Nissan Kicks 1.6 SL 
Revista Publiracing

Texto: Artur Jorge Semedo

Imagens: Divulgação Nissan ( Interior ) e Revista Publiracing

Avaliação: O aguardado Nissan Kicks, chegou jovem e inovador !

 

Nossa avaliação desta semana tem como alvo uma das principais novidades do mercado automotivo brasileiro, e sem dúvida um dos mais aguardados lançamentos de 2016. Sua silhueta divulgada no inicio do ano deixava antever um projeto jovem e arrojado, e quando o carro começou a circular pelas rodovias do Brasil acompanhando a tocha olímpica, rapidamente despertou a atenção do publico, sendo grande o número de reservas no site criado exclusivamente para receber as pré-vendas do modelo.

Todo esse interesse pelo produto mostrava um correto trabalho de desenvolvimento, tanto na questão estética, quanto pelo grupo de trabalho que preparou o “terreno” para a chegada do SUV urbano, assim ele é descrito pela marca.

Mas faltava o contato físico, os quilômetros, as respostas dinâmicas e as sensações que ele prometia transmitir. Para isso sugerimos que nos acompanhe neste texto, onde descrevemos uma semana de alegres e divertidas experiências ao volante do Nissan Kicks.

Esteticamente o Nissan Kicks é moderno, com linhas que poderíamos até descrever como inovadoras, particularmente na traseira e seu jogo de faróis bem salientes Além da conjugação do referido design, as duas cores da unidade testada por nós, cinza grafite, com teto Sunset Orange, completam um conjunto muito chamativo e atraente. Os olhares que ele desperta não deixam mentir o jornalista.

O grupo ótico frontal é também ele muito atraente e arrojado, com assinatura em led exclusiva e atraente, no formato boomerang, incorporando ainda dois faróis de neblina, o que ajuda a definir o veículo como novidade, não nos remetendo a lembranças de outros modelos, algo raro hoje em dia. Ainda como objeto de bom gosto, referência para as rodas aro 17, bonitas e corretamente integradas no Kicks, que é em nossa opinião uma mistura de Crossover com SUV.

 

Já no interior, observamos de imediato um painel simplificado. O destaque fica mesmo por conta da tela onde diversas funções podem ser realizadas, além de exibir a inovadora câmera 360⁰ para detectar qualquer objeto ao redor, parado ou em movimento. Também comandado através da tela, o sistema de navegação guiado por voz. Também é possível definir suas pausas, marcar pontos de interesse no seu caminho, como restaurantes, postos de gasolina ou caixas eletrônicos por exemplo. Ainda no âmbito da conectividade, é disponibilizada a função que mantém conectado seu smartphone para que receba ou faça chamadas, além de outras funções,  só utilizando os botões do volante, sem você precisar mexer no celular. Seu aparelho de telefonia móvel, iPod, pen drive ou qualquer outro dispositivo compatível na entrada USB, pode ser conectado trazendo seu mundo particular para a tela do seu veículo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

De fácil acesso aos comandos para o ar-condicionado digital, que sem ser dual-zone, mantém um agradável ambiente interno. Aproveitando este tema, referimos desde já, que nosso teste foi praticamente todo ele realizado com o ar-condicionado ligado, algo que fizemos pela primeira vez, feeling ou não, tivemos a grata surpresa de perceber que o sistema implica muito pouco no consumo do modelo, mostrando uma evolução muito grande neste quesito. De destaque ainda no agradável interior do Nissan Kicks, o acabamento do volante e do painel em couro, com peças bem integradas, com retoque através de costuras que refinam o acabamento, muito agradável por sinal.

 

Assim como o painel, também os bancos em couro, são oferecidos em três opões de cores, maccchiato, sand e preta. Quero ainda destacar a posição de condução, correta, no entanto notando a falta de um encosto de braço para os lugares da frente, particularmente para o condutor. O interior transmite uma real capacidade de acomodar confortavelmente cinco adultos, com os três bancos traseiros a terem encosto de cabeça e uma visibilidade muito boa do que acontece na frente, recebendo também todos eles, com muita qualidade, o som que vem do sistema incorporado no Kicks, e que é de boa qualidade. Já mais atrás são 432 litros de espaço disponibilizados no compartimento do porta-malas.  

Para finalizarmos nossa observação interior, não poderíamos deixar de referir outros dois destaques do modelo. Primeiro o botão Start/Stop, para partida do motor sem precisar tirar sua chave do bolso, tecnologia que permite mais praticidade e rapidez, até para entrar ou sair do Kicks, já que através do toque no pequeno botão que fica na maçaneta da porta, você abre e fecha o carro mantendo guardada sua chave. Este sistema é chamado pela Nissan de I-Key.

Em segundo, e não menos importante, o painel que fica na frente do condutor, que no Kicks, metade dele é multifuncional, oferecendo diversos tipos de informação à sua escolha. Temperaturas de motor e externas, controle dinâmico de chassi, histórico do consumo de combustível, computador de viagem com duas opções, informações do áudio e de sua ligação telefônica, diversas configurações do veículo, consumo de combustível e autonomia, conta-giros digital, informações do GPS ( quando ativada a navegação ), e ainda uma bússola.   Tudo isso na frente dos olhos do condutor.

Após a descrição ao interior do habitáculo do Nissan Kicks, hora de ligar o motor. Damos inicio ao nosso teste dinâmico ao veículo de tração dianteira, com a sensação clara que a Nissan se preocupou com a integração do Kicks no cenário por onde ele passa. As superfícies de vidro são amplas e permitem uma harmônica integração de passageiros com o mundo externo, através do aproveitamento da luz natural, com boa visibilidade para o condutor, e claro, conforto. Nos primeiros quilômetros realizados na cidade, facilmente observamos a eficiência da direção, assistida de forma elétrica, permitindo facilidade para realizar curvas, com um raio pequeno de virada. O carro passa a real sensação de ser leve, são 1.142 kg, o que auxilia no comportamento dinâmico, e naturalmente, na economia de combustível.

O câmbio automático de seis marchas virtuais XTRONIC CVT de última geração, tem um papel importantíssimo no eficiente comportamento do conjunto mecânico, sendo de correta integração com o motor dianteiro, transversal, de 4 cilindros em linha, 16V, com comando duplo, flex, e que disponibiliza 114 cavalos às 5.600 rpm. A cilindrada é de 1.598 cm e o torque de 15,5 kgfm a 4.000 rpm. Sem opção para acionar as marchas de forma manual, o câmbio tem uma opção para através de um botão na alavanca acionar o discreto modo Sport, dá para sentir, sem no entanto surpreender.

Para quem utiliza exclusivamente seu Crossover na cidade, parece perfeito, no entanto numa circunstancia mais avançada de nossa avaliação, com cerca de 800 Km percorridos em rodovia, ficamos com a sensação que a Nissan pode pensar numa versão com um motor maior, que entregue mais capacidade de recuperação, e respostas mais rápidas em determinadas situações e necessidades sentidas a velocidades superiores. Sem ser um handicap, é uma característica do carro na única versão disponível no mercado, a SL, no entanto passível de ser melhorado, quando o Kicks começar a ser fabricado no Brasil. Assim como se ouve falar da possibilidade de uma versão mais simples para um futuro próximo, uma versão mais potente poderia ser pensada, para dar maior amplitude ao nível de oferta do modelo. Nos pequenos retoques poderia ser adicionado o já referido encosto de braço, bem como ferramentas muito úteis hoje em dia, e que faltam no Kicks, o piloto automático e o controle de velocidade.

Aberto este pequeno parêntesis, voltamos à estrada. O Nissan Kicks é um carro que foi pensado para facilitar o dia a dia do seu condutor, para isso a Nissan incorporou o sistema que auxilia no arranque em rampa, mantendo o carro parado (sem recuar) por alguns segundos, e essa é uma tecnologia que sem dúvida auxilia muito o condutor, particularmente em momentos de estacionar.

Uma questão que vamos descobrindo é o excelente isolamento acústico do Nissan Kicks, realçando  o conforto além de mostrar cuidado no acabamento e qualidade geral do produto.

O Kicks é todo ele suave em seu comportamento, no já comentado câmbio, na maneira como as marchas são trocadas, de forma praticamente imperceptível, assim como a absorção por parte da suspensão ( Independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira) das irregularidades do piso, bem como do correto comportamento em condução mais rápida em curvas de diversos ângulos.

Como destaque ainda os sistemas de controle de tração e estabilidade, já conhecidos em outros modelos, e ainda as novidades técnicas apresentadas pela Nissan, que são o Controle Dinâmico em Curva, o Controle Dinâmico do Freio-Motor, que junto com o Estabilizador ativo de Carroceria, permite uma abordagem mais suave, nas curvas, contrariando parte da inclinação natural e absorvendo parte das irregularidades da pista percorrida, permitindo mais dirigibilidade além de entregar mais conforto.

Os freios são de discos ventilados na frente e tambores atrás, e sem comprometer a segurança, afinal faz parte de uma correta condução a adaptação do condutor ao veículo que se dirige, não sendo, no entanto, o destaque do carro.

Ainda como referências que influenciam de forma positiva o comportamento dinâmico de todo o crossover, o comprimento, que é de 4,29 m, largura de 1,76 m, altura de 1,59 m, e ainda o  entre-eixos de 2,61 m.

Palavra final para o consumo. Abastecido de etanol ( tanque de 41L )  todas as vezes que tivemos que recorrer ao posto de combustível, o Kicks se mostrou generoso no consumo, com 8,4 Km/l na cidade e 12,3 km/l em rodovia. Seu motor menor, baixo peso, e tecnologia integrada, são características que oferecem possibilidade de conseguir bons resultados frente aos seus principais concorrentes, o Jeep Renegade e o Honda HR-V.

O preço sugerido de R$ 89.990 e o colocam no mesmo nível dos seus concorrentes, até no preço. No primeiro mês completo de vendas até ao momento em que escrevemos este texto, Setembro, o Kicks vendeu 2367 unidades, subindo imediatamente para a terceira posição no seu segmento, no entanto ainda longe das 3844 unidades do Honda HR-V, e do Renegade, que supreendentemente recuperou a liderança, vendendo 4461 unidades em Setembro.

Como resumo, o Kicks confirmou as expectativas, uma aposta mais que certa, e que com pequenos ajustes, tornado mais ampla sua linha, vai poder brigar em úmero de unidades vendidas com seus concorrentes mais diretos. Argumentos não lhe faltam, principalmente em conforto, segurança e design, e a Nissan dá mais um passo na consolidação de sua posição como uma das mais importantes e ativas montadoras no Brasil.

Click nas imagens para ampliar