotão elétrico a terminar no pódio todas as etapas disputadas até agora. Mais uma vez terminou na terceira posição, logo atrás do líder do campeonato, o suíço Sébastien Buemi, da Renault e.Dams, que assim ampliou a sua vantagem para o brasileiro.

A vitória na prova disputada nas ruas de Porto Madero, distrito da capital argentina, ficou com o britânico Sam Bird, da DS Virgin Racing

"Larguei em sétimo, em uma classificação que não foi muito boa. A corrida, no entanto, estava indo muito bem. Passei para sexto, quinto, quarto e terceiro antes do pit stop, e na entrada o Nico (Prost, que estava à frente de Lucas) já tinha consumido toda a bateria e o carro dele apagou no pit lane. Eu tive meio que empurrá-lo porque eu precisava entrar no meu box para fazer a troca. Além disso, existe uma velocidade mínima dentro dos pits que é de 45 km/h, então foi uma situação meio bizarra porque eu não podia andar abaixo de 45 e ele diminuía mais e mais a velocidade e eu não tive outra alternativa a não ser dar uns toques para empurrá-lo adiante", contou Lucas, rechaçando qualquer suspeita de um possível jogo de equipe de Prost para favorecer seu companheiro de Renault e.Dams Sébastien Buemi.

No entanto, foi a entrada do safety car por causa do carro do português Antonio Félix da Costa - parado na pista com problemas - que prejudicou mais a prova do brasileiro. Para Di Grassi, este foi o ponto chave na estratégia de sua corrida - na qual alimentava boas chances de vitória.

"O safety car depois atrapalhou a nossa estratégia - acho que sem essa entrada a nossa chance de vencer a corrida era bem maior - porque estávamos dez segundos à frente do Buemi e a entrada do carro de segurança neutralizou essa diferença. Tentei atacar o Sam (Bird, líder da prova) o máximo que pude por três ou quatro voltas, usei a energia; aí perdi o ‘momentum’ e o Sébastien estava ali, não tive muito o que fazer: tentei defender, ele passou e fiquei em terceiro", resumiu o piloto da ABT Schaeffler Audi Sport.

Vindo de dois segundos lugares e uma vitória, o brasileiro destacou que teve de usar mais energia que o normal para se manter no ritmo dos líderes. Tanto que no final fez-se necessária a economia para que pudesse cruzar a linha de chegada ao menos em terceiro, a pouco mais de sete segundos do vencedor.

"Não acho que nosso carro estava tão bom aqui. Esta foi a nossa pior corrida até agora em termos de ritmo; o qualifying não foi legal e na corrida eu tive que usar mais energia que o normal e por isso tive que economizar bastante no final. A Renault está um grande passo à frente da concorrência, e se quisermos brigar pelo campeonato vamos ter de trabalhar mais duro ainda", finalizou Lucas, que agora está quatro pontos atrás de Buemi na classificação da temporada da Fórmula E.

Já o atual campeão, Nelson Piquet Jr. com um carro ainda pouco competitivo, esperava ter pontuado na capital argentina, não fosse a intervenção do carro de segurança na 19ª das 35 voltas.

A jornada começou com o terceiro lugar no treino livre da manhã e oitavo na segunda sessão para o carro #1 do NEXTEV TCR. No quali, Piquet Jr cravou o nono tempo do grid.

Logo na largada saltou para oitavo ao superar um dos carros da Audi e a seguir dividiu curva com o outro, que tracionara mal largando de P7. Prensado no muro, Piquet foi obrigado a recolher para evitar um acidente e fechou a primeira volta em oitavo.

Então seu equipamento perdeu rendimento, obrigando o campeão do mundo a uma estratégia mais conservadora. Piquet passou a salvar bateria e, na abertura da rodada de pits na volta 15, ainda conservava 25% da carga da bateria de seu primeiro carro.

Ele então viu o grid todo entrar no box para troca de carros até o giro 19, quando o safety car foi acionado para permitir a remoção de um carro parado em local arriscado.

Obrigado a tirar o pé pela bandeira amarela em todo circuito montado na região de Puerto Madero, Piquet Jr ainda entrou no box na liderança. Mas saiu apenas em 14º depois da troca de carro.

Nas 15 voltas finais o brasiliense conquistou mais duas posições, para receber a bandeira quadriculado em 12º.

O terceiro brasileiro no grid da categoria de carros eletricos, Bruno Senna, terminou a prova na 10ª posição.

A Fórmula E segue na América Latina e segue para a quinta etapa que acontece no dia 12 de março na Cidade do México

Resultado extra-oficial do e-Prix de Buenos Aires

1-) Sam Bird (ING), DS Virgin Racing, 35 voltas

2-) Sébastien Buemi (SUI), Renault e.Dams - a 0s716

3-) LUCAS DI GRASSI (BRA), ABT Schaeffler Audi Sport - a 7s525

4-) Stéphane Sarrazin (FRA), Venturi - a 9s415

5-) Nicolas Prost (FRA), Renault e.Dams - a 11s316

6-) Loïc Duval (FRA), Dragon Racing - a 15s660

7-) Nick Heidfeld (ALE), Mahindra Racing - a 16s444

8-) Robin Frijns (HOL), Andretti - a 18s685

9-) Oliver Turvey (ING), Nextev TCR - a 22s007

10-) Bruno Senna (BRA), Mahindra Racing - a 222s456

Campeonato após quatro de 11 etapas:

1-) Sébastien BUEMI - 80 pontos

2-) Lucas DI GRASSI - 76

3-) Sam BIRD - 52

4-) Loïc DUVAL - 32

5-) Jérôme D’AMBROSIO - 30

6-) Stéphane SARRAZIN - 28

7-) Nick HEIDFELD - 23

8-) Robin FRIJNS - 21

9-) Nicolas PROST - 21

10-) Antonio Félix DA COSTA - 16

Fotos: Divulgação

#FORMULAE

Laja Revista Publiracing
Reserve seu espaço