Peugeot 308 Griffe turbo THP 
Peugeot 208 1.2 Allure  
Revista Publiracing

Texto: Artur Jorge Semedo

Imagens: Divulgação Peugeot ( Interior ) e Revista Publiracing

Peugeot 208 1.2 Allure, moderno, elegante, e muito econômico

 

O Peugeot 208 chegou para rejuvenescer o lista de opções para carros de entrada, segmento que até algum tempo atrás tinha como representante da marca o 207.

Atraente e jovem, o Peugeot 208 é uma brisa de ar fresco nas opções para compactos de entrada. Além de esteticamente apelativo, com linhas modernas, e que incorporam a identidade da marca de forma clara, o jovem leão chegou também com alguns destaques pelo interior do seu habitáculo, mas principalmente com aquele que consideramos ser o fator mais relevante, o motor debaixo do capô. Falamos do tecnologicamente avançado três cilindros de 12 válvulas, Flex, de 90 cavalos do grupo PSA, que dá vida ao nosso Peugeot, bem como ao modelo que avaliaremos na próxima semana o Citroen C3 Pure Tech.

Mas como acontece habitualmente, iniciamos nossa avaliação pela observação do modelo por fora. Sempre com as necessárias ressalvas ao fato de ser bastante subjetiva a questão estética, mas numa opinião muito própria, o Peugeot 208 é moderno, elegante e ao mesmo tempo um dos compactos de entrada com mais apelo esportivo. O leão assente no capô e uma correta integração do grupo ótico frontal, tanto na estrutura do para-choques como na carroceria do carro, deixam a sensação de um projeto muito bem desenhado, e que como referido no inicio do nosso texto, deixa evidente a identidade atual da marca. Na frente, são destaques as luzes diurnas, lanternas de LED e faróis de neblina, bem como nas laterais os espelhos retrovisores com os sinalizadores de seta.

Ainda antes de passarmos para o interior, uma palavra para as rodas de aro 15 que vêm equipando o 1.2  Allure alvo de nossa atenção, muito bonitas, e que ajudam claramente na sensação de esportividade e robustez, apesar de não ser essa originalmente a proposta desta versão.

Já no interior, o volante é de raio pequeno, o inovador posicionamento do painel de instrumentos, além da central multimídia de segunda geração, muito idêntica à disponibilizada em outros modelos da marca e através da qual podem ser realizadas diversas consultas, são os destaques. Também na central multimídia é realizado o controle de Rádio, Bluetooth, USB, entrada AUX, calculadora, Jukebox , conexão com smartphones e sensores de ré, e ainda câmera de ré e GPS quando instalados. O sistema é compatível com protocolos Mirrorlink, Samsung e HTC e CarPlay para o iPhone 5 ou superior.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para completar a harmonia e bem estar no interior do 208, fica evidente a facilidade do condutor em chegar a um correto posicionamento, tanto em relação ao acesso aos principais comandos e informações do carro, como a não menos importante visibilidade para o exterior do veículo. Por falar em visibilidade para o exterior a unidade testada por nós tinha ainda o sempre agradável teto solar com cortina manual.

Aos passageiros é oferecido espaço suficiente para uma viagem confortável, tanto atrás, como na frente. No interior do pequeno francês, inúmeros porta objetos, posicionados em distintos pontos do veículo, além de porta-luvas climatizado, permitem deixar bem organizado o interior do Peugeot. Posto isto, e devidamente posicionados, damos partida ao motor.

Logo de imediato fica claro que é um três cilindros, esse nível de percepção fica evidente especialmente em primeira marcha, no entanto, sem comprometer o conforto. Após evoluir para marchas superiores essa sensação vai caindo até se tornar praticamente imperceptível.

Já rodando pela cidade, fomos ficando agradavelmente impressionados com alguns aspectos do comportamento do carro. O volante pequeno que aciona uma direção elétrica, direta, e de assistência variável, torna o Peugeot 208 um pequeno Kart, tornando muito ágeis e fáceis as principais manobras no trânsito de uma cidade como São Paulo.

A suspensão, do tipo McPherson na dianteira, e eixo de torção na traseira, permite uma condução confortável, e com controle total das ações.  Uma facilidade bastante útil, particularmente em São Paulo, onde se escondem radares por todos os cantos, é o sistema de controle de velocidade, que é acionado por uma das hastes que ficam atrás do volante. O câmbio, de cinco marchas manual, nesta versão,  embora não muito macio,  está corretamente escalonado, com particular destaque para a segunda marcha, que é quase interminável,  permitindo manobras e pequenos deslocamentos sem mudança de marcha e sem o giro subir, beneficiando o consumo. E chegámos no consumo do motor. Afinal este novo três cilindros, 1.2 Flex Pure Tech do grupo PSA é para nós o principal destaque do carro.

E que grata surpresa!. No bom francês “Voila”, chegou um produto inovador, e que impacta diretamente de forma muito positiva no consumidor. Percorridos centenas de quilômetros,  primeiramente na cidade, e posteriormente em rodovia, é impressionante a sensação de que o indicador digital do nível de combustível (no nosso caso etanol), não desce.

Vale antecipar que em 70%  da distancia percorrida ao logo dos dias de nossa avaliação,  o ar-condicionado esteve desligado, afinal queríamos observar o quanto este motor era capaz de nos surpreender. E como surpreendeu !.

 

Consumos de 14 Km/l na cidade e 15,7 Km/l na estrada foram conseguidos sem dificuldade, e impressionam pela eficiência energética, preocupação cada vez maior no nosso dia a dia, não só pela questão climática, mas também, de forma mais direta e imediata, na nossa carteira. Destaque ainda maior, se lembrarmos que os motores três cilindros que poderiam fazer frente ao PSA, os já disponibilizados pela Volkswagen, Ford e Hyundai, por exemplo, são todos 1.0. Aqui lembrar que nos testes do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) o motor foi mesmo considerado o mais económico do país, e nosso teste só veio de encontro aos resultados da respeitada entidade.

As palavras finais vão para o destaque negativo observado por nós, o freio. Não muito eficaz, requer atenção e pode ser melhorado.

As principais características do Peugeot 208 1.2 Allure são as seguintes:

O motor é dianteiro, transversal de 3 cilindros. em linha, 12V, comando duplo, injeção direta, flex, e com uma cilindrada de 1.199 cm³. O peso é de 1.073 kg. A potência: de 90 cv a 5.750 rpm com torque: 13 kgfm a 2.750 rpm. O câmbio é manual de 5 marchas, e a tração dianteira, com direção elétrica e freios de disco (diant.) e tambores (tras.). Os pneus de medida 195/60 R15. As dimensões do veículo são: Comprimento 3,97 m, largura: 1,70 m; altura: 1,47 m; entre-eixos: 2,54 m. O tanque fica cheio com 55 litros e o porta-malas disponibiliza 285 litros de capacidade.  

O preço anunciado para o Hatch de 12 cilindros da Peugeot é de R$ 54.990, e é no seu segmento, um dos veículos que oferece mais qualidade no acabamento, além de ser mais completo na lista de equipamentos disponibilizados.

 

Sem dúvida ele é a compra certa para quem busca eficiência, economia, sem abdicar de dirigir um carro moderno, atraente e jovem.

Click nas imagens para ampliar